Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

08
Fev20

Amor Sem Fim, engravidar depois da partida

amor sem fim.jpg

 

A TVI passou durante a semana e após o serviço informativo da noite a reportagem documental Amor Sem Fim, no espaço Alexandra Borges, num trabalho de Emanuel Monteiro.

Resumindo o tema de forma rápida, nesta grande reportagem uma mulher pretende com o esperma do marido engravidar. O marido faleceu com cancro, horas após casarem no hospital, tendo deixado tudo tratado para que o sonho de ambos se realizasse. O problema agora impõe-se!

Com a documentação devidamente assinada por ambos em como Ângela podia usar o esperma de Hugo para terem um filho em comum, a lei portuguesa não o permite. No entanto essa mesma lei permite a que esta mulher viúva recorra a um banco de esperma para ter um filho de dador anónimo. 

Em que país vivemos para que uma mulher com um sonho comum de um casal não possa usar o que tem do seu falecido marido mas que o possa fazer de outro homem? Qual o problema de Ângela poder dar vida a um filho desejado por ambos, mesmo quando Hugo já não está com vida, quando ao usar um banco de esperma também não existirá um pai presente no futuro da criança?

Esta mulher luta por uma alteração na lei para que possa realizar um sonho e este problema de leis e regras não se entende em pleno século XXI onde se percebe que existem falhas nos regulamentos impostos. Até quando isto vai acontecer? Ângela e Hugo fizeram tudo de forma correta nos últimos tempos da doença, casaram mesmo no último dia pelo amor sentido, ambos queriam ficar unidos para sempre, ter um filho de ambos. O futuro está a um passo e a lei não permite que esta mulher possa ter o fruto tão desejado de um amor verdadeiro.

 

 

24
Fev19

Benefícios do café para a saúde

café.jpg

Os seguidores que por aqui andam há mais tempo já sabem e quem não sabe fica a saber... Sou um pouco viciado em café. O da manhã é uma obrigatoriedade, após o almoço um hábito, o lanche um outro costume e após o jantar e para fechar o dia tem de surgir o café da noite. Ao todo pelo menos tomo quatro cafés por dia, quando não são mesmo cinco ou seis, dependendo dos tempos vagos que vão surgindo. Agora e graças à médica cardiologista Ana Luiza Lima, em declarações à publicação Tua Saúde, o que entendo como um vício até parece ter alguns benefícios. 

Ao que parece o consumo de café tem os seus benefícios para a saúde, o que deve alegrar muitos dos amantes de cafeína como eu. Então vamos lá ficar a saber que o café, consumido de forma moderada entre 200 a 600ml por dia, o que equivale a de uma a quatro chávenas, o que está dentro do que consumo, ajuda a combater o cansaço. A cafeína tem a capacidade de aumentar o poder de concentração e de alerta, ajudando assim ao desempenho de várias tarefas como a diminuição da sonolência, o aumento do tempo de retenção visual e de vigilância auditiva. 

Para além disto, o consumo adequado de café também ajuda a prevenir a dor de cabeça, tema de que já tinha falado antes. Geralmente quem está habituado a consumir em determinados horários e após as refeições o seu café e o deixa de fazer sente como que uma falha, que poderia ser definida como ressaca de cafeína. O café ao relaxar os vasos sanguíneos do cérebro ajuda a combater assim qualquer falha e dor que possa a ser sentida, sendo mesmo um ingrediente presente em vários medicamentos analgésicos no combate à dor. 

Outro dos benefícios do consumo de café está na prevenção da depressão, visto o café interferir e neste caso posso dizer que o sinto, no humor diário como uma ajuda a uma melhor disposição por ser um estimulo ao sistema nervoso central. 

05
Fev18

O cancro na Cristina

cristina rebeca.jpg

Muitas capas que marcaram a revista Cristina já foram para as bancas, mas esta, a que a partir do próximo dia 7 de Fevereiro irá estar disponível em todo o país, é para mim a capa das capas. A cantor Rebeca, de 38 anos de idade, volta a enfrentar o cancro pela segunda vez e é com a doença que decidiu ser capa da publicação mensal. 

Cristina Ferreira revelou pelas redes sociais a capa do mês de Fevereiro da sua revista, deixando um pequeno texto que vos passo a citar a acompanhar a imagem. «Fiquei sem chão. Era o último dia do ano e abri o meu email. Tinha uma mensagem da Rebeca, a cantora portuguesa. "Como é possível ter outro cancro? Ainda agora comecei a quimioterapia e, se estar sem cabelo é doloroso, os outros efeitos secundários são horríveis. As únicas pessoas que sabem são a minha família, alguns amigos próximos e agora tu."».

Tal como a apresentadora disse, fiquei também sem chão quando vi, de um momento para o outro, a imagem de capa, a fotografia que irá mostrar que o cancro tem um rosto entre tantos outros que sofrem diariamente para ultrapassarem uma doença que continua a prevalecer com grande peso na sociedade atual. Rebeca é o rosto do cancro e foi na revista Cristina que a cantora quis desabafar e contar a todos o que enfrenta atualmente. 

Depois de muitas capas que deram que falar, polémicas e ousadas, a equipa da revista volta a surpreender e para mim, esta é a capa mais tocante e que me deixou a pensar durante o primeiro impacto. Acredito que este tema seja dos mais fortes que poderiam ter destaque na capa da publicação e ainda agora, uns minutos após ter sido apanhado de surpresa por esta imagem e consequente notícia, sinto-me meio a leste, como se a Rebeca fizesse parte do meu grupo mais próximo de amigos. Uma sensação estranha, talvez pela forma como fui apanhado de surpresa, tal como deverá estar a acontecer a muitos neste momento!

12
Fev17

Afinal, o café faz bem!

Uns estudos recomendam o não consumo de cafeína, só que os cientistas da Universidade de Stanford, nos EUA, afirmaram que o café é um dos segredos da longevidade e da saúde. 

Segundo a conclusão do estudo publicado na revista Nature Medicine, as pessoas que ingerem cafeína apresentam menos níveis de inflamação no corpo, o que representa em parte as primeiras causas de doenças como a hipertensão, diabetes, Alzheimer e cancro. «A maior parte das doenças que surgem com o envelhecimento não são provocadas pelo envelhecimento mas por processos de inflamação», explicou David Furman, professor no Instituto para a Imunidade, Transplantação e Infeção da Universidade de Stanford, o responsável pelo estudo onde foram analisadas amostras de sangue de cem pessoas jovens e idosas e onde, como era esperado, os mais velhos tinham maior atividade nos genes relacionados com a inflamação. Só que no grupo de idosos os que apresentaram níveis mais baixos de inflamação tinham em comum o hábito de beberem café diariamente. Ou seja, quanto mais café se beber ao longo da vida com maior proteção se fica.

14
Ago16

Sofia, um exemplo de luta!

sofia ribeiro.jpg

Novembro de 2015 o mundo de Sofia Ribeiro parecia prestes a ruir! A atriz era informada que estava com cancro, numa fase inicial, e que teria de ser de imediato atacado para que as coisas pudessem chegar a bom porto! O país ficou a par da situação através das redes sociais e imprensa e a visão inicial que tive ao ler a mensagem de Sofia através de partilhas pelo Twitter deixou-me triste, muito triste! 

Foram longos nove meses de tratamentos, alterações hormonais, mudanças de vida, carinho e apoio por todos os lados possíveis, mas a mulher guerreira que sempre percebi estar na personalidade de Sofia Ribeiro revelou-se ao longo deste tempo em que não baixou os braços, não deixando que a doença a vencesse, lutando e enfrentando o lado negro que a enfrentou ao longo da temporada em que teve de parar forçosamente, alterando as suas rotinas, criando elos e percebendo como a vida pode ser por vezes injusta e recheada de ensinamentos forçados. 

Hoje, Sofia Ribeiro partilha através do seu mural de Facebook que a etapa pela qual passou ao longo dos últimos meses está concluída e com sucesso! Aquele sucesso que todos lhe fomos desejando ao longo desta batalha de vida que certamente a alterou perante a forma de pensar e estar na Terra!

Parabéns Sofia! Parabéns à equipa que sempre te acompanhou! E Parabéns a todos os que sempre acreditaram e estiveram do teu lado ao longo de nove longos meses que pareceram uma grande eternidade!