Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Big Brother, a guerra das estrelas

Cristina Ferreira convocou seis armas pesadas do canal que em dupla entraram na casa do Big Brother ao longo da noite. Manuel Luís Goucha e Cláudio Ramos, Rita Pereira e Eduardo Madeira e Rúben Rua e Maria Cerqueira Gomes foram os apresentadores e atores chamados para entrarem em ação após uma semana de grandes discussões dentro do jogo. 

BBPlay com G. I. Ana com o surto de álcool da Ana Barbosa que após beber umas cervejas a mais na festa semanal resolveu iniciar a sua gritaria e atacar com os seus agudos o Pedro Guedes, isto para começar numa noite que parecia seguir tranquila. A partir desse momento a semana de liderança da concorrente não mais foi a mesma e os ataques e agudos foram consecutivos com a Barbosa a dar um triste espetáculo por tudo e por nada. Acreditando ser intocável e defendendo sempre que tinha razão ao longo da semana, só ao ver as imagens em plena gala começou a chorar como que a implorar desculpa mas defendendo que «fui eu mesma» em todo aquele drama feito. O mal está feito, a sua presença na casa junto do público está mais que queimada e agora é esperar que possa sair rapidamente e com uma boa margem para perceber que os portugueses não gostam de vencedores ingratos. Ao longo da gala ficou de cara trancada e diz-se «incompreendida» quando errou várias vezes, mesmo após terem brincado com a sua má disposição e a resposta ao Big Brother foi «já falamos» como que ameaçando a desistência. Já o mano Guedes ainda aproveitou o momento para brincar com a situação em tom de ironia, o que deixou a colega de casa ainda pior. 

Tirem-me Deste Filme voltou a destacar as picardias da semana entre Nuno e Leandro, Pedro e António, Leandro e Jaciara, Nuno e Ana, Leandro e António, Jaciara e Nuno, Pedro e Ana, Catarina e Nuno, ou seja, quase todos contra todos num jogo onde António e Ana acreditavam que iam ser os protagonistas e estão a ser pelos piores motivos por defenderem que é armando confusão que um reality show em modo Desafio Final funciona. 

Dona Cristina e seu Big Brother

big brother desafio final.jpg

O Desafio Final de 2022 do Big Brother começou há uma semana e logo adiantei que o conjunto de concorrentes convidados a entrar tinham quase tudo para que esta edição fosse um bombom em termos de polémica e foi mesmo assim que correram os primeiros dias com discussões e picardias a surgirem de vários lados e em várias frentes. Com Dona Cristina, como Ana Barbosa trata a apresentadora, a surgir decotada para mostrar a joia da coroa de milhares, os comentadores Marta Gil e Flávio Furtado a revelarem gostar desta edição eufórica do reality show com o histerismo, picardias, guerras e conflitos já existentes e ainda agora o jogo da inimizade começou. Oh que bem que os percebo por gostarem de um reality show mas envolto em polémica!

BBPlay a começar com Concorrência Furiosa - Parte 1 com António e Ana Barbosa de um lado contra Nuno Homem de Sá e Débora. Tricas da edição anónima entre António e Ana contra Débora a que se juntou agora o Nuno. Por outro lado também foi visível o embate entre Leandro e Gonçalo Quinaz numa luta de palavras e quezílias que parecem já ter antecedentes exteriores ao programa. Tudo isto sem esquecer o amor ódio também ele antigo entre Jaciara e Nuno. Os que outrora ficaram conhecidos por serem bons para discutir assim continuam e agora com novas guerras pelo meio, o que adoro como espetador. Afinal o que é um reality show polémico sem diz que diz e discussões?

O segundo BBPlay teve como título Os Básicos, uma vez que os concorrentes estavam divididos em dois grupos, os básicos com poucas regalias e os que tinham direito a utilizar todos os bens e cantos da casa. Com isto António e Ana voltaram a estar na berlinda por acharem e afirmarem que o jogo de anónimos em que entraram foi mais rigoroso que as edições dos famosos e que já estavam habituados a ficarem sem regalias, levando essa conversa em diante, o que acabou por irritar alguns dos concorrentes. 

Terceiro BBPlay de seu nome Concorrência Furiosa - Parte 2 com Nuno a mandar "passear" a Catarina e a picar vários concorrentes com o passa e mói com pequenos comentários para espicaçar e perceber quem se deixa provocar. Débora também relatou aos novos colegas o que passou na sua casa com Ana e António e viu os mesmos a gozarem consigo durante a semana. Neste momento e porque os três concorrentes surgem de uma edição de anónimos, eis que os galhardetes foram trocados em direto na gala sem hesitações e fugindo dos receios que os famosos omitem aos Domingos. Neste tema volto a frisar que vejo um António muito em torno de um só alvo, a Débora, levando a Ana atrás de si, o que poderá prejudicar ambos a médio prazo dentro da casa, uma vez que parece não existir jogo do tio sem ser dizer mal dos outros na companhia da sua confidente. 

Bruna a ter o momento confessionário a solo da noite para ver as suas melhores imagens da edição famosos de onde mal saiu para voltar a entrar nesta nova edição, tendo visto também os seus melhores momentos da semana e revelando que foi com o coração que resolveu voltar a entrar na casa logo de seguida, mesmo deixando Bernardo em espera no seu novo dia-a-dia. Bernardo também em estúdio comentou a reentrada da namorada, tendo já assimilado ter ficado cá fora por umas semanas sem ela, anunciando ao mesmo tempo que na Segunda-feira irá visitar a casa para se encontrar com a Bruna, num cenário que irá fazer lembrar a visita do Marco à Marta na primeira edição nacional do Big Brother com o recurso a uma grua, tudo para ser visto no diário da tarde do programa apresentado por Mafalda Castro. 

Também Gonçalo Quinaz teve direito a momento a solo no confessionário para os melhores e não tão bons momentos. O concorrente já começou com o choradinho das saudades dos filhos para se embelezar junto do público como um pai preocupado, mas Cristina não o deixou fugir da guerrilha com Leandro e acabou por o fazer comentar a luta de palavras como se tudo tivesse acontecido de maneira amigável. De semana não se gramam e quando chegam ao Domingo anda tudo em paz!

Débora viu a sua semana na casa, os falsos sorrisos dos seus antigos companheiros da edição anterior, os comentários nas costas, as aproximações e justificações que fez a determinados concorrentes, por jogo ou por atração... A Débora a ser Débora sem mostrar diferença do que já habituou o público, como a própria diz e a voltar a ser posta de parte por alguns concorrentes do grupo... «A Débora é isto!» e como espetador até gosto desta Débora, embora perceba que se tivesse de conviver numa casa com a querida que iria cansar facilmente!

Boeing Boeing

Boeing BoeingBoeing Boeing está de regresso ao palco do Teatro da Trindade para uma mini temporada, isto depois de ter esgotado a sala nos primeiros meses do ano e ter andado em digressão nacional ao longo dos últimos meses.

Com produção da Yellow Star Company esta premiada comédia internacional tem feito as delícias do seu público, tendo agora conquistado a minha preferência. Já o havia dito antes mas volto a repeti-lo, esta produtora de Paulo Sousa Costa tem feito um óptimo trabalho, levando a cena excelentes espetáculos dignos de todos os aplausos.

Com Boeing Boeing fartei-me de rir com tantos enganos na vida de Bernardo, protagonizados pelo próprio. Ele é o noivo de um trio de mulheres que nada têm haver umas com as outras, a não ser o facto de serem hospedeiras de bordo com horários diferentes, serem levadas pela cantiga de Bernardo e andarem num amor de enganos. Isto até ao dia em que tudo muda e onde até a empregada doméstica do conquistador vê a sorte aparecer-lhe à frente. 

Em palco estavam Sofia Ribeiro, Patrícia Tavares, Melânia Gomes, Elsa Galvão, Joaquim Horta e João Didelet, um elenco capaz de surpreender, mostrando em alguns casos que os palcos são mesmo a essência da representação. Se a tradução de Boeing Boeing esteve a cargo de Marc Xavier, a encenação ficou pelas mãos de Cláudio Hochman. Paulo Sousa Costa, o produtor, teve também o papel de adaptar para a realidade nacional este espetáculo que tem feito sucesso por onde tem passado.

Boeing Boeing pode ser vista de quarta a sábado, às 21h30, e domingos, às 18h00, pela sala principal do Teatro da Trindade. Um espetáculo que vale a pena ser visto e que me fez lembrar do sucesso que a série brasileira Sai de Baixo teve entre nós há uns anos.

Um bom momento para descontrair, colocar os cintos e ser levado pelos ares! Aconselho a quem gostar de boas comédias porque aqui existe verdadeiro entretenimento!