Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Banner billboard Saldos 2019
15
Dez18

Sob um Céu Escarlate | Mark Sullivan

| O Informador

sob um céu escarlate.jpg

Título: Sob um Céu Escarlate

Título Original:  Beneath a Scarlet Sky 

Autor: Mark Sullivan

Editora:  Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Novembro de 2018

Páginas: 464

ISBN: 978-989-8886-21-7

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Pino Lella não quer nada com a guerra ou com os nazistas. Ele é um adolescente italiano normal - obcecado por música, comida e miúdas, mas os seus dias de inocência estão contados. Quando a sua casa em Milão é destruída pelas bombas dos Aliados, Pino junta-se a uma via-férrea subterrânea ajudando judeus a escapar dos Alpes e apaixona-se por Anna, uma bela viúva seis anos mais velha do que ele.

Numa tentativa de protege-lo, os pais de Pino forçam-no a alistar-se como soldado alemão - julgando que assim o manteriam longe de combate. Mas Pino é ferido e depois recrutado, aos dezoito anos, como motorista pessoal do general Hans Leyers, o caudilho de Adolf Hitler na Itália, e um dos comandantes mais misteriosos e poderosos do Terceiro Reich.

Agora, com a oportunidade de espiar o Alto-Comando Alemão, Pino luta em segredo, suportando os horrores da guerra e da ocupação, tendo a sua coragem reforçada pelo seu amor por Anna e pela vida que ele sonha que um dia compartilhar.

 

Opinião: O tema é daqueles que não me fascina assim tanto, a Segunda Guerra Mundial, no entanto e pela veracidade com que Mark Sullivan criou cada parte da história de Sob um Céu Escarlate, consegui ficar convencido sobre esta obra desde muito cedo. Real, limpo, sentimental e tocante, este romance tem todos os ingredientes que são necessários para me conquistar enquanto leitor que gosta de apreciar um bom livro criado com gosto e não para ser mais um porque assim o é exigido. 

Em Sob um Céu Escarlate descobrimos o jovem italiano Pino Lella, que numa fase avançada da sua vida resolve finalmente contar o que viveu ao longo do tempo de guerra. Os conflitos, as mentiras, fugas, esquemas e o verdadeiro amor em tempos complicados em que o mínimo detalhe podia alterar o caminho a seguir. O motivo pelo qual os anos de silêncio perduraram na vida de Pino Lella é revelada mesmo no final desta história que conquista e perante a qual percebemos que nem tudo era e continua a ser o que parece. 

18
Set18

Isto Vai Doer | Adam Kay

| O Informador

isto vai doer.jpg

Título: Isto Vai Doer, Diário Secreto de um Médico

Autor: Adam Kay

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Agosto de 2018

Páginas: 240

ISBN: 978-989-8886-25-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Isto Vai Doer é um relato emocionante, cómico, e assustador de quem esteve na linha da frente no Serviço Nacional de Saúde britânico, numa profissão na qual as horas semanais de trabalho podem chegar a noventa e sete, em que diariamente é necessário tomar decisões de vida ou morte e a vida pessoal é relegada para segundo plano, não existindo tempo para os amigos e para relações duradouras.

Esta é a história pessoal de Adam Kay, que utilizou o seu extraordinário sentido de humor para contar a sua experiência enquanto médico interno no Serviço Nacional de Saúde britânico. Em 2010, após seis anos de formação e outros seis como médico, abdicou da profissão por sentir que as condições impostas pelo sistema eram extremas e irracionais, nomeadamente remuneração mal ajustada em relação ao nível de responsabilidade exigido, que tiveram um forte impacto na sua vida profissional e pessoal.

 

Opinião: Isto Vai Doer, Diário de um Médico não se encontra de todo dentro das opções literárias que escolho numa primeira ronda, no entanto a surpresa inicial quando dei a primeira vista de olhos por algumas páginas deixou-me desde logo perceber que iria ficar com outra ideia sobre um livro que retrata o dia-a-dia, de forma cómica mas também com algum peso, de um médico interno que integra o serviço nacional de saúde britânico. 

De médico a guionista de séries, Adam Kay estudou medicina e ficou anos entre turnos pelas urgências e consultas, perdendo momentos de vida, ocasiões familiares importantes, matrimónios e funerais das pessoas que lhe eram mais próximas, até que decidiu colocar um ponto final na exaustão que a profissão lhe causava. Após deixar o seu lugar clínico, Adam entra no mundo da ficção e é já livre de todo o modelo de saúde que pensa em colocar o seu diário de bordo disponível para todos. Alterando datas e nomes, surge assim Isto Vai Doer, como uma autêntica bomba atómica de bom humor, queixumes, azia, pressão, insegurança, alegria e preocupação sobre o que continua a ser feito numa das áreas mais importantes da sociedade britânica que demonstra muito o que se passa pelo Mundo. 

Através de uma escrita completamente despreocupada e sem preconceitos sobre o que pode e não pode ser revelado, Adam Kay revela praticamente o melhor e o pior do que foi vivenciando. Festejando as vitórias diárias dos bem sucedidos casos que entram pelas urgências e terminam entre risos e abraços aos complicados problemas sobre o que pouco já se consegue fazer nos momentos de angústia que por vezes ainda conseguem piorar. Entre o caos e o cansaço, o desassossego e as horas de sono perdidas, este profissional fez da angústia a força e dos medos a luta. 

Explicando dados, fórmulas e impressões referência entre especialistas, o autor deste diário descomplexado revela ao leitor tudo, dos momentos de simples consultas aos pormenores cirúrgicos, mas sempre sem perder o fôlego, mesmo quando se deixa abater ao longo das noites mais puxadas e após horas de serviço intermináveis. Existirá valor para pagar a quem salva vidas sem conseguir descansar, perdendo a sua própria vida para a dar aos outros? 

Isto Vai Doer é daquelas leituras rápidas onde a cada dia que passa deste diário somos levados a rir, a abrir a boca de espanto, pensando em como certas situações acontecem sem que muitas vezes o paciente se aperceba do risco que corre. A balança entre o ser pessoal e o profissional é colocada à prova nesta obra que vejo como um retrato bem elaborado de qualquer serviço de saúde onde todos protestam mas que poucos conseguem ter voz. O amor pelo que é feito perante vidas que têm de ser salvas acaba por deixar que muitos prossigam e deixem as suas vidas de lado em troca de sorrisos de «Obrigado». 

21
Dez17

Inferno em Lisboa [Flávio Capuleto]

| O Informador

inferno em lisboa.jpg

Autor: Riley Sager

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Outubro de 2017

Páginas: 384

ISBN: 978-989-8869-30-2

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Inferno em Lisboa começa com o desaparecimento de Sílvia Frattini, uma jornalista famosa, casada com um ex-político toxicodependente, ciumento e vingativo.

Rapto? Assassínio?

A Polícia abre um inquérito e o caso é entregue ao inspector Mortágua que, ao tentar descobrir o paradeiro da repórter, se vê enredado numa teia de crimes por esclarecer.

Um corpo decapitado encontrado a flutuar nas águas do Tejo, esqueletos de recém-nascidos escondidos num sótão e um vírus letal criado em laboratório dificultam a investigação e adensam o mistério.

Tendo como cenário a cidade de Lisboa e com um enredo apaixonante, este thriller é uma emocionante história de amor, traição, intriga e vingança, que irá prender o leitor até à última página.

 

Opinião: Um thriller bem português com personagens típicas e uma história que podia acontecer em qualquer lugar do Mundo. Mas é em Lisboa que Flávio Capuleto, o autor, decidiu colocar e centrar grande parte da ação de Inferno em Lisboa, dando ao escritor fictício Luís Bernardo Santiago e à jornalista Sílvia Frattini os principais papéis que a certa altura acabam por se dispersar. 

Com uma escrita leve, corrida e real, Capuleto criou uma boa base ao género de grandes sucessos internacionais, mas não desenvolveu, pecando por esse ponto. Neste momento sinto-me muito mais curioso com histórias preenchidas com grandes pormenores, lotes de personagens onde todos podem ser suspeitos e uma narrativa densa, onde cada pormenor pode revelar uma pista. Em Inferno em Lisboa tudo acontece de forma rápida, parecendo uma típica leitura de Verão, que não cansa mas que consegue entreter e ficar na memória do leitor. 

Nesta criação envolta em suspense sobre o desaparecimento da conhecida jornalista aparentemente existem suspeitos óbvios mas com o desenrolar da histórias outras figuras vão surgindo para baralhar o previamente definido onde nem mesmo o inspetor principal do caso é envolvido num circulo criativo que pode gerar alguma controvérsia quando acontece na vida real. 

14
Dez17

Atual leitura... Inferno em Lisboa [Flávio Capuleto]

| O Informador

inferno em lisboa.jpg

A Cultura Editora nasceu este ano e tem dado cartas no mercado literário com lançamentos de obras de novos autores junto dos leitores e também apostando em nomes já conhecidos. É este o caso de Flávio Capuleto que lança assim o seu novo thriller através da Cultura Editora. Após No Calor dos Trópicos, em 2012, do sucesso Inferno no Vaticano, em 2014, Amar não é Pecado, em 2015, e Corrupção, em 2016, surge agora em 2017, Inferno em Lisboa.

O desaparecimento de uma conhecida jornalista com um pesado casamento serve como ponto de partida numa investigação onde o mistério se cruza com a verdade num enredo onde o crime acontece de várias formas perante o estuário do Tejo. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não que seja a prática a recomendar obviamente o q...

  • Sofia

    A letra de médico no geral é ilegível! As empresas...

  • O Informador

    No campo profissional acho que sempre consegui man...

  • Sofia

    A nível pessoal tens o.pode de decisão de deixar a...

  • O Informador

    Quando não tenho empatia inicial na vida não tento...

Mensagens

Pesquisar