Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

17
Jun19

Televisão | A liderança que se foi...

O Informador

televisão.jpg

 

Chegamos praticamente a meio do ano de 2019 e as questões sobre como tenho visto o atual panorama de mudanças televisivas já me foram feitas várias vezes. Hoje apetece-me entrar numa viagem para mostrar o que entendo perante a liderança que se esfomou da TVI por terem ficado à sombra da bananeira no primeiro lugar do pódio por não sentirem uma forte concorrência que lhes fizesse frente. Agora o canal líder durante anos deixou a torre ruir em menos de nada e não venham com as desculpas que esta derrota só aconteceu devido ao salto de Cristina Ferreira da quatro para a três. 

Sim, a outrora companheira de Manuel Luís Goucha bateu com a porta do canal que a ajudou a alcançar o estrelado. Hoje entendo a sua saída. Na SIC dirigida por Daniel Oliveira, Cristina percebeu que tinha capacidade e espaço para fazer televisão como queria e a pensar no que o público quer ver e não estar ligada a formatos que ganham simplesmente porque do outro lado não existe capacidade de fazer melhor. As coisas mudaram, a direção do canal da Impresa foi alterada e a capacidade de reerguerem um projeto que andou anos perdido foi evidente desde os primeiros meses de poder. Alterações simples na grelha, contratações, arrumar de casa e Janeiro entretanto chegou. Cristina estreou e venceu, sem deixar o primeiro lugar das manhãs. Consigo ajudou Júlia Pinheiro a mostrar os conteúdos do seu programa das tardes. Com isto e porque o formato reality show escolhido aliou campo, amor e conflito, o sucesso surgiu. Não, a SIC não alcançou em 2019 a liderança somente por causa da apresentadora da Malveira. Ajudou muito sim, isso é um facto, mas o bolo foi todo muito bem embrulhado e as novas apostas estrearam a seu tempo e bem, com um bom estudo de mercado e a capacidade de prender o público ao longo da semana para as estreias que iam acontecer. Hoje a SIC reina de manhã, de tarde e praticamente anda na luta pelo horário nobre que é cada vez mais seu.

Do outro lado a TVI caiu em Janeiro, baralhou em Fevereiro, piorou em Março e quando chegou a Abril o caos estava instalado. Programas a estrear e a serem retirados da grelha sem aviso, horários todos trocados de dia para dia. Apresentadores que surgem e desaparecem dos seus formatos. Atores na apresentação, especiais pimba a torto e a direito. Estagiários a promoverem estreias tão bem que o público nem dá pelas mesmas. O que aconteceu a uma TVI que parecia tão bem e que só sobrevivia no topo por falta de motivação dos vizinhos do lado? Assim que a concorrência respirou alto a direção do canal de Queluz eclipsou, tentou e criou tanto degredo em poucas semanas que só acabaram por conseguir piorar o que logo ficou mal quando se viram a perder. Não estar preparado para sair derrotado é lixado, mas quando se vive na sombra e não se tenta fazer sempre mais, melhor e diferente o risco é um facto. Agora têm de correr atrás dos seus próprios erros e o trajeto não será assim tão fácil.

Neste momento o caminho é somente preparar o novo ano televisivo com pinças bem cuidadas, começando as alterações aos poucos como o que foi feito por Daniel Oliveira e companhia quando pegaram no início do Verão de 2018 numa SIC atrofiada pela direção anterior do canal. Será que em Queluz têm assim tanto medo neste momento de cortar todos os males pela raiz para começar de novo e não cairem ainda mais? É que a RTP anda a trincar os calcanhares em alguns dias e se continuarem assim levam mesmo com a terceira posição do seu lado. 

18
Ago18

Porto recebe Madonna

O Informador

madonna.jpg

Portugal recebe Madonna de forma permanente há mais de um ano, no entanto a artista que tem vivido em Lisboa tem feito a sua vida mais pela zona da capital, visitando cidades como Sintra e Cascais, por exemplo. O Norte, ao não ter Madonna no seu território com tanta regularidade, tem agora uma exposição dedicada à rainha da pop na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 

Esta exposição encontra-se incluída no congresso anual sobre música punk/rock, KISMIF, contendo além de imagens sobre o percurso da cantora, também peças que a acompanharam ao longo do tempo, tal como o livro Sex, revistas onde foi capa, peças jornalísticas de destaque e vídeos sobre diversas atuações. 

23
Mar18

À facada no Correio da Manhã

O Informador

correio da manhã faca.jpg

A imprensa por vezes lança notícias tão boas como os títulos que lhes dá, o que não acontece assim tanta vez é colocar na mesma linha de visão uma manchete sobre um ataque à facada a um jogador de futebol e bem perto promover que com o jornal do dia oferecem uma faca. 

Isto aconteceu e «nós por cá» conseguimos não ter o melhor, mas sim o mais lido e o mais sensacionalista jornal que tanto gosta de dar notícias sobre crimes como os acaba por promover, dando até a ideia de que ao oferecerem uma faca, uma mente mais assassina pode usa-la para esfaquear quem encontrar pela frente. 

Uma coincidência que de certo foi detetada por alguém dentro do diário imprenso mas que passou, não fosse o jornal gostar de focar os crimes nacionais e internacionais que vão acontecendo a todo o momento. 

Criminosos e assassinos deste país deixo-vos um conselho... Se querem ter ideias para os vossos atos coloquem os olhos neste jornal porque os incentivos existem e embora tentem passar que são meros erros de colocação dos vários espaços sem se terem dado conta, cá para mim, isto não passa mesmo de uma estratégia para serem falados, como o estou a fazer. 

02
Fev18

Ministério Público arquiva Centeno

O Informador

mário centeno luís filipe vieira.jpg

O Ministério Público andou a rondar Mário Centeno pelos últimos dias devido aos bilhetes oferecidos para ir ver um jogo do Benfica em troca da isenção de IMI do filho de Luís Filipe Vieira, presidente do clube da Luz, só que os dias passaram e agora arquivam o processo. 

O que me chateia neste caso é o facto de não terem dado explicações a todos nós sobre esta investigação. Se andaram a rondar e com suspeitas é porque existiam indícios e agora, do pé para a mão terminam tudo, como se o assunto nem tivesse existido e sido comentado em praça pública. 

Com Luís Filipe Vieira na Operação Lex, o Ministério Público deixa assim passar um caso que podia vir a queimar em Portugal e na Europa o Ministro sorridente e com ar de que tudo faz pela calada. Mais um caso político de possível corrupção onde se fala e nada é verdadeiramente investigado.

Afinal de contas o que aconteceu ao IMI do filho de Vieira para ter ficado esquecido logo na semana em que os bilhetes foram atribuídos? Existiu tramoia para ser tudo abafado ou afinal não passou tudo de um mal entendido e nem existia perdão ao dito valor do IMI?

Nada contra a oferta por parte do Benfica de bilhetes a quem quer que seja, o que me deixa com a pulga atrás da orelha é mesmo a conta que havia, supostamente, para pagar às Finanças e que talvez tenha desaparecido, caso tenha existido. Alguém um dia me conseguirá explicar o que aconteceu então no meio de toda esta situação que estava a começar e quando demos conta já foi?

16
Dez17

Costa leva novo chá de Marcelo

O Informador

marcelo rebelo de sousa e antónio costa.png

Portugal é um país bem ligado às memórias, embora por vezes o nosso Primeiro-Ministro se esqueça que todos sabemos o que se passou ontem, a semana passada e ao longo do ano. 

Há uns dias António Costa proferiu uma frase que lhe ficou tão bem como outras reações que foi tendo ao longo do ano. O nosso governante afirmou junto da comunicação social que «Este foi um ano particularmente saboroso para Portugal». Foi? Sabores e coisas boas aconteceram ao longo de 2017 e as polémicas e o flagelo dos incêndios ficam onde no meio de tanta coisa agradável que Costa tem visto?

Ouvi tal profanação e pensei que o senhor voltou a deixar escapar nova ideia absurda perante o país! Eis que umas horas depois Marcelo Rebelo de Sousa, senhor Presidente da República que não deixa nada escapar, reagiu e já deu novo chá, de modo suave, ao querido governante que necessita de uns bons comprimidos para a memória. Marcelo apelou para que «haja memória daquilo que aconteceu», frisando que «não haja ideia de que o ano foi todo muito bom, com um pequeno problema que foram as tragédias. Não é verdade. Houve neste ano o melhor e o pior».

Parece-me que António Costa volta não volta tenta limpar os temas desagradáveis que têm marcado o seu tempo de governação com um bom tira nódoas mas em vão. Neste momento ninguém anda tapado e o Presidente Marcelo está tão atento que atira logo o seu alfinete para mostrar que não se podem tapar os maus momentos com os positivismos que muito querem mostrar mas que pouco nos convencem. 

11
Nov17

Os jantares no Panteão

O Informador

panteão nacional.jpg

O Panteão Nacional está desde o dia 24 de Junho de 2014 ao abrigo do Despacho 8356/2014, onde foi aprovado o Regulamento de Utilização dos Espaços sob tutela da Direção Geral do Património Cultural e desde ai que o local é utilizado para receber várias comemorações, só que se até aqui tudo foi feito de forma bem recatada, com o jantar que foi organizado pela finalização do Web Summit a situação tomou proporções a nível nacional e a polémica ficou instalada com o Governo agora a querer proibir os jantares no Panteão.

panteão nacional mesas.jpg

Ao longo de três anos foi possível a empresas e entidades privadas e públicas utilizarem o salão central deste símbolo português para organizarem jantarem e eventos, só que agora, após a polémica, para António Costa, «é ofensivo utilizar deste modo um monumento nacional com as características e particularidades do Panteão Nacional», reforçando que «a utilização do Panteão Nacional para eventos festivos é absolutamente indigna do respeito devido à memória dos que aí honramos». A questão é se o senhor Primeiro-Ministro só agora teve conhecimento sobre este despacho ou se só falou após ver toda a polémica que o jantar do Web Summit tem causado junto da sociedade em geral e através das redes sociais.

Segundo consta através da comunicação social, o Ministério da Cultura quer agora proibir a realização de festas no Panteão Nacional e que o jantar da passada Sexta-feira, 10 de Novembro, no local só foi conhecido por Luís Filipe Castro Mendes, Ministro da Cultura, após a sua realização. Assim sendo, o Ministro em funções já determinou «a imediata revisão» do despacho de 2014 para que a «proibição de realização de eventos de natureza festiva no Corpo Central do Panteão Nacional» seja feita. Em comunicado foi ainda mencionado que «O Ministério da Cultura não permitirá que a utilização para eventos públicos dos monumentos nacionais possa pôr em causa o caráter e a dignidade próprias de cada um desses monumentos.» Agora pergunto... Será que o senhor Ministro e toda a sua equipa também desconheciam o despacho que deu luz verde à utilização destes espaços para celebrações e festividades?

banda-desenhada-mrec

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook