Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

18
Ago20

Anonimato negativo

21563818_74fhF.jpeg.jpg

 

Vamos lá ver se os anónimos desta vida deixam de chatear com um chamamento mais alargado e exposto sobre um dos comentários que surgiram por estes dias e que passo a citar. 

"Se diz "gostava de voltar a viajar", é um assunto privado seu. O que faz na sua vida privada, é um assunto seu e assim não percebo porque devemos saber isto. Parece que agora devemos saber "tudo" o que não tem interesse, preocupante!", isto como comentário ao texto Gostava de voltar a viajar, que publiquei por estes dias. Respondi claro, e como podem ver, mas de facto fiquei sem perceber a razão deste anónimo sem rosto se querer manifestar com picardias deste estilo quando nem consegue dar a cara pelas suas palavras. 

Perante este comentário que me foi deixado no texto tenho a dizer e quero perceber até que ponto concordam comigo. O Informador é um blog pessoal, certo? Num espaço online que é meu e onde sempre mostrei partilhar o que quero e bem entendo tenho o direito de escrever e publicar o que bem me passa pela cabeça e acho razoável e aceitável, quando e como quero, certo? Posto isto, qual o motivo deste e de outros anónimos da vida aparecerem para criticarem quando somente podem não ler, deixar de seguir e desaparecerem das redondezas se não gostam do que lhes aparece pela frente?

Não entendo o quanto estes seres negativos tanto abundam pelas nossas páginas, nisto de blogs e redes sociais, somente para tentarem espalhar alguma da sua azia na vida com quem se sente bem com a sua. Os anos passam e os que têm problemas em assumir as suas palavras e pensamentos continuam a deambular por estes meios. 

11
Jul20

Resposta aos comentários

opina.jpg

 

Pessoas queridas, tenho algo rápido e conciso para partilhar e gostaria de receber a vossa opinião sobre este mesmo ponto.

Então é assim... Quando chegam ao vosso blog ou redes sociais com comentários respondem aos mesmos, certo? Pelo menos por aqui sempre tive o hábito de responder sempre que se justifica e quando não é o caso deixo marca em como vi o comentário deixado. O que me faz alguma confusão são certos seres aparecerem pelas contas pessoais, com comentários negativos e depois quando levam resposta acertiva não gostam e ficam amuados com novos comentários do estilo, 《não era preciso resposta》 ou algo como 《mesmo arrogante》. Quer dizer, chegam ao espaço dos outros para criticarem gratuitamente e sem justificação e depois querem levar com respostas fofas e especiais porque merecem ou então preferem deixar as suas palavras mas não receberem resposta como se o destinatário não tivesse visto tais partilhas.

Além disto ainda existe a parte em que certos comentadores de bancada adoram deixar a sua marca mas com perfis vazios e onde nem dão a cara, esquecendo-se que em determinados casos a forma de escrita e os erros gramaticais são detectáveis e a surpresa é que indicam por vezes com alguma certeza de quem se diz muito inteligente e se mostra um bom amigo e seguidor nas redes sociais e blogosfera. Anonimato para criticarem a parte negativa e só dar a cara do lado do bem? Não gosto que funcionem assim queridos!

24
Jun20

Convite para o TikTok

tiktok.jpg

 

Já te convidei para me seguires pelo Facebook, Twitter e Instagram e sempre tens seguido a sugestão dentro das plataformas onde tens conta. Agora, e uma vez que há uns tempos aderi ao TikTok, deixo-te aqui o convite para também me acompanhares na rede social que acredito que seja a mais absurda a que já aderi até hoje. 

Hesitei, como fiz com as reticências em criar contas nas restantes redes sociais, mas lá cedi em tempos de pandemia com a quarentena a fechar-me em casa. Criei conta, comecei por ser visitante para também ver como tudo acontecia, até que fiz de forma bem parva o primeiro vídeo com um ataque ao frigorífico. A partir daí não mais parei e nos dias que correm sou um pouco influenciado pelos vídeos virais do momento, fazendo as minhas gravações de áudios portugueses e brasileiros, gostando também de usar diversas conversas ou falhanços televisivos de hoje e de outros tempos. Futuramente tenho ideia de criar os meus próprios originais, com texto meu para também me poderem recriar posteriormente, mas por enquanto vou seguindo a onda do que vai surgindo, tentando estar em cima do acontecimento.

16
Fev20

A propagação pelas redes sociais

redes sociais 2020.jpg

 

O passa a palavra de antigamente onde nas ruelas e cafés de esquina as novidades da aldeia surgiam como cogumelos para serem partilhadas, comentadas e gerar falatório por uns dias, agora surge pelas redes sociais, fazendo ao mesmo tempo com que o tempo para se tornar assunto do momento se torne numa rápida discussão de horas. Tudo começa, é comentado e rapidamente fica no passado, mesmo as maiores polémicas do dia que surgem de forma tão rápida como desaparecem como um tema efémero na chamada aldeia global.

Hoje é tão fácil perceber o que está a acontecer, comentar com alguma rapidez sem existir o frente-a-frente e dizendo o que se quer porque no mundo online a frontalidade parece ser uma aptidão de muitos. Ser levado por opiniões alheias para rebaixar sem ter opinião própria e por vezes sem que se tente entender o que se passou. Se uns dão o seu parecer sobre determinado tema, se quem segue costuma gostar e concordar, então vão seguir a mesma ideia, não percebendo as verdadeiras razões dos acontecimentos, seguindo correntes sem verdades e sem opiniões próprias. A sociedade dos dias que correm segue comboios e quem os contrariar é visto como um opositor que de nada percebe e criticado por defender o oposto da maioria. Não podemos ter opinião própria agora sem ter de seguir a linha que a maioria acha ou segue como exata?

 

04
Jan20

O Ricardo está na SIC!

ricardo araujo pereira.jpg

 

2020 começou e ao terceiro dia surge uma grande mexida no panorama televisivo, algo que já era bem previsível acontecer. Ricardo Araújo Pereira e toda a equipa do programa que até aqui era transmitido pela TVI24, o Governo Sombra, deixam o canal de Queluz e iniciam funções no ecrã da SIC já no próximo dia 10 de Janeiro.

Uma contratação de luxo, que desde a última gala dos Globos de Ouro se fazia sentir. O ano terminou e a mudança aconteceu graças à finalização dos contratos com o antigo empregador. Ricardo Araújo Pereira regressa assim em grande ao canal onde já fez bastante sucesso com as diversas temporadas dos Gato Fedorento. Para já o humorista ficará somente com o Governo Sombra, ao lado de Pedro Mexia, João Miguel Tavares e Carlos Vaz Marques, estando previsto estrear novos formatos no universo SIC ao longo do ano.

Este salto do Ricardo da TVI para o atual canal líder não me espanta nada. Primeiro, não vi que a direção do canal que está prestes a ser comprado pela Cofina o tenha aproveitado de forma correta nos últimos meses. Tudo parecia ser uma grande aposta com o Gente Que Não Sabe Estar, no entanto com a época balnear, a direção do canal resolveu colocar em repetição o formato, cansando e desgastado, fazendo com que um programa vencedor tenha sofrido com o cansaço do público, levando a que o seu regresso de forma diária tenha sido deixado de lado pelos telespetadores que seguem o trabalho do humorista. Como continuar a ver quando o próprio canal gastou um formato que teve tudo e foi estragado em menos de nada?

Acredito que muito boa gente que ainda segue nos comandos dos canais televisivos ainda não tenham entendido que os telespetadores de hoje não aceitam o que viam há cinco anos atrás. O panorama mudou, as apostas têm de ser consistentes e não feitas de hoje para amanhã, as repetições não pegam e o facilitismo muito menos. É necessário fazer bem para vencer, começaram bem e estragaram tudo, a saída do Ricardo Araújo Pereira do canal era mais que previsível e ai está o resultado...