Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

22
Mai19

Diz «não» ao abandono de animais

O Informador

 

Escrevo só mesmo para quem não viu ainda o vídeo acima. Um cão-polícia ladra de forma constante quando um homem está no perímetro da verificação da bagagem do aeroporto. A revista é feita e o animal não para de ladrar sem que nada seja encontrado de mal. No final do vídeo a explicação para o ladrar é explicada de forma explicita e com a frase «ele nunca te vai esquecer». Foi desta forma que a Animalife lançou uma campanha de sensibilização contra o flagelo que é o abandono de animais em Portugal, principalmente nos meses que antecedem o Verão. 

Lembro que neste momento e felizmente já é crime mal tratar e abandonar animais no nosso país, existindo atualmente mais de quinhentos processos crime perante estas circunstâncias. No entanto estas situações continuam a surgir por falta de bom senso e amor para com os animais que são tantas vezes os nossos melhores companheiros e que nunca e em momento algum nos abandonam.

26
Jan18

Animais em Risco

O Informador

pregos pão.jpg

Num parque na freguesia da Ajuda, em Lisboa, foram encontrados vários pedaços de pão com pregos numa tentativa de matarem os animais que passeiam com ou sem dono pelo local. Foi através de algumas publicações nas redes sociais que o alerta foi dado e é necessário passar a palavra para que neste e em outros locais públicos todos os cuidadores de animais tenham atenção ao que os mesmos possam colocar na boca enquanto passeiam. 

Esta armadilha consiste, como se pode ver, em colocar pregos em pão cortado, mostrando um claro ato de maldade. Os animais ao tentarem comer os pedaços de comida encontrados no chão ingerem também os pregos que lhes farão ferimentos internos. Além desta situação é cada vez mais recorrente ver partilhas sobre vidros espalhados pela relva dos jardins, salsichas com lâminas e vários outros métodos para magoarem os animais e mesmo até matar. 

Pelos comentários partilhados, esta situação em específico já foi comunicada às autoridades, estando também a autarquia consciente sobre a situação que segundo alguns moradores das ruas do bairro lisboeta não é um caso isolado pela zona.

Quem consegue ser tão ruim para ter capacidade de provocar ferimentos de livre vontade a animais que com os seus donos ou abandonados possam passear pelos jardins da capital? Essas pessoas deviam pensar que até uma criança mais pequena pode sair magoada num mero descuido dos adultos cuidadores mas que num segundo olham para o lado e deixam assim de vigiar um pequeno humano que num instante pega no pedaço de pão amaldiçoado.

17
Nov17

Feeling Animals, todos a ajudar!

O Informador

feeling.jpg

Em 2015 o grupo de voluntários Feeling Animals começou a colaborar com famílias e residentes nos bairros sociais da Amadora para melhorar as condições dos animais de estimação e também dos animais que circulam pelas ruas daquelas zonas. Através da vacinação, desparasitação, esterilização e alimentação, este grupo de voluntários tem ajudado as famílias mais carenciadas a manter os seus companheiros de quatro patas nas melhores condições de vida através do fornecimento de bens alimentares e com os cuidados de higiene necessários. 

Nos dias que correm, em média, cinco animais são levados por semana para serem esterilizados, o que perfaz um valor de 170€ semanais, só que nas últimas semanas a lista de espera para esterilizações aumentou significativamente e neste momento o grupo tem 35 animais a aguardar possibilidade financeira para poderem ter ajuda. 

As responsáveis pela Feeling Animals, Andreia e Bárbara, lançaram assim numa ação de solidariedade nacional uma campanha de crowdfunding com a finalidade de angariarem parte do valor de que precisam para poderem chegar a um maior número de casos o mais rapidamente possível. Este é o link da campanha - https://ppl.com.pt/causas/feeling-animals - onde podes fazer o teu donativo solidário para poderes ajudar estes animais que precisam de cuidados de variados níveis.

14
Out17

Animais nos estabelecimentos

O Informador

animal estimação.jpg

Partido Animais e Natureza, Bloco de Esquerda e Partido Ecologista os Verdes levaram a votação na Assembleia da República o projeto para que seja possível a permissão de animais de companhia em estabelecimentos de restauração, para além dos cães de assistência já autorizados por lei. O projeto foi aprovado mas eu, enquanto cidadão, dono de um cão, não consigo concordar com este novo facto.

É certo que cada proprietário de estabelecimento poderá decidir se autoriza ou não os animais de estimação entrarem nos seus espaços a partir de agora mas analiso esta aprovação parlamentar como um passo atrás no que havia sido feito. Primeiro tiram os animais de locais onde existe comida para que não se criem complicações desnecessárias com pelos e questões de higiene, agora uns anos depois voltam atrás com a palavra só porque ter um animal de estimação parece estar na moda. Não posso concordar com esta alteração de pensamentos dos nossos deputados, tal como não concordava se voltasse a ser possível fumar em todos os locais públicos. Se conseguiram colocar as leis a favor da higiene e saúde, agora conseguem fazer exatamente o contrário do que havia sido feito. 

Não tenho de estar num restaurante com um animal a sacudir-se e a fazer com que os seus pelos fiquem no ar durante minutos com os pratos de comida por perto. Eu tenho o meu cão mas não existe sequer hipótese de o colocar dentro de um estabelecimento de restauração por respeito aos outros, sabendo no entanto que com esta aprovação irei a partir de agora ver cães  a deixarem os seus vestígios junto de montras cheias de bolos, por exemplo. Não, isto não faz sentido em pleno século XXI num país desenvolvido. Podemos gostar muito dos nossos animais mas cada um tem de perceber o espaço do humano e do seu amigo de quatro patas para respeitar os outros.

Os deputados que votaram a favor desta lei devem certamente de ter animais que os acompanham em alguns passeios de rua mas de certo que não pensaram no desagradável que será ter um cão a ladrar ao ver um gato dentro de uma pastelaria ou de ter um cachorro ainda não ensinado a fazer as suas necessidades mesmo junto à mesa de quem está a comer um belo bife.

Os projetos do PAN são muito bonitos e em certas situações fazem sentido mas andar para trás no tempo e anular praticamente uma lei de 2015, que havia impedido os animais de companhia de entrarem em estabelecimentos é daquelas coisas que não irei perceber e sobre a qual irei fazer cara feia quando me sentir incomodado pela presença de um animal que esteja presente num local onde queira comer descansado e sem pelos. Existem animais e animais e não vamos tapar os olhos porque a limpeza de casa ao se ter um animal não é a mesma da de um local onde entram várias pessoas diariamente e poderão assim entrar vários animais que nem sempre usufruem da higiene que o meu cão tem. 

17
Ago17

Animais abandonados

O Informador

cachorros.jpg

Meio da tarde, tudo a decorrer dentro do normal, duas colegas começam a falar alto porque na rua um casal numa auto-caravana acabava de abandonar dois cachorros junto à entrada da empresa. 

Um casal asiático, que estaria certamente de passagem pela zona, deixou estes pequenos cachorros, com pulgas e carraças, junto ao portão da empresa. Quando os fomos buscar, tivemos de os tirar debaixo dos carros porque ficaram com medo e fugiram, mas rapidamente vieram ao chamamento e lá os levamos para o interior da empresa. Água numa caixa, comida «e agora» o que lhes fazemos?

Estava fora de questão ficarem no pátio e tornarem-se os animais de estimação, perguntamos se alguém os queria e ninguém se mostrou interessado na adoção. Tínhamos que arranjar uma solução e a mais rápida foi a de ligar para o canil de onde afirmaram que não recebiam mais animais por estarem lotados. Ligou-se à GNR que deslocou ao local uma patrulha que recolheu os dois irmãos caninos e lá os levou. Disseram-nos que os iriam levar ao canil e que ao serem pequenos acreditavam que fossem facilmente adotados. 

Esperemos que estes pequenos cachorros abandonados em plena época de Verão tenham a sorte de arranjarem uns donos que os estimem. Mas também existe sempre a hipótese negativa de um dia serem abatidos como tantos outros. Esperemos que não!

11
Dez16

Saúde Animal 24 já é realidade

O Informador

saúde animal 24.jpg

Dois médicos veterinários lançaram a Saúde Animal 24 em Portugal com o objetivo de esclarecer qualquer questão que possa surgir a qualquer hora relacionada com os nossos animais de estimação. Esta é a primeira linha telefónica de assistência médica para animais e serve assim como ajuda a donos desesperados que possam ter alguma questão que consiga ser solucionada via telefone sem ser necessária a ida ao consultório veterinário. 

Todas as questões que possam surgir com o animal podem assim ser esclarecidas através da Saúde Animal 24, projeto desenvolvido pelos médicos veterinários Carolina Rebelo e Salvador Falcão. Dúvidas, questões e inseguranças em áreas como os comportamentos, intoxicações, viagens e nutrição podem ser esclarecidas através do número 760 450 911, disponível 24 horas por dia, sendo que caso os técnicos achem pertinente, a chamada pode ser reencaminhada para uma clínica ou hospital veterinário da freguesia de residência do utente. 

banner mrec exames nacionais e provas de aferição

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook