Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Tragédia privada/pública

07
Jul14

A ver vamosEduardo Cintra Torres é o comentador regular das páginas do jornal Correio da Manhã, o diário que não tem deixado de lado a morte de André Bessa, filho da jornalista Judite de Sousa. Num pequeno texto bem explícito sobre as notícias que têm vindo a público pelo jornal para o qual trabalha, não está Cintra Torres a tentar passar paninhos quentes sobre o que de mal tem sido feito pelo Correio da Manhã nos últimos dias?

Já passou mais de uma semana sobre o momento do acidente fatal e a publicação continua a encher a sua capa e várias páginas com o mesmo tema. Ora são as últimas conversas com os amigos, o local do acidente, o telemóvel com que estava no momento, o álcool com que a festa foi regada, o apoio que Judite tem tido dos amigos e familiares... Já não chegou o momento de deixarem o assunto para ser tratado por quem de direito e dever tem de o fazer? A última notícia que li, acompanhada de imagens, foi a de que até um drone - veículo aéreo comandado à distância - foi usado para mostrar o local do acidente com fotografias. Um tema que tem de sair das páginas dos jornais e revistas porque há que respeitar a dor, sendo que a família não está disposta a comentar tal facto com a comunicação social, como é normal em tais situações.

Quanto ao texto acima mencionado pela imagem, o seu autor, Eduardo Cintra Torres, mostra os dois lados da moeda de uma figura pública, fazendo-me lembrar outros casos como a situação de Sónia Brazão, o escândalo da Casa Pia com Carlos Cruz, a morte de Carlos Castro, ... Mas aqui a situação é diferente! Existiu uma morte e não está a ser pedido ao dito jornal que faça notícias sobre o caso, querendo é que o mesmo desapareça das bancas para deixar o descanso aparecer para que aos poucos se consiga voltar à vida que se deseja e que os pais nunca irão conseguir atingir como antes. Não existem pedidos de informação pública, não existe nada para contar que possa ajudar a resolver um caso de morte por acidente! Não, aqui não existem famílias a falar para os jornalistas, não existe um julgamento público, existe um pedido de esquecimento social para o bem de todos!

O A Ver Vamos de Cintra Torres bem tenta desculpar o Correio da Manhã e percebo as suas palavras, no entanto não aceito as atitudes que a direcção e redacção do jornal têm tido pelos últimos dias!

O Caso Renato Seabra: Por Detrás das Cortinas

30
Jun14

O Caso Renato Seabra

Marta Dhanis, a jornalista correspondente da TVI nos Estados Unidos, acompanhou todo o desenvolvimento do caso que levou o cronista social Carlos Castro à morte num hotel de Nova Iorque a 7 de Janeiro de 2011. Agora, depois da sentença do juiz e júri no tribunal ter ditado que Renato Seabra é culpado, o livro da polémica é lançado pela Chiado Editora com o título O Caso Renato Seabra: Por Detrás das Cortinas. Eu já o li e deixo aqui a opinião sobre o mesmo!

A jornalista que acompanhou o caso desde o primeiro minuto contou tudo de ponta a ponta sobre o início das férias do casal até ao dia do julgamento final, sem deixar escapar as conversas escritas que teve com Renato Seabra algum tempo depois de tudo ter terminado judicialmente. Marta revelou os pormenores confirmados por si própria sobre os dias antecedentes à morte de Castro, descreveu o local do crime, tal como o estado em que o quarto foi deixado após o momento fatídico. A autora de O Caso Renato Seabra vai mais longe e revela o passado do jovem homicida, contando o início das relações homossexuais com familiares e vizinhos, mostrando que muita coisa contada pela imprensa na altura não é a verdade sobre o caso.

As memórias, a convivência com os amigos que viram a união e cumplicidade do casal pelas últimas horas em Nova Iorque, os interveniente após o crime, o taxista que viu um jovem sem rumo a entrar no seu veículo com um destino em mente e uma ausência de planos consistentes, uns técnicos hospitalares que deram com um Renato que tinha a sua imagem nas televisões nacionais e que o reconheceram desde logo...

Tudo, mas mesmo tudo é contado por Marta Dhanis, num livro onde os olhares partilhados entre mãe e filho em tribunal não são esquecidos, onde também as declarações médicas e psicológicas reveladas acabaram por interferir na decisão final que levou Renato Seabra a ter uma pena que pode ir de 25 anos a prisão perpétua.

Um livro descritivo sobre uma situação real que todos acabamos por conhecer através da imprensa nacional e internacional, escrito de forma ágil e direta, sem artimanhas gramaticais de forma a contar diretamente a verdade tanta vez implícita por outras histórias. Família e amigos de Seabra não gostaram de ver as suas vidas expostas desta forma e ai concordo com tais opiniões, no entanto defendo que este é o livro da verdade, tal e qual como ela aconteceu e ainda está a acontecer neste exato momento.

Sinopse

O caso fez manchetes no mundo inteiro. Um corpo mutilado é encontrado no quarto de um hotel de 5 estrelas em Nova Iorque.

Uma história com os ingredientes perfeitos até para o tablóides da ‘Big Apple’: sexo, dinheiro e homossexualidade.

Os protagonistas: um modelo português e uma personalidade do mundo do espectáculo de Portugal. Mas afinal quem é quem? Qual era a verdadeira natureza da relação entre um jovem de 21 anos e um homem de 65? E o que levou ao homicídio?

A autora foi a única jornalista a acompanhar o caso de perto, desde a noite do homicídio até à sentença do arguido. O livro conta-lhe o caso passo a passo e ainda o que se passou por detrás das cortinas, incluindo conversas com o homicida. Haverá inocentes nesta história? Haverá algum culpado para além de quem foi condenado? Como será o futuro de Renato Seabra?

Um presente... O Caso Renato Seabra

16
Jun14

O Caso Renato SeabraMeses depois de começar uma parceria onde tenho oferecido livros da Chiado Editora aos leitores do blogue, agora chegou a vez de ser eu o premiado com um mimo da autoria de Marta Dhanis, a jornalista correspondente da TVI nos Estados Unidos que tem acompanhado o caso Renato Seabra desde o dia em que foi contactada pela direcção do canal para tratar da notícia que correu o mundo sobre a morte de Carlos Castro.

Com uma história com os condimentos perfeitos para fazer manchetes pelos tablóides - sexo, dinheiro e homossexualidade -, Renato Seabra, um jovem modelo e Carlos Castro, cronista social, foram os grandes protagonistas de notícias, especulações e um caso de homicídio que muita tinta fez correr.

Marta Dhanis, a jornalista que acompanhou todo o caso de perto, desde a fatídica noite, conta agora o que aconteceu antes da morte de Carlos Castro, onde até as conversas com Renato Seabra são reveladas. Marta foi das únicas pessoas que esteve desde o início perto de todo o processo, falando com os envolvidos e com o círculo de pessoas próximas da relação do jovem de 21 anos com um homem de 65.

O que existia entre os dois? Quais as intenções de ambos na relação que mantinham? Quem é o verdadeiro culpado deste crime? Será que existem mais envolvidos no caso que nunca foram revelados? O condenado esteve sozinho na altura do crime? No futuro, como será a vida de Renato Seabra?

Várias questões são colocadas no livro O Caso Renato Seabra: Por Detrás Das Cortinas, num trabalho de investigação que começou poucas horas depois do crime ter acontecido a 8 de Janeiro de 2011.