Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

leituras-verao-billboard
04
Mai20

Livrarias reabertas

bertrand chiado.jpg

 

Pessoal dos livros, hoje, Segunda-feira, 04 de Maio, reabrem as livrarias de rua, mês e meio após terem sido encerradas, como a maioria do comércio. Estivemos ao longo destas semanas com acesso físico limitado em termos literários às estantes dos supermercados, onde geralmente estão presentes as novidades e os mais vendidos, existindo também sempre a possibilidade de compra online em lojas como a Wook e a Bertrand, entre outras, mas agora os serviços das lojas de rua voltam a estar disponíveis. 

Com a abertura das livrarias, vamos prometer que voltaremos, com tempo e calma para não corrermos riscos desnecessários, a frequentar os espaços e efetuar nem que seja uma compra para que estes locais, muitos com história, não corram o risco de fechar portas pelos próximos tempos. O país está a retomar aos poucos, o comércio e empresas a encaminhar colaboradores e serviços com todos os ajustes necessários para que tudo corra bem e nós, enquanto clientes e neste caso leitores, respeitemos o espaço de cada um para também poder exigir dos outros o respeito que merecemos neste caso tão incomum com que teremos de lidar durante algum tempo ainda. 

16
Dez14

Lacoste dos ricos

A Lacoste chegou há Avenida da Liberdade e isso é uma mais valia da marca que chega agora a uma das artérias mais caras do nosso país. Com isto o que acabou por acontecer foi que a marca faz assumidamente a distinção entre o seu público remediado com o dos ricos.

Quem o afirmou foi o representante da marca no nosso país, Afonso Marques dos Santos, ao ter proferido o que passo a citar. «Esta é a primeira loja em Portugal com o novo conceito Premium que representa o posicionamento mais elevado da marca, reforçando a componente lifestyle da nossa coleção para o segmento de luxo».

O que se passa então aqui? Existe uma Lacoste que já não é acessível a todos e depois existe a de topo, aquela onde só alguns conseguem chegar no número 38H da mais cara avenida da nossa capital.

Distinções que nem sempre ficam bem a quem as pratica!