Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

bandadesenhada-970x250-billboard

À Espera de Bojangles

à espera de bojangles.jpg

Autor: Olivier Bourdeaut

Data: Abril de 2016

Editora: Guerra e Paz

Número de páginas: 200 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião: Viver em festa contínua numa casa onde a dança ao som de Mr. Bojangles de Nina Simone é uma regra serve como mote para a leitura de À Espera de Bojangles. Um casal em perfeita união e com um filho sempre pronto a recontar a história de felicidade vivida entre quatro paredes está na base desta obra onde os convidados, que podem ser também os leitores, se sentem em casa com tanta naturalidade e bem-estar. Mas será que a positiva loucura consegue vencer uma má notícia que se abate na família e que alterará o rumo que tudo parecia seguir?!

A naturalidade com que este mundo que acaba por soar a estranho aos olhos de um comum leitor é contada pelo autor acaba por ser cativante, o que aliado às personagens tão bem caracterizadas ao longo dos seus momentos internos consegue acabar por transparecer que tudo afinal não passa de uma vida normal, simplesmente passada em grande felicidade e ao sabor da dança da alegria. Este romance consegue mesmo ser um alerta social, incentivando para que qualquer vida seja levada de forma leve e divertida, sem conflitos e problemas que só acabam por pesar. Mas não estará tudo isto inserido num estado de alma onde a mentira persiste?

A crença criada numa fase inicial por uma criança que aos seus olhos tudo parece transparecer de forma harmoniosa acaba por dar lugar ao longo do romance a um estado de oposição, onde a loucura toma lugar e leva quem está do outro lado a pensar se afinal aquela vida idílica não passará de uma fachada criada de mentiras inofensivas para que a realidade seja abafada de forma a que não exista destruição antes do tempo pré-delineado. Este crescendo pesado que vai aparecendo de forma progressiva acaba por levar o leitor a desenvolver também um certo desespero ao perceber como tudo vai sendo alterado no seio de uma família aparentemente feliz e sempre pronta para dar as boas-vindas a quem quer que chegue ao som de Mr. Bojangles. 

Simplicidade, explicação e somente com o essencial a ser narrado, À Espera de Bojangles é daquelas obras que nos leva dos oito aos oitenta em pouco mais de duas horas de leitura seguida e lenta. Tudo aparece, tudo se vai alterado e no final tudo se desvanece, como um sonho que termina quando a situação parece prestes a atingir um certo estado de paz. No final de contas esta obra acaba por nos transportar por um estado de certa loucura que nos agarra através do modo como tudo é relatado de forma certeira, sem ter de elaborar o que é dispensável para a continuação da narrativa. 

 

Sinopse: Sob o olhar maravilhado e infantil do filho, um casal dança o Mr. Bojangles de Nina Simone. O seu amor é mágico, vertiginoso, uma festa perpétua. Em casa deles só há lugar para o prazer, para a fantasia, para os amigos. Quem dá o tom, quem conduz o baile é a mãe, chama tremeluzente, fugidia e extravagante. Foi ela que adoptou o quarto membro da família, a Menina Sem Préstimo, uma grande ave exótica que deambula no apartamento da família. É ela que não pára de os arrastar, a todos, para um turbilhão de poesia e de quimeras. Mas um dia ela vai longe demais. O pai e o filho farão tudo para evitar o inelutável. Eles querem que a festa continue, custe o que custar. Nunca a expressão «amor louco» foi usada com tanta propriedade. O optimismo das comédias de Frank Capra, aliado à fantasia da Espuma dos Dias, de Boris Vian.