Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

leituras-verao-billboard
27
Jun20

Lisboa Reykjavík | Yrsa Sigurdardóttir

Quetzal Editores

Lisboa Reykjavík.jpg

 

Título: Lisboa Reikjavík

Título original: Brakio

Autor: Yrsa Sigurdardóttir

Editora: Quetzal Editores

Edição: 2ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2020

Páginas: 448

ISBN: 978-989-722-630-4

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: «Ægir e a família falaram com a Islândia quando o iate estava a deixar o porto em Lisboa, mas nunca mais se soube deles desde então.»

Um iate de luxo abandona o porto de Lisboa tendo como destino Reykjavík, na Islândia. Despedindo-se das temperaturas agradáveis da capital portuguesa, a bordo seguem sete pessoas que enfrentarão o frio mar daquele inverno, a caminho do norte. Porém, daí a alguns dias, quando o barco entra no porto de Reykjavík, ninguém é encontrado a bordo. O que aconteceu à tripulação e à jovem família que seguia nele ao zarpar de Lisboa? O que se teria passado em Lisboa, ou durante a viagem, que possa explicar o desaparecimento?

Este é o cenário do melhor e mais assustador romance escrito até hoje pela rainha do policial nórdico, antes publicado com o título O Silêncio do Mar — um mistério sobre a escuridão do oceano, Lisboa, a família, a fama, negócios obscuros e, como sempre, o mal e a conspiração do ódio.

 

Opinião: Um iate de luxo deixa Lisboa com destino a Reykjavík, levando consigo a tripulação e uma família composta por um casal e duas meninas gémeas. Na cidade da Islândia a embarcação chega sem pessoas, sem corpos e sem pistas sobre o que terá acontecido ao longo da viagem para que as sete pessoas que embarcaram na cidade portuguesa não desembarquem no seu destino.

Numa história contada entre um passado recente, onde se consegue acompanhar a vida no iate para se perceberem os vários passos que vão sendo dados ao longo da viagem e os momentos em que os vários incidentes vão acontecendo, e o presente, onde na cidade o leitor acompanha Thóra, a advogada contratada pelos pais do elemento masculino do casal, numa procura intensa perante todos estes estranhos desaparecimentos. Sete pessoas embarcaram em Lisboa, nenhuma chegou a Reykjavík, chegando o iate vazio numa paragem conturbada e automática ao porto. Tudo vai sendo contado ao mesmo tempo e a verdade é conhecida mesmo no final num mútuo conhecimento entre o que aconteceu no iate e o relatório a ser feito aos familiares que ficaram sem filho, nora e netas. 

Um mistério que é contado de forma bem agradável onde mortos e vivos se juntam num só espaço, dando por vezes até a ideia ao leitor que poderão existir forças sobrenaturais por perto, Lisboa Reikjavík é daquelas histórias que surpreendem a cada novo capítulo por alterar a qualquer momento a direção do que já parece quase certo. Yrsa Sigurdardóttir tem a capacidade que nem sempre encontro em novos autores que vou descobrindo por conseguir prender o leitor através das sucessivas montanhas-russas que vai criando dentro do enredo onde nada é assim tão delineado como parece, fazendo com que se queira saber mais e a verdade num turbilhão de emoções.

Com um enredo intenso, pesado mas relatado de forma a conquistar, esta narrativa fez-me perceber que mesmo os livros que possivelmente podem não nos dizer muito pelo nome ou mesmo pela capa se podem revelar uns grandes companheiros de viagem, com ou sem pessoas a bordo.

 

Se ficaste curioso, encomenda já o teu...

lisboa.jpg