Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

universitarios-billboard

Aplaudo as aparências

  «Cala-te Ricardo! Cala-te Ricardo! É melhor estares calado e deixar o barco andar! Sim, a verdade surge ao virar da esquina, mesmo que já seja tarde! Cala-te Ricardo! Cala-te!» Esta podia ser uma das sequências do meu pensamento em diversas alturas da vida em que preciso muito de abrir a boca para dizer as verdades a alguns seres que habitam por aí mas onde o lado apaziguador me diz que é melhor estar calado que mais cedo ou mais tarde a verdade sobre a falsidade surge na tona (...)

Primeiras impressões que não enganam

Geralmente quando nos aparece alguém pela frente rapidamente é feita uma ideia geral e com pouco onde nos justificarmos perante as primeiras impressões que acabamos por recolher sobre o novo membro do grupo, da equipa ou mesmo até da família. Com o tempo as ideias pré-concebidas perante os primeiros contactos vão sendo alteradas, mas nem sempre isso acontece para melhor.  Há uns tempos entrou um novo membro para a equipa. Entrevista feita, apresentações efetuadas e o primeiro (...)

Quem sou eu?!

Sim, quem sou eu no meio de um mundo recheado de estrelas e abismados sonhadores que sabem que caminhos seguir e que trilhos percorrer? Sou eu, sei o que significo como pessoa para comigo, no entanto também sei que não tenho terreno marcado para deixar marcas sobre a minha presença entre vós. Deixar um trabalho para a posteridade e poder ser recordado por muitos e bons anos é o objetivo de alguns, aqueles que pensam e lutam para o conseguirem, atingindo tais objetivos a longo prazo. (...)

Escrever para ficar bem na fotografia

Perguntas-me se ao escrever os meus textos n' O Informador penso no que os outros vão pensar para não criar mal entendidos e para que fiquem com uma boa imagem de mim? Não, isso não acontece! Escrevo com base no que penso, no que sinto e no que quero... A opinião dos outros não é colocada em questão na hora de Publicar um novo texto e só depois poderá surgir, se os comentários assim o mostrarem, para o bem ou para o mal! Não me preocupo com a forma como os textos mais críticos (...)

Histórias mentirosas

Com o passar do tempo vamos conhecendo as pessoas, seja na família, entre os amigos ou no trabalho e começam-se a perceber que pequenos pormenores que são contados não encaixam com a realidade ou com o que foi revelado antes. Então andamos a inventar histórias para ficar bem na fotografia? Pois, parece que sim! Não percebo como as pessoas que se tentam mostrar as melhores e as que têm tudo perante os outros, depois se deixam apanhar através das mentiras que as próprias foram (...)