Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

maria-duenas-billboard

Agressões banalizadas?!

13
Jul17

Há uns dias numa reportagem acerca de um homicídio onde o marido matou a sua esposa numa aldeia algures pelo país o jornalista questionou três vizinhos acerca da convivência do casal e as respostas não podiam ser mais unânimes. O problema é que fiquei a pensar no quanto complicado deverá ser aquele bairro.

Então não é que as três pessoas inquiridas pelo jornalista com a questão se ao longo do tempo ouviam o casal a discutir afirmaram que sim e que isso é o normal acontecer entre casais! Primeiro, não ando a ouvir os casais que vivem ao meu redor a discutir porque se o fazem não deverá ser aos gritos para todo o prédio e rua acompanharem e depois dizerem que é normal isso acontecer é logo meio caminho andado para mostrarem o que dentro das suas próprias casas se passa.

Sim, ok, todos os casais têm as suas quezílias, mas que tenha dado conta não se anda aos gritos para que a vizinhança, como era aquele caso, possa ouvir o que se passa dentro de quatro paredes. Depois os inquiridos além de dizerem que sabiam, mais ou menos, o que se passava ainda conseguiram deixar escapar palavras reveladoras acerca das suas próprias vidas conjugais.

Maluca ao balcão

19
Ago15

Ruas antigas do centro de Évora! Um restaurante com sete ou oito mesas para servirem refeições! Um casal, ela ao balcão e ele na janela da cozinha! Entro no estabelecimento a pensar que seria ali que íamos jantar no serão de Sábado! As mesas estavam quase todas ocupadas com pessoas à espera para comerem! A senhora discutia com o marido em português e francês! A mesma senhora quando me viu espetou-me o dedo a sinalizar que já não havia espaço para nós pelas vinte e uma horas para comer! Uma faca na mão, um pão para ser cortado, uma má criação, uma discussão, as pessoas a olharem e eu a voltar para trás para ir a outro local!

Será o marido ideal?!

16
Nov14

Uma jovem mãe que trabalha e cujo marido não mexe uma palha em casa para a ajudar com a criança é algo que não consigo compreender. Estamos em pleno século XXI, o casal trabalha e quando ela chega a casa tem de fazer tudo sozinha e ainda cuidar da criança para o maridinho estar sentado no sofá a ver os seus jogos de futebol, tendo ainda a lata de lhe dizer que não consegue tratar da filha e que não sabe fazer nada pela cozinha. Tenham dó, mas um casamento ou união de facto assim não conjuga com o meu ideal de matrimónio, muito menos quando uma família cresce e só um tem o encargo de fazer tudo e mais alguma coisa porque o outro além de dizer que não sabe fazer ainda diz ter nojo de tratar da muda das fraldas da filha.

Pode-se chamar a isto de união perfeita quando o homem ainda acredita que vive na época dos seus avós ou bisavós onde as lides domésticas e as crianças eram obrigação exclusiva da mulher? Quando ouço certas conversas como se tudo fosse normal o meu estômago acaba por se revoltar com tanta pala que as raparigas deixam que lhes coloquem, aceitando tudo o que os seus namorados, companheiros ou o que lhes queiram chamar acham de correcto.

Será que elas acreditam mesmo que um marido que não levanta o rabo do sofá para nada é o ideal para o seu futuro onde serão as trabalhadoras, donas do lar, mães e tudo o que eles desejarem, esquecendo-se que são mulheres com tantos direitos e deveres como os que fazem delas o que querem, fazendo-lhes crer que isso é o correcto?!

Ainda há muito a evoluir na sociedade dos tempos modernos!

A febre sobre As Cinquenta Sombras de Grey

15
Nov14

O livro As Cinquenta Sombras de Grey já foi lançado há alguns meses tendo levado milhões de mulheres por todo o mundo há loucura pela forte história de amor, sexo e sadomasoquismo descritos na obra. Agora que o filme inspirado no livro está prestes a encher as salas de cinema, a febre volta a assumir o seu lugar e elas voltam a estar eufóricas. A razão de tanto entusiasmo era o que gostaria de perceber...

Qual será a verdadeira razão para as leitoras ficarem tão rendidas a este livro de teor erótico que fez as delícias de muitas e que agora volta a estar em destaque pelas livrarias e mesas de cabeceira mundiais? Acredito que muitas fãs de As Cinquenta Sombras de Grey admiram a obra por esta lhes revelar o que podiam ter e não conseguem obter em casa com os seus maridos, talvez por vergonha e preconceito de serem arrojadas dentro de quatro paredes. Será que este tipo de literatura consegue assumir o lugar dos deveres de um casal no campo sexual, ajudando o mesmo a atingir novos pontos de ambos os corpos quando até aqui tudo parecia igual e mais do mesmo?

Sinceramente não entendo o sucesso e fascínio para com esta obra que já rendeu milhões à sua autora e que também já foi a causadora de vários divórcios onde se percebeu que em casa tudo pode acontecer em termos sexuais, não estando dois ou mais corpos exclusivamente delineados para certas posições e pensamentos. 

Mulheres que leram As Cinquenta Sombras de Grey, ajudem-me, com boas explicações, a perceber o sucesso e o entusiasmo para com a obra de E. L. James. Preciso fortemente desta ajuda compreensiva sobre um livro que não li e não penso fazê-lo!

Um casal com problemas

27
Out14

Quando se assiste a um casal, neste caso a um marido a falar de forma rude e bruta para a sua esposa pela rua o que se pensa? Que em casa as coisas acontecem da mesma maneira ou mesmo pior! Será verdade ou mentira? Tentei perceber e dizem que tudo acontece da mesma forma como na rua, existindo uma falta de bom senso para com as palavras que nem em privado devem ser proferidas a alguém, quanto mais em público e pela rua, onde todos podem ouvir e fazer juízos de valor.

O que passará pela cabeça de alguém para achar que a sua companhia de vida tem de fazer todos os passos que são idealizados por si e não por vontade própria? Como uns simples cinco minutos de atraso conseguem irritar tanto uma pessoa a ponto de proferirem más palavras aos gritos quando a mulher está à conversa com uma vizinha que encontrou antes de chegar a casa?

Faz-me uma certa confusão certas pessoas sujeitarem-se a ouvir e calar, tomando medicação para não se enervarem com o estilo de vida que foram deixando ser o seu. O que ganham quando estão com uma pessoa que acaba por não lhes conseguir dar valor e que quer que tudo aconteça à sua maneira, sem existir qualquer margem de manobra e opinião da outra parte?

Acabamos sempre por descarregar os problemas da vida e profissionais com quem está do nosso lado e isso podem dizer o que quiserem porque é a verdade, no entanto existem limites e estes problemas que tenho vindo a acompanhar passam os riscos das margens aceites. Não percebo como se pode descarregar assim com tantas palavras e birras um mal estar pessoal e levar isso para a rua, onde todos começam a reparar que algo se anda a passar dentro da vida daquele casal que parecia tão unido e feliz.

Um casal tem sempre os seus problemas porque sem eles não existem também forma de estar com tudo idílico e imaginativo, só que existem limites e esses têm de ser firmes para que os problemas de cada um não passem a fronteira do bem-estar dos outros!

Casais desempregados

22
Set14

Este fim-de-semana foram revelados vários dados que mostram que o desemprego em Portugal voltou a subir e que existem um maior número de casais em que ambos estão desempregados. Curiosamente e infelizmente na semana passada um casal, não casados, mas claramente companheiros que partilham casa e vida, inscreveram-se no meu local de emprego e quando estavam a preencher as fichas fiquei pensativo por perceber como será difícil estarem duas pessoas, talvez com os seus fundos de desemprego a terminarem, em situações tão idênticas a partilharem o mesmo espaço, não existindo dinheiro a entrar da forma como é desejada!

Um membro do casal estar desempregado e a receber ajuda do estado e ter o seu parceiro a trabalhar ainda ajuda a controlar as contas e os gastos, agora estarem os dois à procura de emprego, com subsídios mínimos, e a não conseguirem arranjar nada talvez também pelas idades com que estão, é complicado!

Neste momento a empresa não está a colocar ninguém, no entanto aqueles dois seres pareciam mesmo capazes de ficarem a trabalhar, mesmo tendo que aprender o que nunca fizeram, já que como ouvi através de um sussurro, o senhor era mecânico anteriormente e isso nem foi colocado na sua inscrição, mostrando que quer fazer qualquer coisa, desde que lhe ofereçam um emprego.

O desemprego voltou a aumentar, os casais desempregados também aumentaram e os jovens continuam à procura do seu primeiro emprego! Uma realidade pesada que o nosso país continua a atravessar, depois de anos em que a crise apareceu e parece estar a tardar em desaparecer!

Sara e Lourenço separados

12
Jul14

Conheceram-se na série Morangos com Açúcar onde fizeram de par romântico! Cinco anos depois os jovens atores que passaram o amor das suas personagens para a vida real está separado! Depois de Cláudia Vieira e Pedro Teixeira, parece que agora foi a vez de Sara Matos e Lourenço Ortigão seguirem caminhos diferentes na vida pessoal!

Mais um casal nascido na série juvenil que vê o seu amor terminar, depois de tantas mostras e juras de amor espalhadas pela imprensa e redes sociais. Os dois atores sempre pareceram unidos por algo bonito, no entanto parece que a vida profissional de cada um e as notícias mais faladas pelas revistas e jornais pelos últimos meses ajudaram a que o desgaste acontecesse.

Depois de algumas alegadas traições e saídas com outras pessoas por parte de ambos, relatadas pela imprensa, parece que os dois rostos das novelas e programas da TVI decidiram optar pelo fim da relação que os unia. Foram vistos juntos pela última vez pelas Marchas de Santo António, onde desfilaram como padrinhos de um dos bairros mas antes disso já as imagens partilhadas pelas redes sociais mostravam que os atores poderiam já não estar juntos. Agora surge a confirmação!

Desaparece assim mais um casal que deu muito que falar e sempre foi bem recebido quando apareciam juntos pelos locais onde o público lhes mostrava o carinho desejado por ambos.

Sara e Lourenço estão separados e começam agora assim um novo festival pelos jornais e revistas sobre o seu futuro e as pessoas com quem se encontram e trocam meias palavras! Adeus ao casal Matos/Ortigão! Olá aos solteiros Sara e Lourenço!