Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Era uma vez... Uma ideia

  Nos momentos em que me encontro no estado meio adormecido, mesmo naqueles minutos antes de fazer a passagem para o sono, por vezes vou pensando no dia que passou mas também são nesses breves minutos que surgem, em algumas ocasiões, ideias e temas que podem surgir como base para futuros textos.  A mente divaga, quase que acaba por escrever todo o texto que podia ser publicado, idealizando início, meio e fim, acrescentando e tirando partes, e como não anoto esses pensamentos no (...)

Literatura alterada pela realidade

  O ciclo em que todos vivemos atualmente, devido ao surto de Coronavírus, tem feito com que o isolamento social aconteça e com isso a nossa vida levou uma grande alteração de rotinas e hábitos que tiveram de ser bastante ajustados à nova realidade que parece tardar em passar. Com esta quarentena forçada com que quase todos temos de viver, começou a existir tempo para serem feitas outras coisas ou alterando o que já acontecia. Num certo ponto, na literatura, a maneira como olho (...)

Livre divagação

Não sei que escrever, olhando para a tela do ecrã, onde o fundo branco aparece somente com as opções de publicação do blog e penso que hoje o tema não surge, as palavras desvanecem e a inevitabilidade de não criar texto aparece porque de um momento para o outro tudo parece já ter sido contado, reformulado e voltando a tocar em temas que vão sendo repetidos porque algo de novo pode ser revelado a quem está do outro lado. É assim que penso quando escrevo inevitavelmente este (...)

O desenrolar de um blogue

Há dias conversava com uma amiga através do Twitter sobre a hipótese de lançar um blogue de moda e desenho, as duas paixões que tem tido na sua vida. Dei-lhe algumas dicas e disse-lhe o que penso e tenho vindo a sentir ao longo destes dois anos em que formei O Informador, falando-lhe das alterações que fui fazendo e mostrando que a primeira criação não é mais o que anda a ser feito (...)

Acreditar na mentira

Enfrentam-se pessoalmente a si próprios só porque sentem necessidade de mentir sobre atos e decisões que tomam como se os outros tivessem alguma coisa que saber as suas vidas. Porque se criam tantas histórias para se esconder algo que todos sabem e que o principal peão acha que todos acreditam nas suas invenções?! É tão engraçado ouvir uma narrativa ser contada e saber que ninguém está a acreditar no que é relatado mas que todos fingem que sim, que aquilo é uma verdade do (...)