Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

21
Fev16

Desconhecidos e Cruzados

O Informador

No trajecto de casa para o trabalho ao longo do tempo é normal que se comecem a conhecer os carros e os ocupantes de quem se cruza connosco diariamente. Isso acontece-me e quando em determinados locais os dias sucedem-se e aquele veículo que marca pela sua cor, aquela pessoa que sempre vem ao telemóvel ou a mãe da criança dos caracóis não se cruzam comigo é caso para se estranhar. 

Não vos acontece reconhecerem dia após dia várias das pessoas com quem se cruzam na estrada só porque têm os mesmos horários e seguem rotas idênticas só que em sentidos opostos? Ao longo dos nove anos em que trabalho no mesmo local existem uns quantos cidadãos com quem me cruzo quase sistematicamente, sabendo que naquele local, mais coisa, menos coisa, lá nos iremos cruzar se tudo estiver dentro do eixo para ambos. 

O que terá acontecido ao tripulante da última curva antes mesmo de entrar ao serviço no horário das nove? Desapareceu! Com o estado do desemprego actualmente a resposta poderá estar relacionada, mas nunca se sabe!

Todos os dias nos cruzamos com desconhecidos que vamos conhecendo ao longe e cujos quais nada sabemos para além de que devem entrar ao serviço à mesma hora que nós, num local perto de nós e que também nos devem reconhecer ao longe só por verem o aproximar do veículo!

19
Dez13

O conhecido dos desconhecidos

O Informador

Isto já acontecia quando eu era pequeno e via o meu pai a falar com certas pessoas com o ar de quem não se lembrava do nome de quem se encontrava à sua frente e se tinha lembrado de si, do nome e de onde o conhecia. Agora e porque já sou crescido, a mesma história acontece comigo! Uma situação embaraçosa!

É muito estranho ver um rosto que conheço, não sei de onde nem por que razão e essa mesma pessoa dirigir-se até mim, perguntar-me se está tudo bem e pronunciar o meu nome e eu sem saber o seu. É mesmo algo embaraçoso e da última vez que aconteceu ainda tive o descaramento de pedir desculpa, mas que não me lembrava do seu nome nem de onde podia conhecer aquele rosto.

Por razões desconhecidas não me foi revelado o nome nem por que razão nos conhecíamos, mas o que é certo é que ela sabia o meu nome e eu sei que aquela cara não me é totalmente estranha. Mas de onde e como é que alguém se lembra de mim e eu estou nem aí para os desconhecidos que sabem que eu sou um conhecido?

Que irritação que me deu por sentir-me ignorante naquele momento!

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Mais comentados

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook