Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

1200 seguidores

Consegui! Sim, finalmente consegui chegar aos 1200 seguidores na minha página do Facebook. Uma meta que já andava há algum tempo para ser ultrapassada e que agora a meio de Setembro tornou-se realidade.

Com mais de 40 mil visitantes únicos, 90 mil visitas e 350 mil páginas vistas desde o início do ano, O Informador só me tem dado alegrias. Sozinho tenho conseguido chegar a um maior número de pessoas que diariamente seguem este meu blogue e acompanham os meus passos, opiniões e desabafos.

Sem a dedicação que tenho tido a este projeto, este crescimento não seria possível. No entanto, sem os leitores e seguidores tal também não fazia sentido. Escrevo para mim e para todos os que visitam esta minha casa e ver as páginas das redes sociais a crescerem e os números do blogue a melhorarem mês após mês é motivo de orgulho.

Obrigado a todos!

Problemas de um leitor

Andei por vários blogues literários e também por sites de venda de livros e ao longo do meu percurso fui pensando em vários factos que podem chatear um amante da literatura. Vamos lá ver então alguns pontos que podem irritar um bom leitor...

1. Ser interrompido em plena leitura. Principalmente quando a acção que é contada está a acontecer e chega alguém e estraga por completo a concentração.

2. Confrontarem a pessoa com a questão: Como consegues gostar tanto de ler? Bloqueio completo e só uma resposta azeda está pronta a sair.

3. Um livro que é apreciado pelo leitor é fortemente criticado pela maioria.

4. Um final desapropriado e sem nexo deita tudo a perder.

5. Dizerem que a pessoa anda a ler muito sem saberem o quanto é bom a leitura.

6. As dores que aparecem depois de várias horas agarrado a um livro que nos faz estar quase sempre na mesma posição.

7. Emprestar um livro e recebe-lo de volta em más condições.

8. Querer muito um livro e perceber que o seu preço está alto demais.

9. Entornar qualquer líquido pelas páginas sagradas que nos estão a dar prazer ler.

10. Não perceber as razões que levam os outros a não gostarem de ler.

Existem bem mais motivos para preocuparem os bons leitores mas estas são as razões que destaco e que me afectam com uma maior regularidade.

Dia Mundial do Livro

LivrosAntes de mais tenho que dizer que esta imagem é da estante aqui d' O Informador, mas que não mostra todos os meus livros, mas sim talvez metade deles, já que os outros estão em outro móvel e o modo da sua exposição não facilita uma boa imagem. 

O Dia Mundial do Livro diz-me muito, isto porque os meus livros percorrem cada vez mais quilómetros comigo, fazem-me estar atento às novidades que poderão estar a aparecer, entrar nas livrarias quando passo pelas mesmas e desafiar-me a mim próprio a não trazer mais uns exemplares comigo. Eu tento resistir, mas não é assim tão fácil como parece, mas estas coisas só são percebidas por quem ama livros e não pelos maus leitores que dão exclusividade a revistas e jornais. 

Gosto de ter sempre um bom livro por perto, embora nem sempre faça as escolhas mais acertadas, mas isso é como em tudo na vida, e por gostar de ler, não percebo como a maioria das pessoas não consegue dedicar uns míseros dez minutos diários à leitura, mesmo que seja de um autor que escreve porque sabe que vende e não faz assim um trabalho tão árduo e que conquiste o público mais exigente. Ter um livro do meu lado faz-me sentir bem, sempre foi assim desde que descobri a leitura e quando dei o salto para a literatura de adulto, mais ou menos aos quinze anos de idade e através da leitura de O Mundo de Sofia, da autoria de Jostein Gaarder, o amor pelos livros não mais me abandonou até aos dias que correm. Um livro faz-me esquecer por momentos os problemas do dia-a-dia, relaxar, reflectir, pensar, opinar e, acima de tudo, passar uns bons momentos com um bom amigo que se disfarça através de várias páginas escritas por alguém.

Em Portugal o incentivo à leitura nunca foi muito forte e contínua a não o ser, embora veja as mudanças para melhor acontecerem. Mas depois existem factos que mostram que a nossa cultura só não se transforma porque a sociedade prefere correr contra o que está certo. Hoje, no Dia Mundial do Livro várias foram as entidades importantes que deixaram passar esta data completamente ao lado, sendo esquecida por vários meios de comunicação social que conseguem chegar mais perto da população que eu, por exemplo. Têm que existir mais acções de incentivo à leitura e não deixar que tudo aconteça devagar e nestes dias isso não pode faltar.

Eu adoro ler e tenho sempre um livro a fazer-me companhia pela mesa de cabeceira, na mochila, no carro, em viagem... Não custa nada os não leitores fazerem um teste e se quiserem uma ajuda na escolha falem aqui com O Informador e juntos escolheremos a primeira ou próxima leitura que irá ser feita!

Bons livros!

Questionem-me!

Por vezes apetece-me ser interrogado, que me façam questões. Estou aqui a escrever e penso... Será que alguém vai ler o que escrevo? Será que vão ficar a entender-me mal? Será que ficam coisas por dizer sobre este assunto e depois ninguém me vai perguntar o que os deixa intrigados? Tanta coisa que me passa pela cabeça sobre o que penso e sobre o que quem lê o que escrevo pensam!

Tenho percebido que a interactividade é cada vez mais o prato forte da internet porque sem isso é muito difícil conquistar o nosso lugar. Graças a todos os que me lêem e seguem nas redes sociais - Facebook e Twitter - tenho tido uma noção de que o que tem sido feito por aqui nestes poucos meses tem conquistado. Tenho visto através da subida mensal de visualizações que me tem alegrado que estou no caminho certo.

Mas quero mais, quero que quem me lê também me questione, me fale sobre os seus assuntos, me pergunte o que acho disto ou daquilo. Quero mais interacção com as pessoas que estão a ler este texto neste exato momento, como tal, deixo aqui um desafio, em Comentário ao que estou a escrever coloca-me uma questão, mesmo que seja absurda... Uma questão sobre mim, sobra a vida, sobre a sociedade, sobre o que te apetecer! Depois responderei por aqui ou num novo texto! Quero falar convosco de forma mais directa, porque sem os "meus leitores" este projeto não seria possível!