Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

07
Mar19

Quem lá vem? Pessoa indesejada!

O Informador

pessoas indesejadas.jpg

Há uns dias, num parque de estacionamento do supermercado estava em conversa com uma amiga e de um momento para o outro ambos devemos ter pensado o mesmo quando um carro se aproximou justamente para estacionar num dos lugares bem próximos de nós.

O instinto de ambos surgiu praticamente em simultâneo quando percebemos quem era o condutor daquele veículo, um senhor bem chato, mentiroso e metido que nem um nem outro queria aturar. Conclusão, tivemos a mesma expressão, despedimos-nos e seguimos cada um a sua viagem. Tudo isto para que o Sr. Chato não nos visse para fugirmos dos cumprimentos habituais com histórias que não te deixam quase sair do lugar por ir atrás e quase te agarrar por teres de ouvir o que tem a dizer sobre a sua vida. 

Quem lá vinha ao nosso encontro não era desejado, optando assim por seguirmos antes que nos visse e nos pregasse aquela seca que só algumas pessoas conseguem dar a quem está nem aí para as suas vitórias, mentiras e incongruências. Assim «quem lá vinha» ficou lá porque quando nos podia ter visto já nós «lá íamos» bem no fundo para não sermos apanhados na teia dos prolongados cumprimentos.

24
Jan16

Falar e Teimar!

O Informador

Existem conversas que de tão persistentes entre as mesmas pessoas que as provocam dia após dia, acabam por conseguir cansar as partes envolvidas. Uma coisa é conversar e por muito que se sinta que um bom porto não foi atingido, deixar o assunto e seguir em diante, outra completamente diferente é começar praticamente a fazer massacre com um certo tema, persistir e insistir até à exaustação, acabando por cansar quem está à volta e tem de levar com a conversa que parece um disco riscado daqueles que não conseguem ser tirados do leitor. 

Será que um bom teimoso não consegue perceber quando já chega e que não vale a pena continuar a tocar em determinados assuntos porque a resposta é sempre a mesma? Será que o tema que surge sempre do mesmo lado é assim tão importante para não se conseguir elaborar outro tipo de conversa que não contenha determinadas palavras chave, como se certas tags tivessem encontro marcado quando a conversa entre duas pessoas acontece?

Irra que cansa ouvir a mesma coisa uma, duas, três, quatro... vezes, sabendo a resposta que advém do ouvinte e percebendo que aquilo já cansa qualquer pessoa que esteja simplesmente de lado, quanto mais o que tem de enfrentar o tema hoje, ontem, sabendo que o mesmo surgirá amanhã, depois e posteriormente. 

Existe o teimoso e depois existe o teimoso que não consegue perceber o momento em que determinadas conversas de estarem tão batidas acabam por ter o efeito oposto ao pretendido.

18
Jul15

Concentração impossível

O Informador

Quando se está por algum local público, com outros seres ao redor e as conversas, mesmo não sendo dentro do mesmo grupo se começam a cruzar e a subir de tom ao ponto de não existir concentração sobre o que estamos a tentar revelar ou fazer com quem estamos torna-se numa situação complicada!

Sentado numa mesa de chá, um livro para ser lido aberto, em boa companhia e pelas mesas do lado duas conversas fluem, com um volume acima do pedido, é sinónimo de que está tudo estragado! Eu, cusco de serviço sobre vidas e pormenores do dia-a-dia, quando começo a apanhar algum dos fios condutores do que está a ser contado já não largo mais o motivo, não conseguindo depois dedicar-me na totalidade ao que antes estava a fazer ou poderia ocupar-me pelos próximos minutos. 

As conversas do lado são sempre apetitosas para serem consumidas, dando depois até algumas ideias sobre algo a fazer ou conhecer futuramente. Será que alguém se consegue concentrar nos seus apetrechos quando é apanhado por uma cusquice alheia e que nem lhe diz respeito? Se estão a falar alto é porque nem se importam que todos fiquem a saber de que falam, não é verdade? O problema depois reside é sobre quem perde tempo a ouvir o que não lhe pertence, não se conseguindo concentrar nas suas coisas!

22
Out13

Dia ou Noite... A preferência!

O Informador

Os anos passam e as opções vão sendo alteradas ao longo do tempo. Os dias livres, sejam de folga ou férias, são bem mais proveitosos com o tempo claro, que é como quem diz, em plenas horas diárias, deixando o nocturno para trás, porque para sair e viver na noite já lá vai o tempo!

Se tiver de optar entre deitar-me à hora normal para acordar cedo ou estender o serão e passar toda uma manhã a dormir, arrastando a noite pelo dia, tenho que confessar que levantar cedo é bem mais apetecível do que deitar tarde! Já não consigo estar acordado até altas horas pensando que depois vou dormir durante o dia, sem conseguir aproveitar as horas em que o céu está claro e agradável para se andar na rua, partilhar uma agradável conversa numa esplanada ou ler um bom livro num banco de jardim.

Antes a noite era uma atracção, mas com o passar dos anos tudo vai mudando e hoje a ansiedade para ter dias de descanso só acontece para que possa acordar à mesma hora como se fosse trabalhar, aproveitando todos os raios de sol de forma única. O dia é bem mais agradável do que a noite que cansa e, mesmo estando em boa companhia, deixa qualquer um de rastos e cansado para as primeiras horas do que há-de chegar quando se acorda!

Dia ou Noite? A minha preferência cai, sem dúvida alguma, no dia porque a noite é para meninos que adoram sair, estar à conversa na escuridão, beber até cair e não dar uma para a caixa! O meu fascínio aproxima-se cada vez mais da claridade diária que se faz sentir na minha vida!

17
Set13

Dias de descanso

O Informador

BarcoÉ tão bom poder tirar uns dias e em boa companhia partir em busca do nosso país e dos magníficos lugares que existem para visitar. Por aqui passei umas belas horas a desfrutar da paisagem, do fresco que vinha da natureza e pesquisando pelo mundo da internet, estando um bom livro ao lado também a ser lido. 

Com um bom ambiente tudo se proporciona para se poderem passar momentos de descanso, conversa, leitura e conhecimento. As horas parecem passar num ápice e quando se dá por isso já se está na altura do regresso indesejado à vida normal, a de casa, do trabalho e dos problemas da rotina diária.

O que é bom sabe sempre a pouco e o que acaba por me confortar é saber que sempre que possível posso voltar aos locais onde me sinto bem.

10
Set13

Mãe que não se cala

O Informador

Sempre que me apanha em casa algumas horas seguidas de manhã lá abre o fecho e começa a falar até mais não, como se tivesse toda uma semana à espera daquele momento para deixar escapar todas as palavras que tem guardadas. Falo da minha mãe, que não me deixa concentrar para fazer ou escrever alguma coisa porque como está sempre a falar tira-me todo o raciocínio.

É incrível porque há noite fala mas não tanto, agora quando estou uma manhã por casa, ela começa a falar e chega-se a sentar ao meu lado a contar isto e aquilo, a mostrar alguma coisa que tenha comprado, a perguntar a opinião sobre tudo e mais alguma coisa e eu que me quero dedicar às minhas coisas não consigo.

Já cheguei a dizer-lhe que assim não dá porque quero estar a ler ou a escrever e com ela sempre a falar desconcentro-me, só que quando digo isso ela fica chateada e o meu pedido só dura uns minutos porque passado um bocado já volta tudo ao mesmo. Irra!

O que tenho de fazer para estar em casa e a minha mãe não me atacar assim tanto com a conversa quando quero estar sossegado?

05
Set13

Falar pela frente

O Informador

O palavra passa a palavra nunca dá bom resultado e cada vez mais apelo a que as pessoas que tenham algo a dizer que me enviem os recados diretamente e não por terceiros que podem distorcer. Se não têm intenção de me dizer alguma coisa então também não digam aos outros como desabafo porque o segredo poderá chegar até à pessoa e pode não cair bem quando é recebido. 

Já não estou na idade do deixar as coisas por dizer e peço que os outros façam o mesmo e se existe receio da reacção é porque também não existem certezas se o que acham mal os afecta. Neste caso e se tiverem opiniões firmes tentem logo esclarecer as coisas em detrimento de deixarem pedras sobre pedras e depois andarem a mexericar sobre o assunto sem conseguirem chegar a lado algum.

Isto não é para ninguém em particular mas é para todas as pessoas que lerem este texto porque nunca se sabe quando poderão estar num pré confronto comigo por algum motivo. Aí se tiverem algo a dizer é para deixarem a conversa acontecer e não andarem com paninhos quentes e caras disfarçadas a mostrarem que está tudo bem quando a realidade é outra.

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook