Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ebooks-billboard

As compras andam loucas

centro comercial.jpg

O que se anda a passar com os portugueses para andarem a invadir lojas e centros comerciais nas últimas semanas como se não existisse o amanhã? Sei que estivemos confinados três meses, mas existe assim tanta necessidade de se gastar o dinheiro que se foi amealhando e que estava destinado a roupa, acessórios e bens de segunda necessidade como se tudo estivesse prestes a fechar de novo?

A sociedade anda louca por compras e os meses de pausa parecem ter feito com que a população agora tenha vontade de ver, comprar e ficar em filas atrás de filas porque querem gastar o seu dinheiro, precisam de uns trapinhos novos e há que estar mais na moda que o vizinho do lado. Pessoas, revejam os vossos horários de consumismo, tentando não invadir espaços comerciais ao fim-de-semana quando todos os outros também o fazem, para mais com estes horários ainda reduzidos em que as filas existem pela lotação das lojas ser lei e porque nem sempre com toda a confusão os empregados das diversas áreas lojistas estão disponíveis com total força para aguentarem filas, comentários desagradáveis de quem se cansa de esperar, acabando também esses mesmos empregados por acusar cansaço devido a toda a confusão com que o comércio está a viver neste momento, principalmente ao fim-de-semana.

O conselho é para que revejam dias e horas, tentem usar o vosso poder consumista nos dias de semana após saírem dos empregos, para quem os tem, e não deixem para os Sábados e Domingos os vossos momentos de lazer em pleno centro comercial porque para o cliente é complicado e para nós lojistas também não se torna fácil pelo stress com que a espera e a confusão da clientela acarreta, para mais porque não existe tempo para dar atenção a cada cliente, sendo muito o uso do self-service pela pressão dos valores, das filas, do barulho e dos horários reduzidos.

Dividam-se, não criem aglomerados e perceberão que será bem mais fácil consumir, acertar e sair satisfeito sem criar exageros.