Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Infelicidade dos outros

Sou muito amigo do meu amigo e mesmo no trabalho onde tenho a ideia de que não se devem criar amizades laborais, sei quem está do meu lado e onde me posso apoiar e vice-versa. Agora não me peçam é que tenha pena de quem não me diz completamente nada e que para mim pouco vale como pessoa. 

Não consigo ficar minimamente preocupado com uma pessoa que para mim não tem educação e bases sociais suficientes para conseguir lidar com os outros. Não me perguntem o que se passa com esses seres informais, se quero saber, se não quero saber, porque a verdade é só uma. Não quero saber dos problemas de quem não presta e que não sabe estar, seja nos bons ou maus momentos!

Podem falar, podem desabafar que para mim entra num ouvido e já está a sair por outro, não me afectando o estado de certas vidas. Se estão mal, estão, se estão bem que bom para eles! Não consigo reagir como a maioria quando não gosto das pessoas. Não fico preocupado com as situações que lhes vão acontecendo porque se não me interessam como cidadãos com quem poderia conviver, qual a razão depois de ter pena?

Penas têm as galinhas! Eu só tenho sentimentos quando a proximidade existe, o que nem sempre é o caso!

2 Comentários

Comentar post