Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

leituras-verao-billboard
01
Jun20

Moderação no Big Brother

big brother 2020.jpg

 

O Rui deixou o Big Brother por decisão do público na segunda ronda de nomeações entre os concorrentes dentro da casa no passado Domingo. Na Segunda-feira, Sónia infringiu as regras do programa e comunicou com o futuro marido, o seu Vítor, que se aproximou da casa da Ericeira para lhe dizer para não desistir do programa, tendo existindo uma rápida conversa entre os dois e levando a feirante a ficar na mão do público para permanecer ou não no jogo. Na Terça-feira uma discussão acessa entre Pedro Soá e os restantes concorrentes culminou numa quase agressão física deste para com Teresa, tendo o concorrente sido expulso pelo Big Brother. Na Quarta-feira entre os cinco nomeados, Ana Catharina, Diogo, Noélia, Renato e Teresa, Diogo era o menos votado para sair e ficou livre, tendo acontecido o mesmo com a Ana Catharina na Quinta. 

Ontem, último Domingo de Maio, mais uma Gala com Cláudio Ramos e mais uma voltinha no carrossel no jogo dos amigos do diz que disse nas costas onde todos se tentam safar num jogo onde as aproximações por interesse acontecem. Numa gala onde foi prometido o «tudo ou nada», Noélia foi, para minha agradável surpresa, a menos votada, ficando livre de imediato para desfrutar do resto da noite, esperando que perceba que não tem de ser a «senhora lá de casa» daquelas pessoas onde muitos gostam de ter empregados para lhes fazer tudo e mais alguma coisa. Seguiram com a sessão do BB Play, onde três vídeos que tendem a criar polémica dentro da casa estavam à escolha dos concorrentes que optaram por ver Mistério por Desvendar, onde Teresa divaga sobre não simpatizar com Iury e vice-versa, dando assim o mote para criar discussão e afastamentos pelos próximos dias no jogo. Esta fórmula dos concorrentes poderem escolher entre vários vídeos sobre as polémicas da semana já não é nova e mais uma vez voltam a reformular estratégias do passado para encherem espaço dos serões de Domingo e para tentarem mexer com o jogo. O formato com o lema «Tudo ou Nada» segue, Flávia através da retirada de bolas de um saco ganhou imunidade, o que me parece que não lhe fazia falta por ser das pessoas que mais próxima se encontra de todos e que tão cedo não deverá sofrer nomeações suficientes para ir a votação junto do público.

Chegou o momento da expulsão e Sónia, que havia sido castigada por comunicar com o exterior, foi salva ao mesmo tempo que Teresa foi menos votada que o Renato, levando o açoriano a deixar a casa, seguindo os passos do Fábio, Edmar e Rui onde em vinte concorrentes, dez homens e dez mulheres só os homens têm deixado o jogo por decisão dos portugueses, lembrando que também Pedro Soá já deixou a casa por expulsão do próprio Big Brother. Com estas saídas sucessivas da ala masculina acredito que em breve a produção organize uma ronda de nomeações só no feminino ou ainda se arriscam a ficar mais de um mês com uma casa em modo «mulherzinhas», o que seria talvez um feito inédito em todas as edições do reality show. 

Nomeações a começarem sem antes a escolha do líder para a próxima semana. Sandrina, que assumiu a liderança provisória após a expulsão de Pedro Soá, foi selecionando através de várias questões do Big Brother os colegas, sem saber que estava a retirar esses mesmos concorrentes da possibilidade de serem o próximo líder, papel entregue, como que milagrosamente ao Daniel Monteiro, um concorrente com que não simpatizo, e que ansiava muito ser líder, esperando eu, como mero espetador, que a sua semana de liderança seja o mais próximo possível dos dias do Pedro Soá, onde a liderança deu direito a uma expulsão por mau comportamento para com os outros concorrentes. Daniel Monteiro teve de tomar a decisão de quem não ia nomear, tendo escolhido a sua Iury e o amigo Hélder. 

As nomeações começaram então com Soraia já nomeada por um «tudo ou nada» onde ao abrir uma mala ficou automaticamente nomeada. À concorrente juntaram-se Ana Catharina, Diogo e Hélder. Teresa também havia sido nomeada mas ao ficar salva nas votações anteriores da semana que terminou ganhou uma mala que podia abrir ou não e que ao decidir abrir lhe deu a hipótese de salvar um dos nomeados da semana e claro que se auto salvou, como qualquer um o faria. Claro que entre Ana Catharina, Diogo, Hélder e Soraia, a crença será que desta vez o Hélder seja mesmo convidado a deixar a casa da Ericeira. Não existe paciência para ver um homem de praticamente quarenta anos a reagir a certas situações como um adolescente, criando vozes irritantes, chateando com as suas histórias sobre mulheres e criando diz que disse aos cantos que já não deviam fazer parte da vida de um ser que devia ter maturidade. 

A restante noite contou com um momento alto de forma inesperada, até porque invade a vida familiar de Jéssica. A concorrente foi convidada durante a semana a fazer a sua curva da vida, o que foi mostrado em plena gala a concorrentes e público, mostrando os altos e baixos que sofreu com problemas familiares onde a separação dos pais, maus tratos, drogas e depressão fizeram parte da sua vida. A concorrente explicou o seu passado, falou com a avó em direto, pedindo desculpas por não ter apoiado a sua mãe em diversos momentos em que ambas precisaram, num momento emocionante onde a concorrente mostrou as suas fragilidades e medos perante o presente com todo o seu passado que foi feito com bastantes contratempos a que a vida por vezes prega partidas a crianças e adolescentes que de nada têm culpa. Um dos momentos fortes da noite que certamente ajudou a alterar a visão que algum público, eu incluído, tem sobre a concorrente que dentro do jogo optou por seguir um caminho complicado, o do romance, e que só tem perdido com isso. A emoção falou mais alto no confessionário, Cláudio Ramos não se conteve em estúdio e em casa também deixei que as lágrimas se soltassem, mesmo que Jéssica pelas opções que tem feito no reality show não me consiga cativar dentro do jogo onde sozinha ganharia muito mais. 

De resto, Cláudio Ramos voltou a estragar um momento musical com a sua voz de cana rachada, deixando no ar uma competição negativa entre os trocadilhos de Teresa Guilherme e os cantares do Cláudio. Soraia voltou a levar tampa de Daniel Guerreiro em direto, o que era escusado se a miúda já tivesse encaixado tudo o que lhe foi dito. Sandrina passou a ser destacadamente a palhaça de serviço da edição com as suas brincadeiras, à-vontade e erros gramaticais. E depois existiu o tempo de antena dedicado ao bronco bombeiro Monteiro e à miss Iury que estava tão bem sozinha e que se está a espalhar ao comprido por se deixar levar por um homem que de tão direto querer parecer só acaba por ser arrogante com todos e afastar a própria da Iury dos restantes e da boa disposição que estava a ter nos primeiros dias dentro da casa. 

Uma gala menos mexida que a da semana anterior e bastante moderada, com menos enche-chouriços e com contra tempos para os concorrentes onde uns se salvaram e outros se queimaram com jogos, conversas, aproximações, amizades e quezílias. Pensei que o Big Brother iria tentar colocar mais chamas na fogueira para que os próximos dias já tivessem o rastilho acesso, mas parece que tentaram criar um serão de Domingo mais leve, embora preveja que um líder Monteiro rancoroso, uma Teresa sempre pronta a apontar erros, uma Noélia cada vez mais frontal e uma Sónia a sofrer mais nomeações que o habitual, que o jogo venha a sofrer com o mau tempo que se avizinha para os próximos dias, onde terão de ficar mais no interior da casa, com menos espaço e maior proximidade. Quero ver a casa da Ericeira a pegar fogo mas nesta última gala de Maio pouco foi feito para tal acontecer!

4 Comentários

Comentar post