Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

14
Jul20

A Bibliotecária | Salley Vickers

Cultura Editora

a bibliotecária livro.jpg

 

Título: A Bibliotecária

Título original: The Librarian

Autor: Salley Vickers

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Abril de 2020

Páginas: 312

ISBN: 978-989-8979-48-3

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Em 1958, Sylvia Blackwell, recém-licenciada de uma das novas escolas de bibliotecários do pós-guerra, assume um emprego como bibliotecária infantil numa biblioteca degradada na vila de East Mole.

A sua missão é despertar o entusiasmo das crianças de East Mole pela leitura. Mas o caso amoroso de Sylvia com o médico da vila casado e a amizade com a sua filha precoce, o filho do vizinho e a neta negligenciada da senhoria acendem os preconceitos da comunidade, ameaçando-lhe o emprego e a própria existência da biblioteca, com consequências dramáticas para todos.

A Bibliotecária é um testemunho comovente da alegria de ler e do poder dos livros em mudar e inspirar todos nós.

 

Opinião: A Bibliotecária é um livro sobre livros, mais especificamente de livros infantis, onde o degradado núcleo de uma biblioteca infantil se torna o centro da ação quando Sylvia chega a East Mole com novas ideias e partilhas para fazer chegar a literatura aos mais novos. 

Numa história que envolve companheirismo, amor, amizade, vontade de ajudar e partilha nos anos 50, Sylvia é apresentada como uma jovem formada com um novo mundo para ser explorado e perante o qual quer valorizar o seu conceito entre a união entre os livros e os pequenos leitores. Na vila onde é acolhida rapidamente acaba por encontrar uma sociedade bem diversificada onde tanto consegue ser aceite como a nova vizinha bibliotecária como consegue gerar olhares menos positivos pela resistência perante a mudança e os receios das tomadas de lugar.

Sylvia desce cedo consegue apelar à visita ao espaço infantil da biblioteca da vila aos seus vizinhos mais novos do lado e consequentemente consegue abranger o serviço escolar, conhecendo novos rostos que chegam à localidade também com novos horizontes perante o futuro numa vila fechada e com costumes bem vincados. O carinho pelas crianças, o amor impossível por um homem casado que a leva a idealizar uma mudança de vida pessoal, o contraste nas relações para com os vizinhos, as incompatibilidades com a senhoria e um chefe altruísta. Acima de tudo relações que surgem e que se vão transformando com o tempo em que Sylvia convive, transforma e deixa que cada um entre na sua vida com espaço, alterando a forma de estar e enfrentando os vários problemas que se vão colocando pelo caminho com os entraves que os opositores lhe vão colocando e o apoio de quem lhe quer bem. 

Salley Vickers consegue agarrar facilmente o leitor em A Bibliotecária, valorizando o cenário e cada personagem à sua maneira dentro da época de 1958 com todas as transformações que foram acontecendo na altura. Uma leitura rápida e bastante acessível, onde senti um certo declive quando de um momento para o outro existe uma passagem súbita do tempo e encontramos os netos de Sylvia a visitarem os locais onde na altura a jovem bibliotecária lutou pelos seus ideais, recordando e imaginando momentos e revelando como a vida desta mulher se desenrolou após a saída de East Mole onde ficou sem o seu lugar na biblioteca infantil, sem amor e com algumas histórias mal resolvidas no passado. Tudo continuou, o futuro fez-se com novas relações e horizontes e as novas gerações surgem para recontar de forma rápida a história, o que não me fez qualquer sentido por ser algo despropositado num romance que até estava a correr bem e foi estragado com esta passagem de tempo onde um final antecipado e corrido é feito de forma totalmente desnecessária. 

 

 

Se ficaste curioso, encomenda já o teu...

a bibliotecária.jpg