Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Meia-noite e dois

Meia-Noite e DoisStephen King foi o primeiro autor de terror que li, tendo começado a ler este livro há mais ou menos dois anos, no entanto, quase que fui obrigado, mentalmente, para o deixar a meio. Agora voltei a pegar em Meia-noite e dois e lá o terminei.

Com duas histórias - Os Langoliers e Janela Secreta, Jardim Secreto -, como se se tratassem de dois livros e não apenas de um, em Meia-noite e dois apercebi-me do que é bom e do que é mau em literatura. Um mesmo autor conseguiu-me conquistar, mas também me fez odiar o que estava a ler, por isso a paragem há uns bons meses atrás. 

Comecei por ler este livro com Os Langoliers, a primeira história que aparece e tenho que dizer que odiei. Terminei esta narrativa, porque não gosto de deixar livros a meio, mas com grande sacrifício. Não foi uma história que me tivesse conquistado, bem pelo contrário e do principio ao fim não percebi onde andava o terror e a graça do que estava a ler. Um avião e os seus passageiros entram inexplicavelmente num buraco negro e a partir daí tudo lhes acontece, aos que vão sobrevivendo até à saída daquele campo inexistente. Enfim, algo que não percebi do início ao fim!

Agora peguei novamente no livro e iniciei Janela Secreta, Jardim Secreto que logo desde o seu começo me suscitou bastante curiosidade por perceber que existia por ali muito mistério, suspense e algo que não batia bem com o que era contado sobre a personagem central. Gostei bastante desta janela de Stephen King que anulou por completo o insucesso com que olhei para Os Langoliers. Um autor, uma invenção, livros roubados, um amor, um desamor e vários outros conteúdos que fazem desta história um bom texto e com excelente conteúdo.

É pena este dois em um não me ter conquistado totalmente, porque se tivessem sido publicadas as duas histórias em livros separados, tinha adorado um e odiado o outro.