Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

28
Jul16

O Vírus Mona Lisa

o víruas da mona lisa.jpg

Autor: Tibor Rode

Data: Maio de 2016

Editora: TopSeller

Número de páginas: 448 páginas

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Uma genial teoria da conspiração onde a Humanidade é o alvo a abater. 

Nos Estados Unidos, as participantes num concurso de beleza desaparecem misteriosamente. Mais tarde, algumas delas aparecem totalmente desfiguradas. Em Milão, o mural A Última Ceia, de Leonardo da Vinci, é destruído, tal como em Leipzig uma das torres da Câmara Municipal. Entretanto, alguém espalha um vírus informático em todo o mundo, que altera sistematicamente os ficheiros de fotografias para desfigurar os rostos humanos. 

A resposta está na Mona Lisa. 

Quando a especialista Helen Morgan vê a sua filha ser raptada e é chantageada para roubar a Mona Lisa do Museu do Louvre, ela acaba por descobrir um criminoso perigoso e obcecado que vai ter de enfrentar até ao imprevisível desfecho final. 

Num crescendo de ritmo e acção, este é um thriller de conspiração internacional com um final alucinante, que os amantes do género não podem perder.

 

Opinião: O Dan Brown ou o José Rodrigues dos Santos podem ter um mestre do thriller próximo de ambos pela Alemanha. No entanto ainda é cedo para que Tibor Rode consiga igualar-se a Brown, estando mais próximo do nosso José. Em O Vírus Monsa Lisa acabei por constatar isso mesmo!

Gostando de ler grandes obras de suspense de forma espaçada porque sempre acabam por ser pesadas, nesta criação lançada pela TopSelLer entre nós acabei por entrar no misterioso caso em torno das abelhas, do desaparecimento de modelos e também de uma jovem que aparentemente nada tinha para contar num caso envolto em mistério onde só a perseverança de uma mãe consegue ultrapassar obstáculos, mesmo que para isso tenha que seguir com pessoas que não conhece e de quem desconfia ao longo do percurso.

O que terão factores naturais em comum com um crime orquestrado para correr em pleno sem que nada falhe entre os envolvidos e a natureza cada vez mais trabalhada pela mão humana? Espaços vazios que se vão ligando aos poucos até ao momento final, aquele que o leitor começa cedo a desconfiar que irá acontecer mas que é levado a pensar que as coisas afinal levarão uma grande volta. Será que os mais atentos não conseguem perceber o desfecho? Por acaso nesse aspecto Tibor Rode desiludiu!

Um livro fácil de ler, com rápidos capítulos, o que acaba por não cansar o leitor e uma escrita bem acessível que começa por revelar uma certa ligeira que vai ficando densa ao longo do tempo e também à medida que as personagens se vão cruzando em determinados locais bem reais e com partes da história que todos nós conhecemos. O Vírus Mona Lisa tem história e debate o ideal da beleza ao longo de toda a narrativa, fazendo o percurso entre o passado e o presente para que a verdadeira perfeição possa ser encontrada, caso exista!

O que não gostei e poderia estar bem mais apelativo seria toda a história central, onde no final de contas até parece que os vários níveis pelos quais a heroína vai passando são ultrapassados de forma fácil, sem aqueles contratempos que podem estragar tudo a qualquer momento. Existe uma tentativa de prender o leitor à história, mas depois não notei aquele clique para que o suspense aconteça com as reviravoltas e os segundos planos a terem de surgir para se conseguir ultrapassar a questão. 

Um thriller que não está mau mas que poderia estar bem melhor!