Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

sveva-casati-billboard

«Não percebi o psicólogo»

05
Ago18

cristina bruno de carvalho.jpg

A edição de Agosto da revista Cristina contém quatro entrevistas a homens bem conhecidos da sociedade portuguesa, nas mais diversas áreas. O comentador, escritor, político e professor Miguel Sousa Tavares, o modelo Luís Borges e o ator Bruno Cabrerizo são os destacados, mas a entrevista que maior interesse suscita neste leque é a de Bruno Carvalho, o antigo presidente do Sporting que neste momento não se sabe bem se é ou não candidato para tentar regressar ao lugar a que tanto está agarrado.

Cristina Ferreira fez a entrevista a Bruno e o que vos posso dizer é que existe uma conversa bem dirigida e trabalhada mas onde a maioria das respostas soam bastante a falso. Isto já não será novidade para quem tem acompanhado toda a novela protagonizada por este senhor. Mas um dos apontamentos que destaco é a frontalidade com que Cristina questiona, e passo a citar, «Já foi à procura de uma coach, de um psicólogo ou de alguém nesta fase?», obtendo a resposta, «Não percebi o psicólogo. O psicólogo era para...?»... Ups, será que o Sr. Bruno não percebeu mesmo a questão tão direta que lhe foi colocada por uma mulher sem medos de tocar na ferida? Então Cristina retoma, «Pode pedir ajuda a quem quiser. Para o encontrar. Para perceber o que está mal». Bruno responde alegando ser católico e estar muito bem com a sua família, não precisando de apoio psicológico. 

A questão foi feita quando já passaram uns meses desde que os problemas no Sporting deram origem a toda a polémica que irá continuar pelo menos até Setembro. Muitos dizem que o senhor não se encontra bem a nível mental para ter feito e dito tanto disparate nos últimos tempos, mas pelos vistos o próprio achou esta questão tão direta um quase erro da sua entrevistadora. Pelos vistos o lema de que todos estão mal menos ele e as suas abelhas de estimação continua e assim prevalecerá mais uns tempos. 

O cancro na Cristina

05
Fev18

cristina rebeca.jpg

Muitas capas que marcaram a revista Cristina já foram para as bancas, mas esta, a que a partir do próximo dia 7 de Fevereiro irá estar disponível em todo o país, é para mim a capa das capas. A cantor Rebeca, de 38 anos de idade, volta a enfrentar o cancro pela segunda vez e é com a doença que decidiu ser capa da publicação mensal. 

Cristina Ferreira revelou pelas redes sociais a capa do mês de Fevereiro da sua revista, deixando um pequeno texto que vos passo a citar a acompanhar a imagem. «Fiquei sem chão. Era o último dia do ano e abri o meu email. Tinha uma mensagem da Rebeca, a cantora portuguesa. "Como é possível ter outro cancro? Ainda agora comecei a quimioterapia e, se estar sem cabelo é doloroso, os outros efeitos secundários são horríveis. As únicas pessoas que sabem são a minha família, alguns amigos próximos e agora tu."».

Tal como a apresentadora disse, fiquei também sem chão quando vi, de um momento para o outro, a imagem de capa, a fotografia que irá mostrar que o cancro tem um rosto entre tantos outros que sofrem diariamente para ultrapassarem uma doença que continua a prevalecer com grande peso na sociedade atual. Rebeca é o rosto do cancro e foi na revista Cristina que a cantora quis desabafar e contar a todos o que enfrenta atualmente. 

Depois de muitas capas que deram que falar, polémicas e ousadas, a equipa da revista volta a surpreender e para mim, esta é a capa mais tocante e que me deixou a pensar durante o primeiro impacto. Acredito que este tema seja dos mais fortes que poderiam ter destaque na capa da publicação e ainda agora, uns minutos após ter sido apanhado de surpresa por esta imagem e consequente notícia, sinto-me meio a leste, como se a Rebeca fizesse parte do meu grupo mais próximo de amigos. Uma sensação estranha, talvez pela forma como fui apanhado de surpresa, tal como deverá estar a acontecer a muitos neste momento!

Drag Queen na capa da Cristina

05
Jan18

cristina revista.jpg

Ano novo e novas edições da revista Cristina a caminho! Para iniciar 2018 a lutar contra o preconceito, a equipa da publicação dirigida por Cristina Ferreira volta a surpreender os leitores e convidou uma drag queen para a capa de Janeiro. 

Tiago, cujo nome artístico é Stefani Duver, é o convidado para abrir o ano da revista. Sendo um dos rostos principais do bar Finalmente, no Príncipe Real, em Lisboa, fazendo também sucesso pelas redes sociais onde mostra o seu dia-a-dia sem qualquer tipo de pudor, Tiago mostra-se agora como é nas páginas da publicação mensal.

O artista deixou um comentário no seu perfil de Instagram mostrando-se bem e feliz por ser a capa da revista Cristina. «Para quem nunca acreditou em mim, para quem se afastou de mim, para quem nunca me valorizou tão pouco, obrigado, foi graças a vocês que consegui estar onde estou hoje. Dentro desta revista, está um bocado de mim, e a partir de sexta feira será vossa», desabafou.

Stefani Duvet é assim a capa de Janeiro da revista Cristina, mostrando um pouco mais de si através de imagens e numa entrevista onde revela a sua história de vida, onde fala do preconceito e das suas paixões onde além de se profissionalizar como drag queen também é modelo e DJ.

Sensualidade de Lili Caneças

06
Nov17

lili-canecas-edicao-novembro-revista-cristina.jpg

Se existem meses em que a capa da revista Cristina tem um entrevistado sem grande interesse junto dos leitores, existem edições da publicação em que parece que Cristina Ferreira e a sua equipa editorial têm um ataque de baboseira e acabam por gastar quatro rostos interessantes de uma só vez! Em Novembro tal facto é novamente notório e após um mês com uma capa com a mulher do treinador Rui Vitória como destaque, eis que agora surgem quatro capas, para escolha do leitor onde Lili Caneças divide o estrelato com um modelo, Virgul posa ao lado de Cristina, Ljubomir é entrevistado pela sua mulher e Alexandra Lencastre deixa-se questionar por Manuel Luís Goucha. Existia mesmo necessidade de colocar uma Lili, um Goucha, uma Lencastre, o Ljubomir e Virgul a disputarem a melhor capa num só mês quando no mês anterior tiveram tão má escolha? Este é daqueles casos do 8 e 80!

Mas apetece-me comentar um pouco mais sobre a edição de Novembro da revista Cristina, isto só pelas capas! Quem terá pensado na beleza espontânea de colocar Lili Caneças bem esticada e em modo sensual - será possível - em grande destaque? A senhora poderia ter honras de capa mas sentadita, com o seu abajur louro bem personalizado e em destaque, tal como é conhecida, não existindo necessidade de ser apresentada esta imagem ao público que deveras irá fazer a sua escolha entre as quatro opções, mas esta deverá ser a última da maioria, acredito. Uma imagem de mau gosto, muito sinceramente, não pela convidada que até acho uma figura interessante do panorama social nacional, mas sim pela sua pose, vestimenta e modo como a sessão fotográfica parece ter sido elaborada!

A Cristina contra o Preconceito

06
Jul17

cristina julho.jpg

No mês de Julho a revista Cristina volta a arriscar e surpreende com duas capas que pretendem mostrar a luta contra o preconceito onde, como diz a descrição no portal da publicação, «celebram o amor, vivido da forma que cada um sente».

A apresentadora da TVI e a sua equipa editorial arriscaram e chegaram onde em Portugal nenhuma publicação conseguiu tocar, estando «Cientes da probabilidade de existirem alguns comentários menos felizes, a equipa Cristina soube, desde logo, o quão importantes estas capas poderiam ser, ao tornarem vidas mais felizes e vividas em liberdade. Este é assunto que ainda é tabu. Há quem diga que é mais fácil aceitar a manifestação de amor entre duas mulheres, do que entre dois homens. Afinal, o que é que choca mais?», partilharam. 

E como esperavam, os comentários são tão distintos como a sociedade. Se uns aplaudem estas duas capas, muitos há que deitam abaixo e mostram que por detrás de um teclado são muito mais diretos que diretamente, tal como pode ser visto pela imagem que se segue. As opiniões dividem-se e entre a capa de dois homens a beijarem-se e a de duas mulheres, as críticas negativas e preconceituosas recaem essencialmente na dos homens. Será assim tão diferente para as mentes retrógradas verem dois homens e duas mulheres a beijarem-se?

Entrevista de Judite para a Cristina

05
Mai17

cristina judite.JPG

Três anos após a morte do filho, Judite Sousa encontrou o momento para dar a sua primeira entrevista onde fala da morte de André e se confronta com o passado profissional e o seu atual estado pessoal e dentro da TVI. A jornalista foi convidada duas ou três vezes por Cristina Ferreira para ser capa da sua revista, mas só agora contactou a apresentadora de Você na Tv! porque tinha chegado o momento de abrir o coração. 

Imediatamente comprei a revista para ler esta entrevista, talvez uma das mais aguardadas, e confesso que não fiquei dececionado. Li a conversa entre Cristina e Judite enquanto tomava o café da manhã e tenho de revelar que não consegui controlar a emoção num local público. Esta é uma entrevista emocionante e sincera onde se começa por um passado profissional que começou aos 18 anos e que levou a uma perda de parte da juventude que acabou por não ser vivida. Do Porto, de onde é natural, para Lisboa, onde assume ter passado por uma fase complicada para encontrar o seu lugar dentro da RTP, Judite mostra-se uma mulher marcada por um passado onde viveu bastante para o trabalho e deixou a vida pessoal de lado. Hoje, e após três anos da morte do filho, o rosto de Informação da TVI revela-se uma mulher que procurar viver «sobrevivendo» por esperar «muito pouco da vida».