Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

15.12.17

Presente infantil... Um Livro


O Informador

Todos sabem o gosto que tenho pela leitura, como tal e porque no Natal os livros são ótimos presentes para oferecer, então há que não esquecer que mesmo para os mais pequenos existem lançamentos interessantes com histórias de todos os tempos ou com as animações do momento que podem ajudar as crianças a se iniciarem na literatura para que daqui a uns tempos vejam os livros como uma boa companhia. 

Sempre fui influenciado para ler para além do que era «obrigado» dentro do regime escolar e lembro-me perfeitamente nas idas ao supermercado onde escolhia um livro adequado à idade. Levava-o religiosamente para casa e aos poucos ia seguindo as aventuras de jovens em busca de um segredo ou percebia os mistérios de casas abandonadas e que viviam de histórias de terror. Foram essas histórias, que ainda hoje conquistam os jovens leitores, que me levaram a ser o leitor que sou hoje. Desde sempre me lembro de ler, de ter um livro pela mesa-de-cabeceira, evoluindo nas leituras e dando vários passos que me ajudaram a saltar de etapa em etapa até chegar à literatura adulta.

O facto de ser leitor recorrente e de me questionarem como consigo ler tanto deve-se à habituação de anos, porque existem coisas que não surgem de um dia para o outro e é por isso que todos devemos tentar encaminhar os mais novos pelo mundo dos livros para que possam seguir um caminho entre letras, com aprendizagens e conhecimentos de outros paradeiros sem sair do mesmo local. Um livro é um excelente companheiro, dentro e fora de casa, sendo raro andar por ai sem ter a minha atual leitura por perto, na mochila ou no carro. Na verdade ando sempre com um livro atrás porque naqueles momentos vagos, que por vezes surgem, umas páginas de ocupação servem sempre um pouco para encontrar vidas e viajar com cada personagem, umas melhores que outras, como todos nós, mas todas como boas companheiras de percurso.

Não tenham a ideia que mais tarde os adolescentes ou jovens adultos adquirirão o gosto pela leitura porque, como se costuma dizer, é de pequenino que se torce o pepino e é também de pequeno que se aprende a ter gosto pela leitura como um ato contínuou e de prazer e não como uma obrigação. 

 

2 comentários

Comentar post