Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Big Brother sem Ouro

big brother.jpg

Em noite de Globos de Ouro na SIC, a gala do Big Brother foi de saídas e entradas, sem ouro mas com grande tentativa para criar falatório e discórdia. O anúncio foi feito perante uma edição intitulada de Tempestade que iria virar Furacão com a entrada de X concorrentes com direito a uma dupla expulsão.

Os novos concorrentes chegaram e logo foram mostradas imagens sobre o que tinham a dizer sobre os residentes que entraram de início no jogo. Diogo Coelho a abrir estas segundas entradas, com 29 anos, casado e pai de gémeas, a promessa deste novo residente para entrar na casa é a de bater de frente com alguns dos concorrentes que se têm tentado mascarar no jogo. Os novos concorrentes tiveram de fazer escolhas, a Diogo Coelho calhou destruir uma dupla, optando por separar a Frederica e a Joana, optando o Diogo por fazer parceria com a Frederica. Juliana Vieira, a concorrente que vende conteúdo sexy na internet e que promete com o corpo dar bem nas vistas dentro e fora da casa. Para já acredito que provoque alguns ciúmes entre os casais da casa e também que tenha na frontalidade a sua arma forte no jogo. A Juliana teve de fazer nomeação direta com a sua chegada e acabou por escolher a Mafalda. Patrícia, de 38 anos, e Jessica, de 18, mãe e filha, as concorrentes chegam de Vila do Conde com uma boa energia, a mais nova então parece que entrou para dizer o que pensa sem receios e de forma bem espontânea, tendo ficado com a função de fazer uma expulsão direta que calhou à Diana que parecia deixar o jogo de forma inesperada, deixando a casa em lágrimas, no entanto já em estúdio a Diana despediu-se de todos mas regressou em segredo à casa para um quarto secreto. Onde já se viu algo do género mesmo? Já a Patrícia teve de entregar duas nomeações assim que entrou na casa, optando por nomear a Diana e Joana Taful. Bernardo, de Évora, afirma nunca ter tido uma namorada pela sua forma de ser complicada, não gostando que lhe toquem na roupa nem que se metam na sua vida, sendo assumidamente uma pessoa nervosa. O Bernardo teve que eleger a dupla mais fraca para os colocar a viver por uns dias na toca, no jardim da casa, tendo eleito o Ricardo e a Tatiana com a desculpa de serem cromos repetidos que nada estão a acrescentar ao jogo.

BBPlay em mais uma gala, sem nexo algum por esta demonstração de imagens acabar por deixar os concorrentes oprimidos para exporem as suas ideias ao longo da semana por saberem que a qualquer momento as suas conversas vão ser expostas e causar ruído na casa. Se querem um jogo livre e espontâneo porque forçam com estes vídeos que acabam por deixar os concorrentes congelados em certos momentos? Contínuo a não concordar com este recurso dos BBPlays, mas a produção parece não conseguir fazer um jogo sem esta vontade de mais do mesmo. Unidos pelo BB com a guerra aberta entre a dupla Catarina e Miguel envolvendo grande parte do grupo nesta intriga que não se consegue entender desde o início. Corta Casacas 2022 foi o segundo vídeo da noite com o leva e trás que vários concorrentes vão criando na casa, no diz que disse aqui e acolá para tentarem gerar a discórdia e criarem conteúdo. Deixem os miúdos jogarem sem colocarem esta pressão meus caros senhores que criam o guião!

Momento Curva da Vida entregue ao Miguel, muito para lhe dar um pouco de mais protagonismo após nova semana em que se manteve em altas com as críticas na casa e com várias discussões onde teve o papel principal. O concorrente revelou nascer numa pequena aldeia onde pouco conviveu com crianças, crescendo muito sozinho. Em jovem adulto sofreu dois acidentes, teve uma desilusão de amor, licenciou-se, começou logo a trabalhar e voltou a apaixonar-se por uma mulher mais velha que o ajudou a encaminhar um novo caminho, ficou noivo mas o casamento não vingou, até que após várias derrotas e perdas se inscreveu no Big Brother e continua a achar, pelo seu egocentrismo, que não tem nada a perder. 

 

Mais um Domingo, mais uma Gala de Big Brother

big brother.jpg

Mais um Domingo e a terceira gala da edição de 2022 do Big Brother aconteceu sem grandes lavarintos e alarmes, não que os concorrentes não tenham sido provocados para tal, mas o jogo já é tão comum entre produção e peões nos últimos anos que o público já não se deixa enganar tão facilmente.

A semana não foi de grandes movimentações, a produção bem tentou através da escassez de comida e de alguns jogos repetidos de criar guerrilha mas não conseguiu atingir o efeito desejado. O Domingo chegou e para que Cristina Ferreira tivesse temas para puxar pela gala semanal, eis que a noite começou logo com a expulsão da semana que acabou por ser dupla. Lembro que no passado Domingo, Ana, Catarina, Daniel, Frederica, Mafalda e Miguel ficaram nomeados, na Segunda-feira Miguel ao ser o menos votado para ser expulso ficou liberto, o mesmo sucedendo a Daniel na Sexta-feira, deixando o quarteto feminino a votos, o que acabou por ditar a saída da Ana com 37% da votação logo ao início da noite.

Rapidamente os concorrentes tiveram de nomear e ao final da noite, já como é habitual, a segunda saída da noite aconteceu. Os patrocinadores estão a dar forte nesta edição do Big Brother e até nas nomeações a UberEats teve um papel importante com presentes a aparecerem na casa através da empresa de entregas que também acabou por entregar envelopes que ditaram as regras nas nomeações. Nesta ronda de votos acabaram por ficar nomeados Diogo, Tatiana e Daniel, que se juntaram ao Miguel que ficou nomeado a meio da semana ao ter atendido o telefone ao Big Brother. Do quarteto de nomeados acabou por deixar a casa o Daniel com 73%. Assim, na mesma noite, o casal Ana e Daniel deixaram o jogo, sem deixar qualquer saudade, uma vez que mais ela que ele, foram concorrentes bem fracos e um autêntico erro de casting entre milhares de candidatos que tentaram a sorte.

Ao longo da noite os vídeos das tricas e mexericos nas costas uns dos outros foram vistos, com recurso a imagens do confessionário quando os concorrentes falam com o Big Brother, o que acho um erro, por mostrar que nem no confessionário podem dizer o que pensam na verdade por poderem ser desmascarados. A par disto Miguel, ao ser um dos concorrentes mais comentados pelo grupo, teve a oportunidade de ver um vídeo do que falam de si nas costas. Existiu ainda espaço para os famosos dilemas que deixaram por uns dias a casa sem garfos, ginásio e tabaco, o que vai suscitar, neste último caso, alguma confusão entre os concorrentes fumadores com o passar dos dias sem fumarem. 

O momento Curva da Vida desta vez foi duplo, com o Miro e a Diana a mostrarem os seus percursos. O mano Vemba relatou a sua história, destacando a presença dos seus avós na sua família. Enquanto adolescente sofreu um acidente de mota que lhe tirou o sonho de jogar futebol, seguindo já na fase adulta pelo caminho do álcool na noite, até que dois dos seus irmãos o puxaram para o mundo do espetáculo através da comédia mas nem sempre as coisas correram bem e chegou, já em Portugal, a trabalhar nas obras para sobreviver. No campo amoroso apaixonou-se jovem, foi pai, foi traído, traiu e está quase há um ano sem ver a sua filha. Já a Diana começou a sua história de vida com a traição do pai para com a mãe e o abandono que sentiu por parte do progenitor. Aos 13 anos foi diagnosticada com cancro, passando dois anos em tratamentos, que ajudaram a conseguir a ultrapassar a doença. Namorou, foi traída, com o fim da relação com alguma violência. Já separada, envolveu-se com o melhor amigo do ex-namorado e uns meses depois, com uma dor nas costelas, pensou que estaria novamente doente, percebeu que estava nas últimas semanas de gravidez, gravidez essa do amigo do ex-companheiro, sendo mãe no próprio dia em que foi ao hospital pelas dores fortes que sentia. Mãe solteira, com guarda partilhada, primeiros anos com um relacionamento complicado com a família paterna do filho, mas ao que parece tudo se foi resolvendo e atualmente existe estabilidade entre todos a bem da criança. 

 

Big Brother, a primeira semana

big brother.jpg

Primeira semana do Big Brother passou e um Domingo chegou com uma gala em que TVI e Endemol tinham de dar o tudo por tudo para subir as audiências com polémicas, pegando no pouco que aconteceu na semana para lançarem os dados e fazerem o grupo começar a criar história que agrade ao público após dias iniciais bem mornos e sem grande destaque. 

A gala arrancou com uma sanção para comportamentos menos próprios de Nuno Homem de Sá e Frederica que insultaram a produção, taparam câmaras e ameçaram todos e mais alguns num momento impróprio de discusão no grupo. O casal foi automaticamente nomeado para a semana seguinte, caso não saíssem nesta noite, no que do meu ponto de vista deveria ter resultado, no caso do Nuno, numa expulsão direta, por ser um concorrente já com outras edições nas costas e que deveria respeitar acima de tudo o trabalho de toda uma equipa que faz o programa acontecer diariamente. 

Produção sem inovação tem destas coisas e eis que o famoso momento BBPlay tinha de acontecer para retomar a fórmula de mais do mesmo. Perante o título Regresso à Malveira I, os momentos foram vistos por todos na sala com o casal Nuno Homem de Sá e Frederica num confronto com a Cátia que desde cedo na casa se opôs ao par. Rapidamente percebi que a Cátia é daquelas concorrentes que diz o que tem de dizer sem papas na língua, por muito que se possa enterrar no jogo por cair no ridículo de não pensar antes de falar em algumas vezes, mas como gosto de uma boa discussão no reality show, logo percebi que esta rapariga tem sumo para dar ao programa. Álbum dos Líderes foi o segundo BBPlay coletivo a ser visto com o Diogo e a Malfada no centro das atenções pela sua liderança frouxa e bem criticada pela maioria dos companheiros de casa. Comboio das Nomeações foi o bloco de vídeos onde todos falaram dos votos que iam fazer e obter de uns e outros, atirando ao alvo vários nomes ao longo da semana, gerando conversas cruzadas que podem interferir no decorrer das relações dos próximos dias. 

Não sou adepto da exibição do BBPlay por defender que acaba por congestionar o jogo de todos por saberem que serão expostos a qualquer momento e defendo que existem outras formas de colocar os concorrentes frente-a-frente sem terem necessariamente de exibir blocos inteiros de imagens como se tivessem a resumir a semana dentro da casa para os próprios assistirem. 

Os amores do bem disposto Miro com Cátia de um lado e Diana do outro, a nomeação direta que Miguel e Catarina tiveram de fazer por cumprirem bem a missão de serem ex namorados nos primeiros dias no jogo, tendo escolhido a planta Ana e os comentários do Miguel ao peito da Cátia foram alguns dos temas em destaque na gala.

O momento Curva da Vida foi entregue ao Diogo que mostrou desde cedo a vida partilhada com a avó que sempre esteve do seu lado quando foi abandonado pelos pais. Um bebé que nasceu e viveu até aos seus cinco anos em constantes idas ao hospital por um problema intestinal, viu o mundo da droga desde pequeno através da mãe e foi criado e educado pela avó que foi para si a sua verdadeira salvadora. Já em jovem adulto viu a avó partir, não recebeu qualquer apoio do pai e percebeu que a mãe o roubava pelo consumo da droga, consumindo dentro da própria casa onde viviam. Deixou de acreditar na família, salvo por um vizinho amigo, trabalhou, voltou a estudar, comprou a sua casa e aos 29 anos começa a pensar que o amor pode existir para formar a sua família. Sem dúvida alguma umas das mais fortes histórias de vida que passaram pelo Big Brother nos últimos anos, logo como se percebeu com a entrada do Diogo na casa. 

Ao longo da noite as votações foram sendo congeladas por duas vezes. Num primeiro momento Miguel ficou a salvo com 2% e Catarina com 5%. Numa segunda ronda foi a Frederica a ficar livre de expulsão com 9% e a meio da noite, sem esperar pela última parte, Cátia ficou na casa com 44% e Nuno foi o expulso pelo público com 56%, público esse que percebeu o quanto mau o comportamento do ator tinha sido para com a produção do programa. Uma saída que sempre defendi dentro do lote dos cinco nomeados e que mais fez sentido ainda após o mal estar causado pelo Nuno perante os colegas e toda a equipa que não foi respeitada pelas decisões tomadas.

Já começou o Big Brother

big brother.jpg

11 de Setembro de 2022, o dia em que arrancou a nova edição do Big Brother, com Cristina Ferreira na apresentação e a célebre Voz nos comandos das operações para fazer o intercâmbio entre concorrentes, produção e público. Só que nesta edição a Voz do Big Brother é a dobrar, a masculina já habitual e a novidade no feminino, um pouco para dar um novo alento à comunicação. Os dados dos novos rostos da casa foram lançados em mais uma noite de Domingo onde a apresentadora surgiu de rosa, num vestido bem básico para o que já vestiu no passado. Nos comentários continuam Flávio Furtado, que se apresentou de amarelo com penas, fazendo lembrar o célebre Popas, e Marta Gil de preto sem grandes brilhos.

O primeiro dia da nova edição do Big Brother começou e os residentes foram apresentados, de forma individual mas também em dupla. Uns entraram sozinhos e viram a produção formar-lhes um par, outros entraram juntos e foram separados para também eles formarem novos pares com outros concorrentes e existiram ainda os que entraram a solo e assim permaneceram, por agora. Logo para começar um casal, a Ana Maia e Daniel Oliveira, que dizem ser o casal perfeito, que nunca se chatearam ao longo dos três anos de casamento. Joana Taful, casada e mãe de quatro filhos, entrou sozinha no jogo, mas logo conheceu o concorrente com quem iria fazer dupla ao longo das semanas, mas já lá vamos, o Cassimiro Vemba, irmão do comediante Gilmário Vemba, e também ele, a julgar pela sua entrada, um personagem bem disposto. Diana Lopes, da Maia, empresária, que a certa altura da sua vida foi para o hospital com o que achou ser uma apendicite e saiu com um filho nos braços, sendo a Diana uma das concorrentes que entrou no jogo a solo, sem lhe ter sido atribuída dupla para seguir em frente. Rúben da Cruz, dj e modelo, um pseudo famoso que namorou com alguns rostos conhecidos da nossa praça e que há uns anos entrou num outro reality show da TVI, A Quinta. Ao Rúben juntaram a Cátia Basílio, que em tempos ganhou prémios de moda, diz ser direta e concilia o trabalho numa loja com o da noite. Rúben Boa Nova e Tatiana Magalhães, o casal conhecido da Casa dos Segredos, que após a entrada em algumas edições do reality show na altura voltam passados dez anos ao ecrã, qual a necessidade deste regresso quando existem milhares de candidatos em espera por uma oportunidade? Frederica Lima e Nuno Homem de Sá, ele faz a sua terceira entrada no Big Brother num só ano, ela a sua estreia, sendo também estas duas entradas desnecessárias para um jogo que se desejava limpo de início. Miguel Vicente e Catarina Severiano, dois anónimos que não se conhecem mas que formarão dupla nos primeiros dias de programa. Diogo Marques, o concorrente que se apresentou com um vídeo familiar pela sobrevivência a puxar ao sentimentalismo, viu a Mafalda Dimond chegar para ser a sua dupla. Joana Schreyer e Ricardo Pereira, um ano após entrarem no Big Brother voltam ao jogo, juntando-se assim aos cromos repetidos já anunciados anteriormente, tendo de voltar a repetir que não existia necessidade desta repescagem. Mais para o final, a solitária Diana teve de separar uma dupla, tendo escolhido ficar com o Cassimiro, deixando assim a Joana a solo. 

Com os concorrentes já todos em jogo, a Joana enquanto concorrente sem parceria ganhou imunidade e as duplas tiveram de se nomear para que dois dos concorrentes logo deixassem a casa na primeira noite, no entanto o feitiço virou e a dupla Frederica e Nuno foi a escolhida para abandonar a experiência mas a saída foi da casa, não do jogo como todos pensavam e assim o casal ficou a viver, por uns dias na Toca, o espaço que outrora era da Roulote, numa reformulação sem nada no que toca à decoração do jardim onde tudo está no mesmo local, só alterando mobília e cores. 

Todos os concorrentes fizeram em dupla a prova do líder, num jogo a fazer lembrar o jogo de tabuleiro dos rinocerontes de apanharem as bolas, tendo Diogo e Mafalda ganho com esta prova a liderança da semana e por consequência a imunidade para não poderem ser nomeados na ronda dos votos que se seguiram. O telefone tocou e o Ricardo atendeu, tendo de fazer nomeação direta, onde escolheu o Miguel. Em duplas todos foram ao confessionário para nomearem três companheiros de jogo, resultando desta ronda os nomeados Catarina, Nuno, Cátia e Frederica que se juntaram ao Miguel, ficando os cinco nomeados para a primeira expulsão da edição.

O poder de Cristina Ferreira

cristina ferreira sic tvi.jpg

 

Cristina Ferreira tornou-se no principal rosto feminino em Portugal ao longo dos anos ao lado de Manuel Luís Goucha nas manhãs da TVI, tendo assumido posteriormente vários formatos a solo no final de tarde e nos serões do Domingo do canal. Em 2018 a sua transferência para a SIC virou tema do ano em termos televisivos porque nada previa que a estrela maior do canal então liderado por Bruno Santos trocasse de camisola e integrasse a equipa de Daniel Oliveira. Hoje, em pleno Verão de 2020 Cristina Ferreira tem regresso marcado à TVI logo no início de Setembro, não me surpreendendo esta transferência por completo por ter percebido movimentações e entrelinhas em algumas publicações feitas nas redes sociais por parte da apresentadora, mas a grande maioria do público, e não só, voltou a ser apanhado de surpresa. Atualmente percebo a saída na altura da TVI e este regresso à casa onde se lançou para a grande ribalta!

Cristina precisava de sair da TVI para se afirmar num formato a solo e mostrar que conseguia mais do que lhe era dado na casa que a ajudou a ser a melhor. Cristina cresceu, alcançou o grande palco mas a ambição fez com que saísse para assumir novas funções como diretora, já que na estação de Queluz o cargo que lhe deram nunca foi assumido na integra. Na SIC entrou como apresentadora e um cargo de direção, reinou e assumiu de imediato a liderança das manhãs do canal, ajudando logo no dia da sua estreia o canal a recuperar o primeiro lugar das audiências em Portugal, após anos na segunda posição. Agora, e mesmo sendo sempre líder no canal do grupo Impresa, Cristina queria mais, queria ter uma palavra a dizer nas decisões do grupo como acionista, o que não lhe foi facultado por parte do mesmo. Estando o grupo Media Capital em maus lençóis, com a venda de ações, Cristina deixou a SIC, regressando à TVI como apresentadora, diretora de entretenimento e ficção e acionista do grupo que a lançou e do qual agora terá uma palavra a dizer quanto às novas apostas televisivas, na rádio e não só, sendo um dos rostos fortes da Media Capital, estando também no centro das decisões sobre os novos formatos e novos conteúdos do canal e ficando muito provavelmente com o novo programa das manhãs, substituindo assim Manuel Luís Goucha que deverá ver o seu pedido realizado para ganhar um novo formato, mais calmo e de conversa e com menor duração. 

Cristina Ferreira regressa à TVI

cristina ferreira.jpg

 

Não fiquei admirado quando à noite, já a notícia tinha sido bastante debatida pela imprensa, redes sociais e fóruns especialistas em televisão, percebi que Cristina Ferreira está de regresso marcado à TVI, praticamente dois anos após ter anunciado a sua transferência para a SIC, onde depois se estreou em Janeiro de 2019 nas manhãs do canal do grupo Impresa. Agora a apresentadora líder de audiências está de regresso ao canal onde se formou, o que não me espantou, uma vez que há duas semanas haviam saído boatos de reuniões com Nuno Santos, agora diretor geral da TVI e logo antevi e até comentei que o regresso iria acontecer por perceber que a direção do canal da Media Capital estava disposta a abrir os cordões à bolsa para voltar a ter Cristina nos quadros por saber o peso que a apresentadora vale no ecrã e fora dele. Foi o tudo por tudo que deu frutos rápidos, já que Cristina entra na TVI já no próximo dia 01 de Setembro, após as férias já marcadas para o mês de Agosto. 

Nem um mês passou após essas ditas reuniões e ontem, Sexta-feira, 18 de Julho de 2020, O Programa da Cristina na SIC teve a sua última emissão sem que nada se tivesse percebido, somente um comentário que passou ao lado na altura para o assistente Ben, «Hás-de sentir saudades minhas». Será que o marido de Rita Ferro Rodrigues irá mesmo sentir saudades da apresentadora? É que Cristina é bem capaz de levar a sua equipa de eleição e que escolheu a dedo atrás de si para a TVI. 

Até ao momento tudo ainda é muito vago, só se ficando a saber que Cristina Ferreira já não regressa ao ecrã da SIC, tendo cessado contrato na tarde desta Sexta-feira, ao que a direção da SIC anunciou que a apresentadora «decidiu cessar unilateralmente a sua ligação à SIC, colocando termo ao contrato que a vinculava até 30 de novembro de 2022», agradecendo o canal o trabalho com bons frutos dos últimos meses, embora tenha sido uma «decisão abrupta e surpreendente» e perante a qual a imprensa avança que poderá avançar processo para tribunal por quebra de contrato. 

Para já é sabido também que Cristina Ferreira será a nova diretora de entretenimento da TVI, cargo que já outrora tinha sido seu embora com alguns moldes incompreendidos na altura, devendo também liderar a Plural, produtora de ficção do grupo, e ainda entrar na administração da Media Capital como accionista, ficando assim num lugar do qual mostrava interesse e que na SIC poderá ter gerado algumas guerras internas com a direção de Daniel Oliveira. 

 

Aposta forte no BB2020

bb2020.jpg

 

Nuno Santos chegou à direção da TVI em Janeiro e aos poucos começou a mostrar algum trabalho a nível de programação e novos projetos, mas muito lentamente. O que tem feito de forma rápida é o número de contratações para criar o futuro do canal que foi líder durante anos para o deixar de ser com a saída de Cristina Ferreira para a SIC no final de 2018 e com o crescimento do canal da Impresa até à liderança. 

O novo diretor do canal de Queluz optou por ajustar futuras estreias e contratações para depois sim apostar forte com outros nomes que surgem de fora do canal e alguns até um pouco imprevisíveis mas que aos poucos começa a ser percetível a vontade de renovar, rejuvenescer e apostar no futuro de forma jovem, refrescante e onde o talento existe para desfolhar. 

A primeira grande aposta será no BB2020 e é nesse ponto que a primeira contratação, e também a que causou maior impacto foi mesmo a de Cláudio Ramos, que deixou os seus vários programas no universo SIC e mesmo a vizinhança de Cristina para abraçar a apresentação do regresso do Big Brother aos ecrãs nacionais. O Cláudio mudou, foi anunciado e começou a trabalhar. Os dias passaram e nada mais parecia acontecer dentro do que seria a aposta no reality show, começando o público a pensar que toda a restante equipa seria um pouco mais do mesmo do que foi feito anteriormente. Eis quando novos nomes foram anunciados e quase de rajada. Ana Isabel Arroja e Rui Simões, ambos rostos e vozes da Rádio Comercial, passarão também a entrar na casa dos portugueses com um papel a anunciar nos vários blocos diários do B2020. A surpresa surge logo de seguida com a contratação de Mafalda Castro, que esteve na equipa da última edição do programa da RTP, The Voice, onde acabou por ser a revelação ao lado de Catarina Furtado e Vasco Palmeirim. A influencer e responsável pelas manhãs da Mega Hits também está na equipa do novo Big Brother, sendo, segundo a direção do canal, uma aposta que chegou ao canal para ficar. Agora e sem se esperar, Ana Garcia Martins, a conhecida blogger A Pipoca Mais Doce, surge como comentadora residente do reality show e a grande promessa Maria Botelho Moniz, que nos últimos anos tem mantido um papel ofuscado na SIC, troca de canal e deixa a reportagem do programa de João Baião e o comentário no Passadeira Vermelha para ser uma das apresentadoras dos blocos do BB2020.

Há um mês estes nomes eram inesperados de ser chamados pela direção da TVI, agora começam a fazer sentido através dos pontos fortes que a equipa de Nuno Santos tem revelado sobre o futuro do canal. O lema é «a mudança começa agora» e até os rostos centrais do canal parecem estar em renovação para baralhar, dar de novo, intercalando com a apelidada novidade de quem promete e não teve até aqui a oportunidade de se destacar. Estes nomes, e mais uns quantos que devem estar para surgir, são o futuro da televisão e é nessa visão que parece estar o destaque do canal que caiu e agora tem a ambição de continuar a levantar o que correu mal em mais de um ano para voltar a ser o que era. 

O Ricardo está na SIC!

ricardo araujo pereira.jpg

 

2020 começou e ao terceiro dia surge uma grande mexida no panorama televisivo, algo que já era bem previsível acontecer. Ricardo Araújo Pereira e toda a equipa do programa que até aqui era transmitido pela TVI24, o Governo Sombra, deixam o canal de Queluz e iniciam funções no ecrã da SIC já no próximo dia 10 de Janeiro.

Uma contratação de luxo, que desde a última gala dos Globos de Ouro se fazia sentir. O ano terminou e a mudança aconteceu graças à finalização dos contratos com o antigo empregador. Ricardo Araújo Pereira regressa assim em grande ao canal onde já fez bastante sucesso com as diversas temporadas dos Gato Fedorento. Para já o humorista ficará somente com o Governo Sombra, ao lado de Pedro Mexia, João Miguel Tavares e Carlos Vaz Marques, estando previsto estrear novos formatos no universo SIC ao longo do ano.

Este salto do Ricardo da TVI para o atual canal líder não me espanta nada. Primeiro, não vi que a direção do canal que está prestes a ser comprado pela Cofina o tenha aproveitado de forma correta nos últimos meses. Tudo parecia ser uma grande aposta com o Gente Que Não Sabe Estar, no entanto com a época balnear, a direção do canal resolveu colocar em repetição o formato, cansando e desgastado, fazendo com que um programa vencedor tenha sofrido com o cansaço do público, levando a que o seu regresso de forma diária tenha sido deixado de lado pelos telespetadores que seguem o trabalho do humorista. Como continuar a ver quando o próprio canal gastou um formato que teve tudo e foi estragado em menos de nada?

Acredito que muito boa gente que ainda segue nos comandos dos canais televisivos ainda não tenham entendido que os telespetadores de hoje não aceitam o que viam há cinco anos atrás. O panorama mudou, as apostas têm de ser consistentes e não feitas de hoje para amanhã, as repetições não pegam e o facilitismo muito menos. É necessário fazer bem para vencer, começaram bem e estragaram tudo, a saída do Ricardo Araújo Pereira do canal era mais que previsível e ai está o resultado...

O Programa da Cristina já estreou!

 

o programa da cristina sic.jpg

Ao abrirem este texto irão pensar que irei falar abertamente sobre a nova aposta das manhãs da SIC, mais uma, perante a contratação de Cristina Ferreira. Mas não, isto porque para além da primeira parte do programa, não consegui ver o que se seguiu, percebendo que pareceu mais do mesmo mas com um upgrade onde o velho remodelado e o novo ajustado acabam por ser a continuação e mais do mesmo tanto na SIC como na TVI. 

O Programa da Cristina estreou hoje, 07 de Janeiro de 2019, e os primeiros minutos, com conversas sobre bidés e lavagens de partes intimas com António Raminhos a aparvalhar fizeram-me pensar na disparidade sobre o conteúdo do formato e o público mais elitista que a SIC costuma ter e que se vangloria por isso mesmo. Será que as classes que são predominantes da antena do canal irão gostar assim tanto de ver uma Cristina a levar ao seu programa figuras que optam por levar as suas conversas para outros campos? O público que tinha na TVI não é o mesmo do da SIC e as classes sociais dos dois canais são diferentes de forma geral e há que ter isso em conta nos conteúdos dos formatos. 

Percebi a contratação de luxo que Daniel Oliveira fez ao roubar o grande trunfo Cristina à TVI que assim incorporou os quadros do canal de Carnaxide mas pensei que a aposta nas novas manhãs da SIC seria feita de forma diferente, criando conteúdos diferentes. Pelo que vi da primeira hora a intenção é seguir a linha do que Cristina fazia quando estava sozinha no Você na Tv!, aliando a isso entrevistas mais intimistas ao modo das que faz na sua revista, o que Manuel Luís Goucha já faz há algum tempo também na concorrência. As entrevistas sim, os espaços mais calmos sim, mas a gozação e piadas humorísticas dentro de espaços de debate não irão correr bem, principalmente com rostos que gostam de provocar mesmo que para isso digam o que não devem, como é o caso de António Raminhos, como disse acima. 

 

Augusta | Matias Damásio

matias damásio - augusta.jpg

Matias Damásio lança o novo disco, Augusta, dedicado à sua avó. Num momento em que o cantor deu uma entrevista a Daniel Oliveira no programa Alta Definição onde revelou vários factos marcantes da sua vida, entre eles o abuso sexual de que foi alvo quando tinha 12 anos de idade por uma mulher mais velha e o que enfrentou até o seu talento ser reconhecido, o artista tem sido assim presença assídua nos últimos dias pelos vários canais de televisão e rádio para dar a conhecer este seu novo lançamento e falar do seu percurso de vida, do passado ao que está para acontecer. 

Augusta é o nome deste novo trabalho onde o tema Voltei com Ela e Teu Olhar assumem lugares de destaque. Letras super bem escritas, trabalhadas e interpretadas, mostrando que o valor que Matias Damásio tem assumido no panorama musical não é mesmo em vão. Dedicado à avó e às mulheres da sua vida e do mundo, este novo disco é assim uma homenagem aos afetos perante quem passa na sua vida e vai ganhando um lugar especial. Para marcar ainda mais a posição que as mulheres têm na sua vida, o cantor convidou Aurea, Pérola e Claudia Leitte para participarem no disco Augusta, celebrando assim a amizade e o talento em língua portuguesa. 

Para quem acreditava que não era possível Matias Damásio continuar a surpreender, fiquem aqui com os seus novos sucessos!