Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Iniciativas literárias no Alentejo

Rumar ao Alentejo em pleno Verão tem sempre algo de bom para além do descanso conseguido por terras quentes mas bem tranquilas e onde a paz de espírito parece existir. Este ano no Município de Alvito os velhos frigoríficos que já nada serviam para a sua função habitual conseguiram ganhar nova vida e aliaram-se ao mundo das letras para colocarem habitantes e turistas a lerem um pouco mais pelas ruas das aldeias e vilas.  Perante o lema «livros fresquinhos de levar ler e (...)

A biblioteca sem Guerra e Paz

  Aos 32 anos de idade e já com centenas de livros lidos, confesso que ainda não enfrentei a tão aclamada obra de Lev Tolstói, Guerra e Paz. No entanto e sabendo o peso que este texto tem na literatura mundial, fiquei espantando quando percebi que numa biblioteca nacional do nosso Alentejo não existe um exemplar de cada volume desta obra. Como pode isto acontecer, estando para mais o Guerra e Paz inserido no Plano Nacional de Leitura? Esta é daquelas situações que não se (...)

Biblioteca de pessoas

  A vida é feita de encontros, permanências, despedidas e ausências de pessoas que chegam pouco ou muito dizem para ficarem ou partirem de novo, deixando ou não a sua marca. As pessoas são como os livros que passam por cada leitor. Existirá assim dentro de cada um de nós uma biblioteca de pessoas que vai sendo composta com o passar do tempo.  Existem os livros que quando chegamos já lá estão, tal como a nossa família que nos recebe e que ao longo dos anos vamos entendendo, (...)

Em busca das chaves caídas!

Existem situações que se não acontecessem comigo talvez não acreditasse. Há uns dias fui até à biblioteca municipal de Vila Franca de Xira, a Fábrica das Palavras, que desde já aconselho a visitarem, e sentado na varanda do primeiro piso, que podem ver na imagem e que fica virada para o Rio Tejo, pensei que quando me levantasse tinha de ter cuidado com as chaves e a carteira que estavam no bolso das calças (...)

Biblioteca na árvore

O projeto internacional de pequenas bibliotecas partilhadas, Little Free Library, ganhou há pouco tempo uma nova biblioteca que resultou dos restos de uma árvore morta num jardim privado de uma casa em Coeur d'Alene, no estado de Idaho, nos EUA. Após deixar de dar sombra, o proprietário da árvore, Sharalee Howard resolveu transformar o que restou numa biblioteca, dando-lhe uma nova vida e criando um (...)

Doar literatura

Encontrei livros! Sim, encontrei dois sacos cheios de livros, no total dezanove, junto a um caixote do lixo, prontos para serem recolhidos por quem passasse ou caso contrário seriam levados e destruídos no processo comum de reciclagem.  Estacionei o carro e ao sair olhei para o lado e reparei que dois sacos estavam pousados ao lado do verde contentor de lixo comum. Poderiam passar despercebidos ao olhar como sendo lixo normal, mas por acaso um dos sacos estava aberto e reparei que (...)

Ruído na Biblioteca

Frequentar uma biblioteca tem como característica encontrar algum silêncio para que a concentração seja exata, já que o local não é um centro de convívio nem uma parque de diversões. Geralmente nas entradas existem avisos para ser mantido o silêncio, só que por vezes o problema não vem dos visitantes mas sim dos próprios funcionários. Há uns anos, quando era adolescente, para fazer tempo até apanhar o autocarro que me levava do centro do concelho para a aldeia, acabava por (...)

Do Lixo para a Biblioteca

O passado mês de Setembro assinalou a abertura de uma biblioteca pública bem especial em Ancara, a capital da Turquia. Livros abandonados voltaram a estar ao dispor de todos graças aos homens que recolhem o lixo da cidade. Tudo começou com a partilha de livros encontrados entre os trabalhadores e suas respetivas famílias, mas o projeto foi ganhando destaque e os habitantes da cidade além de começarem a deixar livros que já não queriam em casa em locais estratégicos onde sabiam (...)

Silêncio na biblioteca

Ao longo das férias alentejanas fui até ao espaço de internet da biblioteca da vila e se há coisa que me irrita é ouvir constantemente as funcionárias a pedirem aos miúdos para falarem baixo e não arrastarem as cadeiras quando depois são elas próprias a falarem alto entre si, ao telemóvel ou com quem passa na rua. Afinal de contas quem acaba por incomodar mais com o barulho? Os miúdos que estão a jogar e falam entre si sobre o que estão a fazer ou aquelas funcionárias, tão (...)

Curtas e Diretas #19

Um dos problemas das bibliotecas nacionais é universal em todo o país! Então onde andam as novidades literárias? Quando digo novidades falo nos livros que foram lançados pelas últimas semanas e meses, não das do ano passado! Assim é que querem manter o povo de livro na mão?!