Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

wook-natal-billboard

Dormir bem quente

17
Set19

dormir

 

Dormir com calor por vezes acaba por ser incomodo e se estiver em locais quentes sinto esse efeito. No entanto em casa, quase de forma habitual ao longo do Verão, costumo deitar e deixar ficar o lençol e edredom como cobertura porque parece que aquele aconchego faz sempre falta para que o sono apareça. 

Adormecer em casa é como se fosse praticamente certo que é tapado e quente, depois ao longo da noite a roupa vai saindo de cima do corpo, ou não, consoante o calor que se vai fazendo sentir. Adoro ficar tapado para me sentir confortável, como se estivesse a adormecer num ninho bem fofo e leve. 

«Tu dormes todo tapado com este calor?». Ah, pois é! Tapado até quase à ponta dos cabelos quando é no momento de ir dormir, tal como adoro andar de manga comprida quando sinto um pouco de aragem a milhas de distância. O frio vem ai e já estou com as mangas preparadas porque gosto. 

A sesta não é normal

30
Ago19

sesta.jpg

 

Sempre me habituei a não dormir a sesta e foi sendo muito raro deitar ao longo do dia e acabar por adormecer. Ultimamente isso não tem acontecido bem dessa forma e percebo assim que os sinais da idade também surgem através do cansaço, mesmo que durma as horas aconselhadas de noite e consiga descansar para me sentir bem.

Não sei o que se passará mas pelas últimas semanas, se durante as tardes de folga me deixo ficar em casa encostado a olhar para a televisão ou a ler, as pálpebras começam a dar aqueles sinais bem notórios de que mais vale desligar tudo, descer a almofada e deixar que o corpo descanse e os olhos se fechem. Começa a ser um ciclo que num dos dois dias de pausa, que geralmente são seguidos, me deixe levar por umas horas pelo sono ao longo da tarde, fazendo com que depois ao deitar no horário noturno leve mais tempo a adormecer, mas chego lá. 

Bom Dia ao raiar do Sol

24
Mar19

raios de sol.jpg

Conhecido que é o meu mau acordar com os despertadores, optei pelos últimos dias por adotar uma nova estratégia para que quando o horário do alarme chegar já esteja de olhos bem abertos. Deixei de dormir com as persianas da janela do quarto deitadas abaixo para que quando o sol começa a surgir no horizonte a claridade possa entrar através dos vidros e assim acabar por ajudar a um despertar do corpo com a luz natural que vai surgindo. 

Acreditem que um acordar a solo, sem ajuda dos alarmes ensurdecedores, ajuda a começar o dia de forma bem melhor, sem a estridência do acordar e dando espaço para ir despertando, percebendo em que momento da manhã nos encontramos e começar o dia com calma, de forma lenta, como aprecio na primeira hora do dia. Silêncio, calma e aproveitando o momento, depois sim, quando saio de casa lá começa o dia corrido, com movimento, barulho por todo o lado e a boa disposição que é necessária entregar aos outros para que possamos receber o mesmo positivismo de quem se cruza pelo nosso caminho.

«Deitar cedo e cedo erguer»

13
Jan19

dormir.jpg

De pequenos ouvimos por diversas vezes que «deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer». No entanto com o tempo os horários que os nossos pais e educadores nos colocam pela frente vão sendo alterados, arrastando as horas de dormida para mais tarde. Isto acontece até ao dia em que voltamos a perceber que a necessidade de deitar mais cedo para também acordar mais cedo e bem é fundamental. 

Aos vinte aguenta-se tudo! As noitadas sucessivas, as saídas abusivas, os dias longos e que se vão multiplicando... Tudo parece acontecer para as noites de sono terem uma duração menor que o aconselhado cientificamente. Com o tempo e com os anos a começarem a pesar, os ritmos abrandam e as necessidades físicas de descanso fazem-se sentir, fazendo lembrar um pouco a força da gravidade que nos puxa e leva a um ponto de cansaço em que percebemos que aos trinta não conseguimos mais fazer o que fazíamos aos vinte. 

É triste assumir isto, mas os trinta além de trazerem consigo coisas boas como a maturidade e forma de olhar para a vida de outra forma, conseguem também acartar uma menor capacidade para aguentar os dias longos, as saídas noturnas sucessivas, os festejos e até a vontade de fugir da rotina começa a desvanecer. 

Insónias matinais

24
Mar18

insónia.jpg

Voltei de férias a semana passada e desde então que ando com um problema matinal de insónias. Acordo bem antes da hora desejada, do nada, sem qualquer barulho por perto e sem razão aparente para tal acontecer. Certo é que este comportamento inconsciente acaba por me deixar incomodado logo de manhã por perceber que podia descansar, a dormir, mais tempo, e a mente não deixa. 

A hora de deitar tem sido a mesma dos últimos meses, pouco depois da meia noite, uns dias esticando um pouco esse horário, mas anda tudo dentro do normal. Na manhã é que as coisas se alteraram por estes dias e já parece começar a ser rotina. Uma hora antes do despertador as pálpebras ganham vida própria, abrem-se e a visão torna claro o dia que está prestes a nascer. Por mais que sinta que estou acordado e tente manter de olhos fechados não aguento e a tentação de espreitar o relógio surge, ficando nesse momento um pouco desorientado por perceber que tinha ainda tanto tempo para dormir e já estou acordado e sem qualquer ponta de sono. A razão? Não a descobri ainda!

Com isto ando a dormir entre cinco e seis horas por dia, não mais que isso, passando as horas acordado a abrir a boca com sono e parecendo meio cansado. O que fazer para alterar esta nova rotina de insónias matinais que me acordam para não mais deixarem adormecer até o despertador tocar?

(Não) posso dormir demais...

07
Jan18

dormir.jpg

Há uns meses anunciava que andava a dormir pouco por falta de sono, o que me andava a colocar sucessivamente mal disposto ao longo das primeiras horas do dia por não descansar em condições. Agora cansado tenho sido convidado a deitar-me mais cedo e o resultado é outro, além de que ando a acordar de noite, o que não me agrada assim tanto. 

O despertador toca por volta das 07h00 mas a hora de abrir realmente os olhos e colocar os pés fora da cama ronda as 07h20. Em menos de trinta minutos despacho-me e o caminho até ao trabalho é curto já que às 08h00 estou sentado à secretária a iniciar o dia laboral. Sim, não vou totalmente bem disposto mas quem acorda a cem por cento quando sabe que tem oito horas de trabalho pela frente? Ao serão é que as coisas estão um pouco melhor. Consegui regular aos poucos o horário de deitar, já não esticando para além das 00h00, tirando alguns dias esporádicos, e mesmo sem me deitar para dormir, ando mais por casa, descansando e deixando-me ficar esticado no sofá ou na cama a desfrutar do não fazer nada enquanto se vê um pouco de televisão e se coloca a leitura em dia.