Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

A Baleia no Fim do Mundo | John Ironmonger

Bertrand Editora

a baleia no fim do mundo capa.jpg

Título: A Baleia no Fim do Mundo

Título Original: The Whale at the End of the World

Autor: John Ironmonger

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Setembro de 2021

Páginas: 368

ISBN: 978-972-25-4213-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Tudo começou com a baleia.

Um homem nu dá à costa no areal da aldeia de St. Piran, na Cornualha. Torna-se de imediato evidente para os locais que este não será um dia como os outros. Que motivo o terá levado ali? E que crise é aquela que ameaça não só a sua pequena comunidade como também toda a civilização - e que apenas ele compreende?

Com uma pandemia como pano de fundo, e uma baleia à espreita na baía, os habitantes de St. Piran terão de se unir para sobreviver.

John Ironmonger oferece-nos uma narrativa envolvente e otimista, escrita com muito humor, contando-nos uma história desarmante acerca daquilo que é realmente importante para cada um de nós, aquilo que nos mantém a todos juntos, e de como a esperança pode ser sempre encontrada, até no fim do mundo.

 

Opinião: A Baleia no Fim do Mundo é em 2021 uma realidade, mas se olharmos para trás no tempo, aquando do seu lançamento mundial, hoje percebemos que é uma obra futurista, mostrando uma realidade que viria, de forma semelhante, a acontecer aquando do surgimento do Covid19. 

Numa obra envolvente e bem elaborada, esta narrativa de John Ironmonger retrata a necessidade do ser humano de se organizar aquando do momento de uma catástrofe mundial, um vírus gripal que se alastra de forma galopante e que acaba por condicionar mercados, fornecimentos e o bem estar de todos que em qualquer recanto, em comunidade, se sentem confrontados pela falta de alimentos e condições essenciais. 

No mundo moderno, onde o acesso a tudo é cada vez mais fácil e rápido, uma perigosa gripe surge e coloca a sociedade em risco de guerra, com os noticiários a mostrarem o flagelo que começa a surgir pelos mais variados locais do planeta onde o petróleo escasseia, a eletricidade falha, a água canalizada não chega ao seu destino.

O que acontece quando o Mundo começa a parar é o debate essencial feito em A Baleia no Fim do Mundo, onde através das vivências numa vila na costa da Cornualha, em Inglaterra, acompanhamos a chegada de um matemático com as suas ideias e conhecimentos bem definidos para se isolar com os habitantes que não conhece mas que pretende ajudar a se salvarem do que está para chegar. Juntando recursos prévios de sobrevivência e conquistando a comunidade, Joe começa por ser o herói de um população que percebe que os poucos recursos e mantimentos que possuíam antes dos problemas mundiais surgirem não dariam para seguirem em frente, se não tivesse surgido este bondoso homem que rapidamente os uniu para se defenderem do que começou por ser um desastre natural através de uma gripe incontrolável nos primeiros tempos. Ao mesmo tempo que Joe chega a uma vila que necessita de apoio para dar a volta, também uma baleia de grande porte dá à costa numa baia sem água para poder voltar atrás, tentando a sua sobrevivência. Existem coincidências perante o que acontecerá no futuro?

A união e a ideia de comunidade existe e é bem visível nesta história que acaba por ser um bom alerta sobre os tempos que correm serem momentos de necessidade para que todos sigam na mesma maré contra um inimigo invisível e que está pronto a atacar a qualquer momento, sem olhar a classes e categorias sociais. É necessário proteger, criar planos e pensar num todo sem existir a ideia individual perante o futuro e se nesta história primeiramente a ideia de proteger a vila existe, é no Dia de Ação de Graças que se percebe que afinal os outros, os que chegam por bem, também têm algo a dizer sobre o bem fazer para mais tarde receber. Afinal de contas não somos todos feitos da mesma massa? 

A Baleia no Fim do Mundo tem a mensagem essencial em tempos de Covid19 sem o ser, mostrando a forma positiva de dar a volta perante um cenário devastador e de como as leis de sobrevivência persistem quando todos caminham no mesmo sentido. E a baleia, o que será que esconde o elo de ligação para com a chegada de Joe e da baleia no mesmo dia à vila? O final é de salvação com perseverança, podendo ser possível festejar, afinal de contas este é um livro de esperança e boas energias para se dar a volta.

Numa história que nos diz muito nos dias que correm, contada de forma simples e sem disfarces, John Ironmonger destaca a conexão humana nos momentos de maior tensão e necessidade, mostrando uma realidade semelhante ao que muitos têm passado nos últimos tempos. E nunca esquecer, que mesmo com todos os contratempos, existe sempre espaço para encontrar o Amor!

 

Se ficaste curioso, encomenda já o teu exemplar de A Baleia no Fim do Mundo, de John Ironmonger

a baleia no fim do mundo.jpg