Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

"Bom dia!" não custa

Bom dia

Será um custo muito grande ao cidadão comum em pronunciar, mesmo que por vezes não seja sentido, um simples "bom dia", "boa tarde" ou "boa noite"? Acho tão feio as pessoas chegarem, ouvirem um ato de boa educação do outro lado e não retribuirem por se acharem acima dos demais somente porque existem.

Pessoas, todos somos mortais, um dia isto termina com a queda de todos os peões e enquanto por cá andarmos não custa nada seguir simplesmente os bons hábitos educacionais, deixando de lado o vosso lado durão que tentam transmitir, talvez por serem uns mal amados de primeira sem capacidade para darem a volta e perceberem que do outro lado estão pessoas comuns. 

Politicamente correto

politicamente-correcto_770.jpg

Em pleno 2021 seguir a linha do politicamente correto é o mais certo? Quantos não seguem a linha de raciocínio de agradar aos outros, mesmo que combatam com as suas próprias vontades e crenças? O mais certo é seguir o que a maioria acha de correto ou definir os seus próprios ideais sem interferir com o absurdo e não aceitável?

Somos livres e embora tenhamos todos o dever e a missão de cumprir as regras básicas sociais, existem opiniões e definições que podem ser pessoais, já que existe espaço para cada um decidir por si sem ser perseguido com a perspetiva da imagem que passa perante os outros. Seguir a linha do politicamente correto defendido por uns nem sempre é o aceitável por outros. A necessidade é definir a tua forma de estar perante os outros e de bem contigo próprio, se seguires conforme as ideias que defendes essa é a tua forma correta de estar no jogo da vida, se a mesma forma desagrada a quem te rodeia porque tem regras definidas diferentes das tuas, que também não ultrapassam a liberdade de cada um, isso já é problema que tem de ser resolvido interiormente do lado de lá sem a tua intervenção, para que aceite visões diferentes.

Fachadas de elogios

likes.jpg

Agora o ficar bem perante a imagem para com os outros parece resumir-se aos elogios gratuitos e muitas vezes sem presença de sabedoria sobre a verdade dos factos. Tens que elogiar o próximo para ganhares uns pontos na classificação social perante a qual lutas por um lugar de mérito e tudo o resto não importa. Elogios sem conhecimento são os agora apelidados por sabedoria do próximo somente por fachada, já que pelo conteúdo poucos se importam, desde que a primeira impressão seja positiva, o que surgirá de seguida não interessa para nada.

Rotina mesmo de quarentena

rotina-1564778575274_v2_1253x836.jpg

 

Os dias em tempo de isolamento tornam-se cansativos mas mesmo assim não deixo de fazer o meu horário mental de forma diária, tentando seguir à risca sem existirem grandes contratempos, logo agora que a vida é praticamente sempre mais do mesmo.

Acordo cedo porque a junção entre corpo e mente assim o exige por não conseguir dormir muito e assim o dia começa logo também com o rair do sol quando podia estar até mais tarde a desfrutar da amizade com a cama. Ao levantar cedo e ao tomar pequeno almoço percebo através do estado do tempo como se seguirá o meu dia. Se estiver a chover de manhã e tarde fico logo a saber que não irei sair sequer. Agora se o sol espreitar visto o equipamento de treino e lá vou eu, a solo, caminhar e fazer exercícios por caminhos mais isolados e no meio da natureza. Hora e meia a desfrutar da companhia dos sons naturais que nos são permitidos a quem vive mesmo ao lado do campo e que ajudam nestes tempos a desanuviar um pouco. Já de regresso a casa e banho tomado, a manhã vai acabando por passar, chega o almoço e a tarde é descontraída mas pensada. Geralmente começa entre séries até ao lanche, depois leitura e escrita até o sol se pôr e o momento do jantar chegar em mais um dia. Caindo a noite, é tempo de voltar ao pijama, ver o noticiário, assistir à novela e voltar depois aos livros ou séries, dependendo do estado de espírito para com as histórias que me estão a acompanhar nos dois campos.

Preciso de Abraços!

b37f2551049335.58e1366733f2b.png

 

Não sou uma pessoa de abraços e mimos espontâneos e hoje afirmo de forma rápida...

Preciso de Abraços!

Sim, necessito urgentemente de receber abraços, daqueles bem apertados e que geralmente me deixam até meio desconfortável. Quando tudo isto terminar quero abraçar todos os que me estão a fazer falta nestas longas semanas de quarentena, sem contacto, sem conversas reais e onde a proximidade me tem feito tanta falta.

Preciso de Abraços, de todos, dos que me são próximos e de quem aparecer pelo bem, o importante será perceber e sentir que todos enfrentamos o mesmo desafio e que saímos ilesos desta situação conturbada que nos fez perceber que nada nem ninguém está seguro quando um poder superior impera e coloca toda a civilização a refletir e a caminhar num sentido onde necessidades e valores seguem rumos semelhantes.

Ai, que me custa!

despertador.jpg

Uma verdade é esta! Ir trabalhar cedo é bom porque também mais cedo consigo regressar para casa, mas habituar-me a não entrar logo às 09h00 tem feito com que acorde sem despertador e muito mais bem disposto. Quando é necessário acordar cedo e com o telemóvel a servir de alarme, eis que a má disposição matinal ataca para ficar em modo Gru, o Maldisposto. 

Eu, que até gosto, de chegar cedo a casa, estou a ficar cada vez mais habituado a aproveitar a manhã, acordando sem horário certo, fazendo o que tenho a fazer com calma e depois seguir para o trabalho mas já bem acordado. Entro mais tarde mas saio também mais tarde, o que me prende a fazer alguma coisa ao serão, mas não se pode ter tudo não é?