Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

universitarios-billboard

A Rapariga Invisível | Carlos M. Queirós

Cultura Editora

a rapariga invisível.jpg

 

Título: A Rapariga Invisível

Autor: Carlos M. Queirós

Editora: Cultura Editora

Edição:1ªª Edição

Lançamento: Agosto de 2020

Páginas: 288

ISBN: 978-989-8979-84-1

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Agosto, Hospital de São João. Rafael Castro está a ser operado a um tumor cerebral. Nos últimos dias, a pequena Eva, uma criança que só ele vê e ouve, como se um sonho lhe tomasse as faculdades mentais, tem sido uma companhia constante. A menina deu-lhe uma missão: salvar Rita Lemos, a mulher que estava em coma havia cerca de dois anos, num eterno sono, numa cama do piso oito.

Será que Eva é uma alucinação própria da doença? O Dr. Pinto Fraga pensa que sim. Mas opinião divergente tem o seu colega Wilson Mendes, vindo do Brasil para provar que o tumor estava a originar que determinados mecanismos cerebrais coincidissem numa espécie de ligação com uma dimensão desconhecida.

Baseado em factos verídicos, A Rapariga Invisível é uma magnífica história misteriosa, assombrosa e tocante. Uma mensagem de esperança. Esperança no amor, na vida, na determinação, no futuro e na coragem de aceitar o desconhecido.

 

Opinião: Fortes dores de cabeça levam Rafael até ao centro hospital da sua zona para uma consulta agendada para o final da tarde. Enquanto aguarda a sua consulta uma voz bem jovem faz-se ouvir em exclusivo para si e a partir desse momento o que parecem adivinhações deste homem para médicos e assistentes não passam de certezas dadas por esta criança que não existe para os comuns mortais mas que na mente de Rafael tem voz, corpo e muito para contar a este homem que necessita urgentemente de ser operado a um tumor cerebral, que acaba por se refletir de forma inexplicada em sons vindos do além. Com estes inusitados acontecimentos, a voz da pequena Eva vai relatando o que vai acontecer logo de seguida, como uma previsão do futuro exato e também mais distante, ditando que Rafael tem ao seu encargo salvar-se e também ajudar Rita, uma mulher do seu passado, que se encontra há dois anos em coma sem qualquer explicação lógica para tal. 

Num romance com o paranormal a rondar como um pilar de uma fase do tumor cerebral, esta narrativa consegue através da escrita cativar, embora tenha um caminho onde a riqueza do vocabulário acaba por mostrar que o poder das palavras no momento certo conseguem dar ao leitor o significado de cada passagem para que a mesma seja interpretada como um momento mais pesado do que está a ser contado. Da ligação criada entre as várias personagens, que de início parecem meros desconhecidos que se cruzam pelo destino, esta história conquista do início ao fim, existindo a necessidade de se saber o que vem a seguir e como os mistérios vão ser clarificados para fazerem sentido perante o final escolhido.

Confesso que em certo momento do que vai sendo contando senti uma certa vontade de deixar tudo para trás e parar a leitura, visto não concordar com a decisão de um grupo de médicos e responsáveis hospitalares de tomarem uma opção com a qual não concordo se tivesse de acontecer entre as pessoas que me são próximas, sentido um certo desconforto por estar a ler e a gostar a certo ponto do que estava a acompanhar, para mais por perceber que estes factos contados são inspirados numa história real. Será que a decisão foi também igual entre a ficção e a verdade da vida? Espero que não!

Felizmente o final aconteceu com uma reviravolta e consegui recuperar algum desagrado, mas não totalmente, deixando este livro com um entrave perante ser uma boa leitura ou não por sentir aqui um mau exemplo, mas que em certos pontos deverá existir, da realidade que pode acontecer a um de nós. 

 

 

Se ficaste curioso encomenda já o teu exemplar de A Rapariga Invisível

a rapariga invisível capa.jpg