Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Plano Nacional Leitura -billboard

7 livros religiosos para ler no ano de 2020

Publicado por O Informador, 21.01.20

Imagem de James Chan por Pixabay

 

O ano novo chegou e, com ele, pessoas de todo o mundo começaram a sua lista de leitura. Se és um destes leitores e a religião é um tópico importante para ti, seguem-se 7 livros que devem fazer parte do teu plano de leitura.

 

1. “Todos os caminhos levam a Roma”, Scott e Kimberly Hahn

Este livro, atualmente, não se encontra disponível em português de Portugal, mas pode ser lido em português do Brasil.

Ambos os escritores deste livro são professores de filosofia e oferecem argumentos lógicos e fortes em defesa do cristianismo. Esta é a leitura ideal caso estejas a perder a fé na religião.

No livro destaca-se uma frase em especial “A felicidade profunda está no espírito, não no corpo ou nos sentimentos. É como uma âncora que se mantém firme e calma no fundo, mesmo quando tempestades rugem na superfície. Deus permite tempestades físicas e emocionais para fortalecer a âncora”.

 

2. “Pocket Handbook Of Christian Apologetics”, Ronald K. Tacelli e Peter J. Kreeft

Esta é uma abordagem mais leve do cristianismo e, portanto, ideal para todos os que tiverem interesse no tema. O livro começa com dois protestantes e acaba com dois fiéis à religião, sendo a principal razão pela qual todos lhe devem dar uma oportunidade.

Ao longo do livro são levantadas algumas questões importantes sobre a religião e são obtidas algumas respostas igualmente importantes.

 

3. “Cristianismo Puro e Simples”, C. S. Lewis

Não leste mal; é realmente o escritor das Crónicas de Nárnia.

Este livro nasceu de uma entrevista na rádio durante a Segunda Guerra Mundial. O autor pretende mostrar que em tempos difíceis, como é o caso das guerras, o cristianismo faz todo o sentido.

Évora diz adeus aos Cartuxos

Publicado por O Informador, 10.10.19

convento da cartuxa 3.jpg

 

Terça-feira, 08 de Outubro de 2019, assinala o dia em que o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli, mais conhecido como Convento da Cartuxa, viu os quatro monges Cartuxos que restavam a viver no local partirem para Barcelona. As causas da mudança são simples e devem-se essencialmente às idades avançadas dos mesmos, dois octagenários e dois nonagenários, e também à falta de vocações para os ajudar a suportar a vivência dentro do mosteiro. Os quatro restantes Cartuxos que residiam em Portugal deixaram assim as suas vidas dentro do Convento da Cartuxa com cerimónias que se realizaram ao longo de três dias para que tudo fosse feito dentro dos parâmetros e os momentos finais acontecessem na celebração da solenidade do fundador, S. Bruno.

É bom lembrar que a vida cartusiana teve início em Portugal em 1587 pela mão do Arcebispo de Évora D. Teotónio de Bragança que fundou neste mesmo local a comunidade cartusiana eborense. Mais tarde, já em 1597, foi em Lisboa que se abriu um segundo mosteiro, Nossa Senhora do Vale da Misericórdia. Em 1834 ambos os mosteiros foram encerrados através do decreto que extinguia Portugal da vida religiosa. 1960 chega, os tempos mudaram e o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli volta a receber os Cartuxos de novas gerações que foram perdurando até que a idade os levasse para outras paragens para que a ajuda mútua seja possível.

 

convento da cartuxa 2.jpg

 

Bom lembrar que a Ordem Cartusiana tem uma total orientação, dia e noite, a Deus. Solidão, comunidade e liturgia são os três pontos fundamentais dos monges cartuxos que vivem como no deserto e dentro da sua pequena comunidade, colocando-se ao serviço da vida contemplativa cartusiana. Isolados do Mundo como forma de união profunda a Deus, as orações, devoções e vocações são todas num só sentido numa vida com horários habituais que se prolongam numa autêntica rotina religiosa.  

Convites Duplos | GOD | 12/13.07.2019

Publicado por O Informador, 02.07.19

god.jpg

 

GOD, o espetáculo de sucesso protagonizado por Joaquim Monchique volta a Lisboa para uma nova temporada de Verão no Teatro Villaret. Com sessões marcadas a partir de dia 12 de Julho às Sextas-feiras e Sábados pelas 21h30, e aos Domingos, pelas 18h00, GOD promete voltar a encher a sala de espetáculos até 20 de Setembro. 

A comédia divinal está assim de volta aos palcos, dando ao público nova oportunidade para assistir a este extraordinário espetáculo onde o humor é levado a um bom nível que já conquistou mais de cinquenta mil espetadores em Portugal desde 2016 através das várias temporadas que já foram levadas a cena. 

Deus regressa assim à Terra através de Joaquim Monchique a quem se juntam os anjos Miguel e Gabriel, interpretados por Diogo Mesquita e Rui Andrade, numa tentativa de alterarem o rumo da humanidade para tornarem a vida terrena mais aprazível.

Para assinalar o arranque da temporada de Verão no Teatro Villaret com GOD, tenho convites duplos para sortear para as sessões de dia 12 e 13 de Julho, Sexta-feira e Sábado, respetivamente, pelas 21h30. Se preferires assistir à sessão de dia 14, Domingo, pelas 18h00, também podes tentar a sorte via Instagram. Este passatempo irá estar disponível até às 10h00 de dia 11 de Julho, Quinta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

Ando tão religioso!

Publicado por O Informador, 27.02.16

Acabei de constatar que os meus últimos posts aqui do blog são dedicados a temas que de certa forma estão relacionadas com a religião! Oh, como estou crente meus caros!

Ora vejamos! Primeiro e ainda ontem, comentei o Cartaz do Bloco de Esquerda que contém a frase «Jesus também tinha 2 pais», fazendo uma alusão à adoção homossexual. Umas horas depois comentei o espetáculo God, interpretado por Joaquim Monchique e que tem um certo conteúdo critico para com a religião. E há poucos minutos deixei-me levar pelas beatas moralistas com o Rezamos então!

#maioresmentirasdahumanidade #2

Publicado por O Informador, 28.04.15

Já agora, e porque todos podem comentar as #maioresmentirasdahumanidade no Twitter, e também por ter revelado com este pretexto que «Deus existe», ontem comecei a ver a série A Bíblia! Isto não é uma contradição algo irrisória da minha parte? Pois, dizem que sim! Ainda para mais porque gostei do primeiro episódio, aquele que consegui ver até começar a adormecer!

O Papa no Twitter

Publicado por O Informador, 13.12.12

«Queridos amigos, é com alegria que entro em contacto convosco via twitter. Obrigado pela resposta generosa. De coração vos abençoo a todos»

Bento XVI

As redes sociais invadiram de vez a igreja católica e eis que o Papa Bento XVI enviou a sua primeira mensagem, via Twitter ao mundo!

Com vários séculos de conservação sobre a nova era da sociedade, o atual líder da igreja mostrou querer espalhar a sua fé através das redes sociais que são cada vez mais usadas por todo o mundo. Bento XVI pretende assim, a meu ver, aproximar o catolicismo dos milhares de fiéis que tem vindo a perder nas últimas décadas por desacreditação da igreja.

As redes sociais já estão presentes em praticamente todos os sectores da sociedade e mesmo na religião já estavam presentes através dos pequenos núcleos. Agora com as primeiras mensagens do Papa a aparecerem, prevê-se que novos horizontes se abram entre fiéis e detentores da palavra de Deus!

Para mim isto é mesmo a demonstração de que nos moldes em que se acredita em tudo o que é religioso já não está a funcionar, tendo-se que moldar a forma de convencer as pessoas de que a igreja está presente na vida de todos nós, em quaisquer situações.

Eu não vou lá com estas cantigas, muito menos com estas mensagens... Ainda para mais quando duvido que seja mesmo Bento XVI a escrever os 140 caracteres no Twitter para os vários países! Ele escreveu a primeira mensagem e pronto, agora são os seus discípulos a seguirem as suas pisadas, mas para isso o nome social devia ser Palavras do Vaticano, não?

Vejo que muitos acreditam que o senhor agora ganhou tempo e bondade para este feito, mas perdoem-me porque eu não acredito nesta nova tentativa de engano! Quero ver quando algum religioso amigo do Papa escrever algo com que ele possa não concordar, o que irá acontecer, já que estas palavras twitteiras estão no seu nome!