Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

O poder de Cristina Ferreira

cristina ferreira sic tvi.jpg

 

Cristina Ferreira tornou-se no principal rosto feminino em Portugal ao longo dos anos ao lado de Manuel Luís Goucha nas manhãs da TVI, tendo assumido posteriormente vários formatos a solo no final de tarde e nos serões do Domingo do canal. Em 2018 a sua transferência para a SIC virou tema do ano em termos televisivos porque nada previa que a estrela maior do canal então liderado por Bruno Santos trocasse de camisola e integrasse a equipa de Daniel Oliveira. Hoje, em pleno Verão de 2020 Cristina Ferreira tem regresso marcado à TVI logo no início de Setembro, não me surpreendendo esta transferência por completo por ter percebido movimentações e entrelinhas em algumas publicações feitas nas redes sociais por parte da apresentadora, mas a grande maioria do público, e não só, voltou a ser apanhado de surpresa. Atualmente percebo a saída na altura da TVI e este regresso à casa onde se lançou para a grande ribalta!

Cristina precisava de sair da TVI para se afirmar num formato a solo e mostrar que conseguia mais do que lhe era dado na casa que a ajudou a ser a melhor. Cristina cresceu, alcançou o grande palco mas a ambição fez com que saísse para assumir novas funções como diretora, já que na estação de Queluz o cargo que lhe deram nunca foi assumido na integra. Na SIC entrou como apresentadora e um cargo de direção, reinou e assumiu de imediato a liderança das manhãs do canal, ajudando logo no dia da sua estreia o canal a recuperar o primeiro lugar das audiências em Portugal, após anos na segunda posição. Agora, e mesmo sendo sempre líder no canal do grupo Impresa, Cristina queria mais, queria ter uma palavra a dizer nas decisões do grupo como acionista, o que não lhe foi facultado por parte do mesmo. Estando o grupo Media Capital em maus lençóis, com a venda de ações, Cristina deixou a SIC, regressando à TVI como apresentadora, diretora de entretenimento e ficção e acionista do grupo que a lançou e do qual agora terá uma palavra a dizer quanto às novas apostas televisivas, na rádio e não só, sendo um dos rostos fortes da Media Capital, estando também no centro das decisões sobre os novos formatos e novos conteúdos do canal e ficando muito provavelmente com o novo programa das manhãs, substituindo assim Manuel Luís Goucha que deverá ver o seu pedido realizado para ganhar um novo formato, mais calmo e de conversa e com menor duração. 

Cristina Ferreira regressa à TVI

cristina ferreira.jpg

 

Não fiquei admirado quando à noite, já a notícia tinha sido bastante debatida pela imprensa, redes sociais e fóruns especialistas em televisão, percebi que Cristina Ferreira está de regresso marcado à TVI, praticamente dois anos após ter anunciado a sua transferência para a SIC, onde depois se estreou em Janeiro de 2019 nas manhãs do canal do grupo Impresa. Agora a apresentadora líder de audiências está de regresso ao canal onde se formou, o que não me espantou, uma vez que há duas semanas haviam saído boatos de reuniões com Nuno Santos, agora diretor geral da TVI e logo antevi e até comentei que o regresso iria acontecer por perceber que a direção do canal da Media Capital estava disposta a abrir os cordões à bolsa para voltar a ter Cristina nos quadros por saber o peso que a apresentadora vale no ecrã e fora dele. Foi o tudo por tudo que deu frutos rápidos, já que Cristina entra na TVI já no próximo dia 01 de Setembro, após as férias já marcadas para o mês de Agosto. 

Nem um mês passou após essas ditas reuniões e ontem, Sexta-feira, 18 de Julho de 2020, O Programa da Cristina na SIC teve a sua última emissão sem que nada se tivesse percebido, somente um comentário que passou ao lado na altura para o assistente Ben, «Hás-de sentir saudades minhas». Será que o marido de Rita Ferro Rodrigues irá mesmo sentir saudades da apresentadora? É que Cristina é bem capaz de levar a sua equipa de eleição e que escolheu a dedo atrás de si para a TVI. 

Até ao momento tudo ainda é muito vago, só se ficando a saber que Cristina Ferreira já não regressa ao ecrã da SIC, tendo cessado contrato na tarde desta Sexta-feira, ao que a direção da SIC anunciou que a apresentadora «decidiu cessar unilateralmente a sua ligação à SIC, colocando termo ao contrato que a vinculava até 30 de novembro de 2022», agradecendo o canal o trabalho com bons frutos dos últimos meses, embora tenha sido uma «decisão abrupta e surpreendente» e perante a qual a imprensa avança que poderá avançar processo para tribunal por quebra de contrato. 

Para já é sabido também que Cristina Ferreira será a nova diretora de entretenimento da TVI, cargo que já outrora tinha sido seu embora com alguns moldes incompreendidos na altura, devendo também liderar a Plural, produtora de ficção do grupo, e ainda entrar na administração da Media Capital como accionista, ficando assim num lugar do qual mostrava interesse e que na SIC poderá ter gerado algumas guerras internas com a direção de Daniel Oliveira. 

 

Aposta forte no BB2020

bb2020.jpg

 

Nuno Santos chegou à direção da TVI em Janeiro e aos poucos começou a mostrar algum trabalho a nível de programação e novos projetos, mas muito lentamente. O que tem feito de forma rápida é o número de contratações para criar o futuro do canal que foi líder durante anos para o deixar de ser com a saída de Cristina Ferreira para a SIC no final de 2018 e com o crescimento do canal da Impresa até à liderança. 

O novo diretor do canal de Queluz optou por ajustar futuras estreias e contratações para depois sim apostar forte com outros nomes que surgem de fora do canal e alguns até um pouco imprevisíveis mas que aos poucos começa a ser percetível a vontade de renovar, rejuvenescer e apostar no futuro de forma jovem, refrescante e onde o talento existe para desfolhar. 

A primeira grande aposta será no BB2020 e é nesse ponto que a primeira contratação, e também a que causou maior impacto foi mesmo a de Cláudio Ramos, que deixou os seus vários programas no universo SIC e mesmo a vizinhança de Cristina para abraçar a apresentação do regresso do Big Brother aos ecrãs nacionais. O Cláudio mudou, foi anunciado e começou a trabalhar. Os dias passaram e nada mais parecia acontecer dentro do que seria a aposta no reality show, começando o público a pensar que toda a restante equipa seria um pouco mais do mesmo do que foi feito anteriormente. Eis quando novos nomes foram anunciados e quase de rajada. Ana Isabel Arroja e Rui Simões, ambos rostos e vozes da Rádio Comercial, passarão também a entrar na casa dos portugueses com um papel a anunciar nos vários blocos diários do B2020. A surpresa surge logo de seguida com a contratação de Mafalda Castro, que esteve na equipa da última edição do programa da RTP, The Voice, onde acabou por ser a revelação ao lado de Catarina Furtado e Vasco Palmeirim. A influencer e responsável pelas manhãs da Mega Hits também está na equipa do novo Big Brother, sendo, segundo a direção do canal, uma aposta que chegou ao canal para ficar. Agora e sem se esperar, Ana Garcia Martins, a conhecida blogger A Pipoca Mais Doce, surge como comentadora residente do reality show e a grande promessa Maria Botelho Moniz, que nos últimos anos tem mantido um papel ofuscado na SIC, troca de canal e deixa a reportagem do programa de João Baião e o comentário no Passadeira Vermelha para ser uma das apresentadoras dos blocos do BB2020.

Há um mês estes nomes eram inesperados de ser chamados pela direção da TVI, agora começam a fazer sentido através dos pontos fortes que a equipa de Nuno Santos tem revelado sobre o futuro do canal. O lema é «a mudança começa agora» e até os rostos centrais do canal parecem estar em renovação para baralhar, dar de novo, intercalando com a apelidada novidade de quem promete e não teve até aqui a oportunidade de se destacar. Estes nomes, e mais uns quantos que devem estar para surgir, são o futuro da televisão e é nessa visão que parece estar o destaque do canal que caiu e agora tem a ambição de continuar a levantar o que correu mal em mais de um ano para voltar a ser o que era. 

O Ricardo está na SIC!

ricardo araujo pereira.jpg

 

2020 começou e ao terceiro dia surge uma grande mexida no panorama televisivo, algo que já era bem previsível acontecer. Ricardo Araújo Pereira e toda a equipa do programa que até aqui era transmitido pela TVI24, o Governo Sombra, deixam o canal de Queluz e iniciam funções no ecrã da SIC já no próximo dia 10 de Janeiro.

Uma contratação de luxo, que desde a última gala dos Globos de Ouro se fazia sentir. O ano terminou e a mudança aconteceu graças à finalização dos contratos com o antigo empregador. Ricardo Araújo Pereira regressa assim em grande ao canal onde já fez bastante sucesso com as diversas temporadas dos Gato Fedorento. Para já o humorista ficará somente com o Governo Sombra, ao lado de Pedro Mexia, João Miguel Tavares e Carlos Vaz Marques, estando previsto estrear novos formatos no universo SIC ao longo do ano.

Este salto do Ricardo da TVI para o atual canal líder não me espanta nada. Primeiro, não vi que a direção do canal que está prestes a ser comprado pela Cofina o tenha aproveitado de forma correta nos últimos meses. Tudo parecia ser uma grande aposta com o Gente Que Não Sabe Estar, no entanto com a época balnear, a direção do canal resolveu colocar em repetição o formato, cansando e desgastado, fazendo com que um programa vencedor tenha sofrido com o cansaço do público, levando a que o seu regresso de forma diária tenha sido deixado de lado pelos telespetadores que seguem o trabalho do humorista. Como continuar a ver quando o próprio canal gastou um formato que teve tudo e foi estragado em menos de nada?

Acredito que muito boa gente que ainda segue nos comandos dos canais televisivos ainda não tenham entendido que os telespetadores de hoje não aceitam o que viam há cinco anos atrás. O panorama mudou, as apostas têm de ser consistentes e não feitas de hoje para amanhã, as repetições não pegam e o facilitismo muito menos. É necessário fazer bem para vencer, começaram bem e estragaram tudo, a saída do Ricardo Araújo Pereira do canal era mais que previsível e ai está o resultado...

O Programa da Cristina já estreou!

 

o programa da cristina sic.jpg

Ao abrirem este texto irão pensar que irei falar abertamente sobre a nova aposta das manhãs da SIC, mais uma, perante a contratação de Cristina Ferreira. Mas não, isto porque para além da primeira parte do programa, não consegui ver o que se seguiu, percebendo que pareceu mais do mesmo mas com um upgrade onde o velho remodelado e o novo ajustado acabam por ser a continuação e mais do mesmo tanto na SIC como na TVI. 

O Programa da Cristina estreou hoje, 07 de Janeiro de 2019, e os primeiros minutos, com conversas sobre bidés e lavagens de partes intimas com António Raminhos a aparvalhar fizeram-me pensar na disparidade sobre o conteúdo do formato e o público mais elitista que a SIC costuma ter e que se vangloria por isso mesmo. Será que as classes que são predominantes da antena do canal irão gostar assim tanto de ver uma Cristina a levar ao seu programa figuras que optam por levar as suas conversas para outros campos? O público que tinha na TVI não é o mesmo do da SIC e as classes sociais dos dois canais são diferentes de forma geral e há que ter isso em conta nos conteúdos dos formatos. 

Percebi a contratação de luxo que Daniel Oliveira fez ao roubar o grande trunfo Cristina à TVI que assim incorporou os quadros do canal de Carnaxide mas pensei que a aposta nas novas manhãs da SIC seria feita de forma diferente, criando conteúdos diferentes. Pelo que vi da primeira hora a intenção é seguir a linha do que Cristina fazia quando estava sozinha no Você na Tv!, aliando a isso entrevistas mais intimistas ao modo das que faz na sua revista, o que Manuel Luís Goucha já faz há algum tempo também na concorrência. As entrevistas sim, os espaços mais calmos sim, mas a gozação e piadas humorísticas dentro de espaços de debate não irão correr bem, principalmente com rostos que gostam de provocar mesmo que para isso digam o que não devem, como é o caso de António Raminhos, como disse acima. 

 

Augusta | Matias Damásio

matias damásio - augusta.jpg

Matias Damásio lança o novo disco, Augusta, dedicado à sua avó. Num momento em que o cantor deu uma entrevista a Daniel Oliveira no programa Alta Definição onde revelou vários factos marcantes da sua vida, entre eles o abuso sexual de que foi alvo quando tinha 12 anos de idade por uma mulher mais velha e o que enfrentou até o seu talento ser reconhecido, o artista tem sido assim presença assídua nos últimos dias pelos vários canais de televisão e rádio para dar a conhecer este seu novo lançamento e falar do seu percurso de vida, do passado ao que está para acontecer. 

Augusta é o nome deste novo trabalho onde o tema Voltei com Ela e Teu Olhar assumem lugares de destaque. Letras super bem escritas, trabalhadas e interpretadas, mostrando que o valor que Matias Damásio tem assumido no panorama musical não é mesmo em vão. Dedicado à avó e às mulheres da sua vida e do mundo, este novo disco é assim uma homenagem aos afetos perante quem passa na sua vida e vai ganhando um lugar especial. Para marcar ainda mais a posição que as mulheres têm na sua vida, o cantor convidou Aurea, Pérola e Claudia Leitte para participarem no disco Augusta, celebrando assim a amizade e o talento em língua portuguesa. 

Para quem acreditava que não era possível Matias Damásio continuar a surpreender, fiquem aqui com os seus novos sucessos!

Exclusivo | Baião com Cristina nas manhãs da SIC

joão baião.jpg

Nos últimos dias a bomba televisiva foi lançada com a transferência de Cristina Ferreira da TVI para a SIC. Agora e numa informação exclusiva que me foi dada e de fonte bem próxima do apresentador, posso revelar que a apresentadora não estará sozinha na condução do novo programa das manhãs da estação de Carnaxide. João Baião, que mantém o seu vínculo contratual com a SIC e que estando no ar ou não está a ganhar, irá juntar-se a Cristina na nova aposta do canal agora dirigido por Daniel Oliveira. 

Nos corredores do canal a informação sobre esta junção de Cristina com João já é sabida, não estando ainda certo quando o novo programa estreará, tudo apontando para o início de Janeiro. Para já o que é real é que os apresentadores estão escolhidos e João mantém-se assim como uma aposta no entretenimento do canal, juntando-se à antiga parceira televisiva de Manuel Luís Goucha para lhe fazerem frente. 

Lembro que João Baião regressou à SIC em 2014, após uma passagem pela RTP, tendo apresentado ao longo dos últimos quatro anos o programa Sabadabadão, ao lado de Júlia Pinheiro, Portugal em Festa com Merche Romero, Rita Ferro Rodrigues e Catarina Morazzo, sendo ao mesmo tempo aposta nas tardes semanais em Grande Tarde com Andreia Rodrigues e mais recentemente Juntos à Tarde ao lado de Rita Ferro Rodrigues. Estes formatos não conseguiram atingir a liderança nas audiências e acabaram por ser cancelados devido aos maus resultados obtidos enquanto estiveram em antena. Agora Baião voltará a ser aposta mas nas manhãs ao lado de Cristina Ferreira num tudo por tudo perante um horário há anos perdido para a TVI. 

Programas da Tarde

Daqui a umas semanas os programas que irão tomar conta das tardes dos três principais canais nacionais já estarão no ar e desta vez é caso para se dizer que a Tarde vai estar em força, pelo menos nos nomes, já os rostos que irão disputar o horário não são assim tão fortes em alguns casos. RTP e SIC estreiam o Há Tarde e o Grande Tardem respetivamente, pelos próximos dias, dois novos programas que irão competir com o já fidelizado A Tarde é Sua de Fátima Lopes. Quem levará a melhor neste novo trio de batalha? A apresentadora, a dupla ou o trio? Se por um lado Fátima Lopes já tem o seu lugar de destaque nas tardes da TVI, tendo sido sempre líder desde que assumiu a condução do programa, agora a apresentadora terá novos concorrentes no horário que poderão beliscar os valores que tem vindo a fazer.

Pela RTP Vanessa Oliveira junta-se a Herman José para relançar as horas do lanche pela televisão pública. A apresentadora deixou a SIC, onde trabalhou durante oito anos, para abraçar este novo projeto, arriscando e fazendo o que já devia ter feito há mais tempo, não para a RTP, mas sair do canal que não lhe dava o destaque merecido. A nova dupla das tardes do canal não irá alcançar a liderança pelos primeiros tempos e penso que a escolha do Herman para este tipo de programas diários pode não ser a melhor, no entanto tudo pode acontecer e o apresentador e humorista é um dos melhores rostos da nossa televisão, já tendo provado que se consegue adaptar a tudo o que lhe é proposto. Será que irão fazer uma boa parceria? Aí acredito que sim, embora não veja o primeiro lugar do lado dos dois apresentadores!

Mudando para SIC, ai a conversa é a três e a João Baião irão juntar-se a atriz Luciana Abreu e Andreia Rodrigues. João mudou-se para o canal de Carnaxide como uma grande contratação, pensando-se que iria assumir o horário das tardes a solo e não com duas companheiras de apresentação que não encaixam. Não vejo Luciana Abreu como apresentadora de um formato diário, sendo uma estrela que gosta de dar nas vistas e sem grande jeito para a conversa. Com tantas apresentadoras nos magazines semanais e nos canais temáticos da empresa, qual a necessidade de recorrer a um rosto que é na representação e música que está bem, não tendo que andar a saltitar por áreas que não são as suas, tirando o lugar de alguém que sabe realmente o que é apresentar um programa de conversas e entretenimento? Um erro a escolha da Luciana, como tal não admira a saída da Vanessa para a RTP, quando a sua anterior direcção não aposta em quem deve em detrimento das vedetas da imprensa! Além da Luciana existe a Andreia Rodrigues que volta a ser chamada pela SIC para mais um programa! A apresentadora e namorada de Daniel Oliveira tem sido convocada para vários formatos depois do sucesso da primeira temporada de Gosto Disto, mas o que é certo é que depois do programa que apresentou ao lado de César Mourão, nada mais lhe tem corrido assim tão bem em termos audiométricos para voltar a ser chamada. Não percebo a razão de uma Ana Rita Clara estar somente dedicada ao programa no SIC Mulher quando é uma das melhores da sua geração e do canal, não entendendo também o que leva ao não recrutamento dos outros rostos do Fama Show para outras coisas, sendo sempre a Andreia, a Andreia e a Andreia! Até Merche Romero, que voltou a ser recentemente uma aposta da estação, merecia mais este lugar, mas quando se tem um bom relacionamento com as direcções tudo é possível, não é bem verdade?!

Se na RTP existe uma dupla que entendo e que vai correr bem, já na SIC vejo um trio imperfeito e que parece ter sido feito para um programa especial e que se ficará por aí mesmo. No entanto é a tripla de Carnaxide que acredito que possa fazer maior estragos na sua fase inicial na liderança das tardes da TVI! Será que em Queluz se vão deixar ficar se as novas apostas dos concorrentes correrem melhor que o esperado? Sou defensor que Nuno Eiró já devia estar há algum tempo ao lado de Fátima Lopes na condução do A Tarde é Sua, mas a direcção do canal ainda não percebeu essa parte!

Pelas próximas semanas os novos e o antigo formato já estarão todos em confronto e aí sim, a guerra das audiências nas tardes da televisão portuguesa vai recomeçar!

Parabéns ao Clube do Livro SIC

Clube do Livro SICHá três anos a Guerra e Paz Editores aliou-se à SIC para lançar a colecção literária Clube do Livro SIC, através da obra Só Vivemos Duas Vezes, da autoria de Ana Martins Silva. Agora a aliança entre editora e canal já conta com 32 títulos no mercado, com mais de 330 mil exemplares vendidos, e O Informador não queria deixar este terceiro aniversário passar em branco, já que também tem sido um dos parceiros desta união de sucesso.

Com o intuito de fazer com que cada livro seja uma lição de vida, a colecção Clube do Livro SIC têm-se tornado uma referência no mercado, tendo tido a ajuda de obras da autoria de rostos do canal, como é o caso de Acreditar, Rezar, Amar, de Maria Helena, apresentadora de A Vida nas Cartas –O Dilema e Alta Definição, O Que Dizem os Teus Olhos e Alta Definição, A Verdade do Olhar, ambos de Daniel Oliveira, para se afirmar e chegar assim a outros públicos. Aliando rostos conhecidos do pequeno ecrã com nomes já com provas dadas na literatura nacional a novos autores, como é o caso de Ana Casaca com o romance Todas as Palavras de Amor e Flávio Capuleto com O Inferno no Vaticano, esta colecção tem conquistado leitores ao longo destes três anos de existência.

Para o administrador da SIC, Luís Marques, esta iniciativa que está para durar é «uma forma de prolongarmos os motivos de emoção, de divertimento e de aprendizagem que a antena da SIC já proporciona. É importante que os leitores, tal como os telespectadores, se divirtam e tenham ao seu alcance outras formas de conhecimento». Já Manuel Fonseca, administrador da Guerra e Paz Editores, esta parceria «é um exemplo de uma interacção feliz entre dois suportes tão distintos como a televisão e o livro. O segredo da colecção está na sua diversidade, com abertura tanto a conteúdos televisivos, como a conteúdos mais tradicionais do mundo do livro».

Três anos, mais de três dezenas de livros lançados e novidades a aparecerem mensalmente para conseguirem surpreender os fãs desta colecção que tem unido o universo de canais SIC com a boa literatura que se faz em Portugal!

D' O Informador seguem os votos de bons lançamentos e de um bom trabalho a toda a equipa que dia após dia tem conseguido surpreender através das iniciativas que tem feito para que as histórias que são lançadas consigam chegar e tocar de perto a quem se destinam. Parabéns à Guerra e Paz Editores e à SIC por tal junção de sucesso e esperam-se que muitos mais aniversários do Clube do Livro SIC possam ser celebrados cheios de sucesso e ambição por um futuro literário melhor e de partilha!