Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

infantil-billboard
09
Abr20

O Último Oráculo | James Rollins

Bertrand Editora

916A88C8-8805-4A23-ADDB-7CDC65D62981.JPG

 

Título: O Último Oráculo

Título Original: The Last Oracle

Autor: James Rollins

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2020

Páginas: 496

ISBN: 978-972-25-2978-5

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: Em Washington, D.C., um sem-abrigo morre nos braços do comandante Gray Pierce, atingido pela bala de um assassino. Mas a morte deixa para trás um mistério ainda maior: uma moeda ensanguentada uma relíquia antiga relacionada com o oráculo grego de Delfos. Enquanto perseguidores implacáveis procuram o artefacto roubado, Gray Pierce descobre que a moeda é a chave para desvendar uma conspiração que remonta à Guerra Fria e ameaça os próprios alicerces da Humanidade.

Desde os templos da Grécia Antiga aos mausoléus mais deslumbrantes, dos bairros pobres da Índia às ruínas radioativas da Rússia, dois homens têm de correr contra o tempo para resolver o mistério que remonta ao primeiro grande oráculo da História o oráculo grego de Delfos.

Mas uma questão permanece: Será o passado suficiente para salvar o futuro? Mestre na arte de combinar a intriga histórica e religiosa com as aventuras mais alucinantes, James Rollins traz de volta a Força Sigma para lutar contra um grupo de cientistas sem escrúpulos que lançaram um projeto de bioengenharia capaz de conduzir a Humanidade à sua extinção.

 

Opinião: O Último Oráculo fez-me companhia de forma tão severa que só quando me fui aproximando do final é que consegui entender a maioria dos meandros de tudo o que foi acontecendo ao longo do desenrolar da narrativa, mas já não deu tempo para a mudança de opinião.

Desenrolando-se num ciclo distribuido por vários locais e com personagens ocas, sem importância e bastante desorientadas durante grande parte do que é contado. As pistas surgem para se seguirem objetivos mas todos parecem vaguear numa tentativa nula e destrutiva de encher páginas sem nada conseguir ser acrescentado ao essencial de um thriller que une radiação nuclear e autismo como pontos fortes mas onde não existe um fio condutor plausível e com capacidade para fazer o leitor seguir em frente porque em tudo faltam explicações e apresentações sobre o quem é quem numa história que pretende elaborar demais mas onde o essencial é esquicido. 

Num contexto geral não consegui tirar pontos positivos neste livro, a não ser o poder de escrita corrida, mas como enrola demais numa história viciada, até esse ponto acabou por ficar de lado. Uma narrativa nada envolvente e sem criatividade, O Último Oráculo não acrescenta nada de bom ao bom nome de James Rollins, transmitido uma história sem nexo e onde a vontade de continuação fica logo de lado após os primeiros remoinhos que são feitos e refeitos sem que se consiga ter noção do que está a acontecer na maioria das situações.  

Infelizmente, não consigo mesmo apontar pontos fortes neste livro, a tal ponto de não existir nada a acrescentar a uma opinião que acaba por nem fazer sentido perante tal desastre literário!

 

Compra AQUI o teu exemplar de O Último Oráculo

o último oráculo capa.jpg