Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Proteção Civil inflamada com as golas

Publicado por O Informador, 27.07.19

gola aldeia segura kit.jpg

 

A proteção civil gastou mais de 125 mil euros em 70 mil golas que foram inseridas nos kits de emergência, que custaram 328 mil euros e que têm sido distribuídos pelas Aldeias Seguras desde 2018. Agora que se percebeu que as ditas golas são feitas de poliéster, material facilmente inflamável e que aquece, estando contra o desejado neste caso, eis que a Proteção Civil revela que estes kits «não assumem características de equipamento de proteção individual, e muito menos de combate a incêndios», sendo somente um kit para merchandising e divulgação, ou seja, tudo foi feito para informar e sensibilizar sobre como as populações devem agir em caso de emergência, gastando dinheiro em material que não serve de muito e que vai até contra as regras. 

Os kits que foram distribuidos ao abrigo do programa Aldeia Segura - Pessoas Seguras contém além das golas, um apito, lanterna, rádio, colete refletor, também feito em poliéster, máscara e a informação do que é necessário juntar, como é o caso do estojo de primeiros socorros, medicação habitual, água e comida não perecível, produtos de higiene pessoal, uma muda de roupa, dinheiro e a lista de contactos de familiares e amigos mais próximos. 

Incentivando a consciência coletiva, sensibilizando a população para a adoção de práticas que minimizem o risco de incêndio, o programa Aldeia Segura - Pessoas Seguras foi elaborado com base em salvaguardar os estragos feitos no passado, no entanto agora admitem que os kits distribuídos são somente figurativos e não para uso real se existirem situações em que é necessário agir. 

Não saio de casa sem...

Publicado por O Informador, 21.10.18

carteira.jpg

Todos nós quando saímos de casa levamos acessórios e objetos que nos acompanham ao longo de parte da vida. As mulheres geralmente colocam a maioria dentro das suas grandes malas onde parece existir tudo e mais alguma coisa, «como na farmácia». Nós homens somos recatados na seleção dos itens que nos acompanham ao sair de casa, existindo sempre particularidades de uns e outros. 

Habitualmente e no dia-a-dia geralmente tenho de levar a carteira, chaves do carro, óculos de sol, telemóvel e o livro que estou a ler, que fica muitas vezes no banco traseiro do veículo, mas vai quase sempre comigo quando saio de casa. Isto são os acompanhantes em dias normais, dentro da rotina, porque depois existem os momentos em que levo a mochila onde geralmente também baterias portáteis e fios vão, um livro suplente por vezes, lenços de papel, se o tempo estiver mais fresco um lenço para o pescoço, talvez um casaco, etc, etc, etc. 

Nula lavagem

Publicado por O Informador, 12.08.17

Não sei se sou caso raro mas quando lavo o carro, por aquelas lavagens automáticos que existem como formigas por ai, tenho o cuidado de passar com a água por todo o lado, de cima a baixo, tendo especial atenção à parte baixa das portas laterais. Lavo com água e detergente, passo água e depois o brilho. Tudo perfeito antes de seguir viagem. Então não é que se parar o carro logo de seguida e esperar que escorra, a parte baixa das portas está suja que nem parece que lá passou água?

O carro é preto (bem que me avisaram para comprar de outra cor) e dizem-me que nos carros assim escuros fica sempre sujidade se não se passar com um pano ou escova ao longo da lavagem. Mas esqueço-me e tenho sempre esperança que «desta vez» tudo ficará lavado e sem manchas de terra e pó. Não fica, por mais que tente e passe com a mangueira, nada muda. 

Curtas e Diretas #16

Publicado por O Informador, 31.08.16

Então não é que fui ao supermercado de propósito para comprar garrafas de água para amanhã levar para o trabalho e trouxe tudo o que não fazia falta menos a água? Nem passei sequer no corredor dos líquidos e se quando entrei pensei que não me podia mesmo esquecer da água, quando cheguei a casa é que percebi que afinal a ida ao supermercado não valeu de muito! 

Para os mais curiosos... Ao contrário da maioria das empresas, a minha não fornece água aos trabalhadores e clientes! Tudo levado de casa ou pago no local através de uma máquina de bebidas!

Água, o bem indispensável!

Publicado por O Informador, 02.07.16

copo de água.jpg

O calor chegou em força e a pessoa que antes nem bebia assim tanta água, agora anda quase de garrafa atrelada ao longo do dia! O esforço já passou a hábito e nem custou assim tanto!

Primeiro deixei de beber sumos ou outro tipo de bebidas às refeições em casa e no trabalho, deixando ficar os almoços e jantares fora com as bebidas habituais porque uma vez por outra não faz mal a ninguém quebrar a rotina. Depois comecei a tornar rigorosa a ideia de que tinha de beber água ao longo de todo o dia e não somente às refeições e quando a sede apertava mesmo até deixar a garganta seca. Agora bebo pelas horas de trabalho perto de três litros de água, duas garrafas de litro e meio, ainda acrescentando os dois copos ao jantar, a garrafa que me acompanha no ginásio e a da mesa-de-cabeceira que é praticamente consumida na sua totalidade antes de me deitar.