Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sem grandes confinamentos

193a6cbab42af24b9a49ce274fbbeceb.gif

 

Primeiro dia de confinamento a meio gás em Portugal continental e eu, que fui para o último dia de trabalho antes de entrar de lay-off, constatei pelas estradas e por passar pelo interior de localidades na deslocação casa/trabalho e trabalho/casa e também pelas imagens que fui vendo ao longo do dia, tanto nas redes sociais como na televisão, que de confinamento pouco existiu nesta Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2021.

Alunos nas escolas, com pais a deslocarem-se para deixarem os filhos nos institutos de ensino e mais tarde os voltarem a levar para casa ou transportes públicos cheios com jovens que se deslocam assim para as aulas. Supermercados, farmácias, clínicas, veterinários, igrejas, bancos, oculistas, dentistas, talhos, peixarias, papelarias, padarias e outros tantos serviços abertos como se nada se estivesse a passar. Restaurantes em take-way, cafés e pastelarias a servirem o que os clientes pretendem junto a portas e janelas, esplanadas como que montadas só porque ainda não existiu tempo de serem retiradas, e muitos incumprimentos logo na partida para esta jornada. Encontros em grupo nas esquinas e jardins, pais que esperam na conversa junto dos carros que os filhos saiam da escola, crianças que saem dos autocarros e que de imediato retiram as máscaras. Ou seja, confinamos em termos laborais mas ao que parece existe tanto para se fazer lá fora que a vontade é mesmo a de sair e arranjar uma das várias desculpas possíveis para se poder circular na via pública.

Esta primeira fase de confinamento em 2021 começou muito mal e com bastante desorganização. Além de demasiados serviços estarem abertos de forma quase normal, convidado os portugueses a terem argumentos para saírem de casa numa maior constante, ainda parece existir a falta de ação das autoridades para começarem a controlar de forma séria deslocações e ajuntamentos. Espero que na próxima semana as regras perante o lay-off e o tele-trabalho sejam levadas a sério, caso contrário, perante a desordem do primeiro dia de confinamento com bastantes exceções, não chegaremos a bom porto.

 

2 Comentários

Comentar post