Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ebooks-billboard

Monsaraz

MonsarazVisitei Monsaraz nestes últimos dias e afirmo que foi um dos locais mais lindos que visitei por estes meses.

Com uma vista fantástica sobre a barragem do Alqueva, este local tão bem situado entre as velhas muralhas de um castelo é um verdadeiro espaço de história do nosso país. 

Antigo, bem conservado, calmo, cuidado, com vários toques culturais e religiosos e sem vestígios de construções modernas, em Monsaraz tudo parece idílico e belo. Visitei esta localidade num dia de semana e verifiquei que embora tenha vários pontos turísticos, os mesmos se encontram fechados em dias úteis, sendo os fins-de-semana o principal atrativo de Monsaraz e os dias altos dos visitantes aparecerem. Além das igrejas e do castelo não visitei mais nada, a não ser as ruas empedradas que não fazem esquecer a história que se fez passar ao longo destes anos com as várias épocas populacionais que por ali passaram.

Monsaraz é mesmo um dos mais belos locais que conheci até hoje. Além de um fantástico lugar onde se podem passar belos dias de sossego dentro da história do nosso país, ainda somos presenteados com uma fantástica paisagem sobre um extenso Alentejo que se abre à vista de quem o quer descobrir. Fantástico e recomendado, sem dúvida alguma. Um dia vou lá voltar para descansar e aproveitar o sossego vivido entre as muralhas de um castelo que se fez passar ao longo dos anos até aos dias de hoje.

Historial retirado do site da Junta de Freguesia de Monsaraz:

Devido à sua posição geográfica, a colina de Monsaraz sempre ocupou um importante lugar na história do Concelho, tendo sido ocupada por diversos povos desde a pré-história.

No séc. VIII, Monsaraz cai sob domínio do Islão através das invasões muçulmanas que ocuparam grande parte da Península Ibérica. Passou a designar-se Saris ou Sarish e a pertencer ao reino de Badajoz, um dos maiores e mais importantes focos da cultura árabe.

Em 1167, foi conquistada aos muçulmanos por Geraldo Sem Pavor numa expedição que partiu de Évora, também esta recém-conquistada. Após a derrota de D. Afonso Henriques em Badajoz, Monsaraz cai novamente em poder dos árabes. Em 1232, apoiado por cavaleiros templários, D. Sancho II reconquista-a em definitivo, sendo posteriormente doada à Ordem do Templo.

Após as guerras de 1383-1385, a Vila de Monsaraz é integrada na Casa de Bragança e passa a ser uma das mais preciosas fontes de rendimento da grande casa ducal portuguesa.

Em 1512, D. Manuel concede novo foral à Vila de Monsaraz, reformulando a vida pública e jurídica do Concelho. Após a Restauração de 1640, a Vila recebeu importantes acrescentos táticos, como o levantamento de uma nova cintura abaluartada, tornando-se numa poderosa “cidadela inexpugnável”, interligada com o sistema defensivo de Elvas, Juromenha, Olivença e Mourão.

A sua condição de vila medieval acastelada, o impetuoso crescimento das aldeias de Reguengos, a riqueza das actividades artesanais e vinícolas e a fidelidade da população de Monsaraz aos ideais miguelistas derrotados na guerra civil (1828-1834) foram os factores que contribuíram para a transferência da sede de Concelho de Monsaraz para Vila Nova de Reguengos em 1838, onde se estabeleceu definitivamente em 1851.