Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Assalto noturno

Podia contar-vos várias histórias sobre assaltos noturnos enquanto dormimos e somos atacados por quem partilhamos o colchão, no entanto este assalto noturno não teve nada de bom. 

Há uns dias, numa plena manhã em que até acordei bem-disposto, chego ao trabalho e logo detetamos uma falha pelo portão de entrada. Pensei que tivessem tido um desleixe no dia anterior e que o dito portão não tivesse sido fechado corretamente. No entanto quando se abre a porta para entrar ao trabalho rapidamente se percebe que as mãos alheias do roubo tinham entrado nas instalações ao longo da noite e feito estragos.

Alarmes partidos, portas cortadas para conseguirem entrar, cofre abalroado, mercadoria em falta e uma destruição absurda e desnecessária para quem deveria procurar dinheiro e roubar mercadoria para conseguir despachar por feiras e mercados. 

A empresa tinha sido assaltada ao longo da noite por uma equipa já bem experimente no assunto e de manhã é que demos por isso. O alarme foi partido e não funcionou na altura do impacto por algum motivo, o que deixa várias questões no ar acerca dos sistemas de alarme, o local estava isolado e ninguém conseguiria ouvir ou ver o que quer que fosse para o interior das instalações ao longo da noite. Ou seja, os larápios andaram à vontade ao longo do plano que devem ter elaborado ao longo de vários dias para perceberem horários e funcionamento do interior das instalações. 

MEO vs. Ética

Vou a uma loja para baixar o valor da factura mensal MEO e colocam-me ao telefone com um assistente que sabe-se lá onde estará. Entramos em acordo para uma migração de satélite para adsl na televisão, uma vez que anteriormente não existia nada mais que satélite aqui pela aldeia, possibilitando ao mesmo tempo baixar o valor a pagar mensalmente e com a oportunidade de ficar com duas boxs e mais canais. Tudo bem e em bom tom! Um dia passou e os técnicos da instalação não ligaram. Dois dias passaram e ninguém ligou. Ao terceiro dia eu liguei e surpresa... Afinal por aqui ainda não existe nem adsl nem fibra. Onde o moço no outro dia foi buscar tal ideia de algo inexistente pela zona? E qual a razão de não ter sido contactado entretanto para me dizerem que afinal tudo estava embrulhado e teria de ficar como estava anteriormente? Por agora, tudo fica inalterado como até aqui, embora tenha reduzido um serviço, o que acaba por diminuir o valor total da factura, no entanto agora vou esperar até que surja alguma promoção assim daquelas um pouco mais atraentes para alterar o pacote que terá de continuar a ser de satélite na televisão e adsl na internet e no telefone fixo que era totalmente indispensável mas que é praticamente obrigatório em qualquer pacote. Não gostei deste atendimento do salta pocinhas e do dá-nãodá-dá-nãodá, só para tentarem empatar durante uns dias, neste caso umas semanas, uma mudança de tarifário ou mesmo de operadora. Erraram e ficaram depois em silêncio talvez à espera que me esquecesse da situação, não percebi! Ainda dizem que as grandes empresas como a MEO têm um grande atendimento ao cliente! Nota-se!

Serão divertido!

No rescaldo do jantar de Natal da empresa, confesso que passei um serão bem divertido na companhia das pessoas com quem partilho a maior parte dos meus dias praticamente por obrigação.

Um serão que começou pelas 20h30 e terminou para lá das 03h00 com o sono a aparecer por todos os lados e a ideia de que só iria jantar e partiria para casa logo de seguida a ficar para trás. 

O melhor de há nove anos para cá!

Só para vos avisar...

... Que daqui a pouco vou ao jantar de Natal da empresa e que pela primeira vez vamos todos, todinhos! Pelo menos é isso que está combinado! Será que irá ser concretizado?

A espera no Apoio ao Cliente

Ligamos para o Apoio ao Cliente de qualquer operadora nacional e o que acontece?! Ficamos minutos e minutos ao som de um tema qualquer que já esteve há uns meses na berra, esperando e ouvindo por vezes que assim que possível seremos atendidos. Voltamos ao som e a gravação automática que nos leva a aguardar volta a aparecer, até que por fim, talvez um dez ou quinze minutos depois, lá surge uma voz real que nos cumprimenta e coloca a questão que nos levou a ligar para um certo número.

Como é que as empresas de comunicação conseguem vangloriarem-se com os prémios obtidos por diversas categorias e em diferentes áreas, referindo-se até ao melhor atendimento ao cliente e depois fazem-nos estar na sala de espera nacional por tempo indeterminado e sem qualquer contacto?!

Ligar para qualquer Apoio ao Cliente em Portugal é como ir às urgências de um hospital público e ficar sentado horas intermináveis em espera por uma consulta. Os profissionais existem só que estão em suas casas no desemprego para as empresas continuarem a juntar milhões pelos bolsos dos topos e seus companheiros de jornada!

Traição laboral

Uma empresa com uma dezena de funcionários! Dois colegas com parceiros matrimoniais! Um envolvimento clandestino onde os sentimentos são diferentes entre si e que irá levar a uma ruptura, seja ela qual for!

Isto poderia ser a rápida apresentação de uma qualquer série ou novela televisiva, no entanto este caso está a acontecer na vida real e as conversas começam a adensar-se. Quanto a mim, como responsável pelo trabalho de ambos, só tenho pena que não consigam distanciar a vida privada e a laboral, dividindo horários e não deixando os sentimentos interferirem com os seus desempenhos e comportamentos dentro da empresa.

Não me interessa se ambos sentem o mesmo um pelo outro, se os seus respetivos vão tomar conhecimento sobre o que se anda a passar aos olhos de todos e no resultado que isso irá ter nas suas vidas. O que me interessa, e com o qual não estou a conseguir ainda lidar, é com o facto de ambos, talvez por pensarem com as hormonas, não conseguirem evitar os seus comportamentos dentro da empresa, acabando por se prejudicarem mutuamente.

A busca do amor, ou seja o que lhe queiram chamar, é normal, desde que se pense que existe toda uma vida onde o trabalho é necessário, tal como os bons comportamentos pedidos nessa área.

Afinal vou ao jantar de Natal

Contrariamente à minha vontade inicial que já surge devido ao passado, este ano resolvi mudar de ideias e vou ao jantar de Natal da empresa. Será no próximo Sábado, por Lisboa, com buffet livre para todos na zona do Casino. Primeiramente disse que não ia, mas depois e também porque a insistência aconteceu, lá acabei por ceder. Tenho outras funções e ficava realmente mal não marcar presença neste evento anual que desta vez até terá direito a contar com o patrão há mesa.

Próximo Sábado lá estarei pronto para o jantar de Natal com os colegas com quem passo várias horas do dia! Uma mesa para catorze marcada, uma vontade forte de muitos para a chegada do momento e por aqui só espero que tudo corra bem e que não termine muito tarde porque não me sinto deveras inspirado para andar por aí até altas horas da noite num evento onde não era para dizer «presente». 

Vá, vamos lá fazer o jantar de Natal e não me chateiem a cabeça!

Anedota caseira

Ao jantar...

Mãe: - Amanhã jantas em casa?

Filho: - Sim janto!

Mãe: - É que se não jantasses o jantar seria só para mim porque o teu pai vai para um jantar!

Filho: - Hum, um jantar! Então de quem?

Pai: - Do euromilhões, do grupo da firma!

Filho: - Ah, o Passos Coelho agora já organiza jantares da sociedade do euromilhões?

Um pormenor, o pai desta família está desempregado mas continua a achar que tem de ir jantar com os antigos colegas de trabalho que continuam a laborar na mesma empresa. Ou seja, este jantar do grupo do euromilhões é de quem trabalha ainda no mesmo local, mas não se percebe como quem já lá não está insiste em fazer parte da sociedade ao longo de todo o ano e pensa que tem de ir ao evento como se nada tivesse acontecido!

Sonhos antigos bem enraizados!