Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

03
Nov18

Péssimas lembranças

O Informador

pessimismo.jpg

Nos momentos calmos, geralmente quando já se está quase a adormecer, surgem por vezes pela mente algumas lembranças de vivências do passado. Se existiram fases da nossa vida que até correram bem, existem outras que eram totalmente dispensadas de acontecer e de agora poderem ser lembradas. 

Foi isso que me aconteceu há dias, quando dei por mim a recordar comportamentos e mesmo opções tomadas no passado, já algo longínquo, mas que ficaram na memória. Porque terei agora, uns bons anos depois, mais de dez por sinal, recordado o que me fez mal. Saudades não podem ser. Vontade de as reviver muito menos. E somente o facto de me terem surgindo em pensamento já me fizeram mal.

19
Ago18

Fora com o siso

O Informador

dente do siso.png

O problema com os dentes do siso sempre pairaram na minha mente como causando fortes dores quando as primeiras picadas surgem e também a ideia que ao tirar provocava mal estar e era sempre complicado. A minha primeira experiência, aos trinta e um anos de idade, ao tirar um dente do siso, o primeiro a saltar, quebrou todas as ideias que a sociedade me foi concedendo ao longo dos anos. 

Sim, tive dores enquanto não fui ao dentista. Sim, tive um fim-de-semana inteiro com essas mesmas dores, mas tudo suportável, já tendo tido verdadeiras dores de dentes complicadas de aguentar. Marquei dentista, sentei-me na cadeira, expliquei o que se passava e posso dizer que acredito que nem cinco minutos estive sentado a resolver a situação. Anestesia em três pontos na zona, os acessórios próprios a tocarem no dente, a questão sobre se está a doer e em menos de nada senti o dente a saltar do seu lugar de sempre. Não custou nada. Certo é que foi rápido, a dor que se gerou durante dias desapareceu num ápice e tudo ficou resolvido com uma compressa por uns minutos e os cuidados com a comida durante as horas seguintes. O pior veio quando o efeito da anestesia passou. É que ao longo de dois dias senti as mesmas dores como se o dente ainda lá estivesse a provocar. Medicação para as dores, gel próprio para a boca, bochecho com líquidos adequados e nada. Até que tive de voltar ao consultório e com uma pasta com medicação foi nuns breves segundos que tudo ficou adormecido para acalmar estas dores dos primeiros dias sem o siso. 

15
Ago18

Fim-de-semana caseiro

O Informador

descansar.jpg

Todos sofremos do mesmo ao longo de determinado período e aqui o moço não é exceção. No passado fim-de-semana o meu estado de espírito bloqueou por completo e a ideia era só uma, ficar por casa, aproveitar o sossego do lar, ligar-me ao Netflix, nada de computador e livros deixados na mesa-de-cabeceira. A ideia era descansar, dormir mais que o habitual e ver vários episódios das séries em andamento. Quase que assim foi!

No Sábado ainda sai após o almoço para um café mas logo regressei a casa, após deixar umas dezenas de euros na troca do comando do carro que se partiu. Mais de metade da tarde foi passada de cama, a deixar que os músculos relaxassem e a televisão ligada como companhia perfeita. Não estava para sair, mas após o jantar a noite chamou e esticou até bem tarde, o que foi recompensado no Domingo, onde acordei perto do meio-dia, nada de almoços e somente um iogurte para não ficar com o estômago completamente vazio. A tarde foi passada completamente na ronha, sem quase me mexer, entre a fase do sentado e deitado onde adormeci várias vezes para acordar com um som exterior que me foi despertando. Descansei durante todo um Domingo em que não coloquei os pés na rua, tendo mesmo assim adormecido à noite cedo e acordado mais tarde na Segunda-feira. 

12
Ago18

Ai! Ai! Ai, os Músculos!

O Informador

perna músculo.jpg

Há mais de um ano, para não dizer quase dois, que não faço exercício físico a sério, mas há uns dias resolvi fazer uma quase escalada no sobe e desce para ir para a praia e como se não bastasse ainda andei bem com a tralha às costas e corri um pouco ao final da tarde. No que isto resultou? Os músculos não se aguentaram e ficaram todos para lá de doridos. 

O rapaz não sabe ser meigo e no momento não dói nada, no outro dia de manhã ao acordar é que se apercebeu que tudo eram dores, das costas às pernas. Parecia mesmo um boneco articulado em certos momentos de vários dias consecutivos. Cremes atrás de cremes para aliviar a dor, massagens caseiras e ao contrário do que seria de esperar e até me aconselharam, não deixei que as dores me afetassem o dia-a-dia. Desci e subi várias vezes as escadas de casa para fazer a vida de forma normal, como se as malvadas dores nem existissem. Sei que as pessoas na rua podiam achar estranho um andar tão vagaroso e desengonçado, mas tinha que ser. Existiram mesmo momentos, numa ida ao IKEA em que me desequilibrei umas três vezes pelo choque da dor. E entrar e sair do carro? Lindo, só mesmo se tivessem filmado para vos mostrar, porém não vos quis dar tal prazer. 

16
Jul18

Novidades do Desempregado

O Informador

centro de emprego.jpg

Há uns dias contei por aqui a minha espera no desemprego. Entretanto tenho novidades sobre este tema que parece estar complicado de ser resolvido. Vamos lá ver se foi desta!

Inscrição, semanas de espera, nada era indicado até que surgiu uma informação inesperada, após várias tentativas da minha parte para saber o que se passava, que tinha o processo bloqueado por existir uma mensagem no sistema da Segurança Social que indicava que possivelmente, atenção, possivelmente, segundo indicação via telefone de uma técnica, havia faltado a uma convocatória após já estar a trabalhar numa nova empresa. Voltei à Segurança Social pessoalmente e expliquei o que me havia sido dito no telefonema, escrevi uma carta explicativa em como nada me tinha chegado naquela altura para me deslocar onde quer que fosse. Uns dias depois, poucos, porque já estou cansado deste processo, liguei novamente para o número da Segurança Social - 300 502 502 - onde falei com duas outras técnicas que me transmitiram a informação para me dirigir à sede do centro de emprego da zona porque terá sido um erro informático feito na altura em que receberam informação da empresa em como me encontrava já a trabalhar. Ou seja, comecei a trabalhar e essa informação estava correta, só que uns dias depois colocaram também que o subsídio de desemprego tinha sido anulado por ter faltado a alguma coisa para a qual não fui convocado. Melhor explicado só posso dizer que foi falha de quem tratou do processo que preencheu informaticamente mal a opção em como já estava a trabalhar e a descontar, colocando a informação de que seria para anular e não para congelar o subsídio que quase não usei, uma vez que tinha direito a dezasseis meses e nem dois utilizei. Ou seja, não faltei porque não fui convocado como me havia sido transmitido inicialmente, levando assim a querer que os primeiros técnicos com quem falei pessoalmente e via telefone nem se preocuparam minimamente em perceber a razão daquele bloqueio que partiu de um erro deles.

12
Jul18

Em espera no desemprego

O Informador

desemprego.jpg

Os mais atentos deverão saber que estou desempregado desde o início de Junho. Um ano após ter entrado em funções no meu segundo emprego fiquei no desemprego. De imediato recorri à segurança social para entrar no período de subsidio a que tenho direito, enquanto procuro algo novo. Uma vez que pelos dez anos de casa no emprego anterior tive direito a dezasseis meses e nem dois usei, agora posso voltar a ativar o período e valores em falta. Tudo parecia meio encaminhado, até que a mensagem no portal da segurança social não passava de Indeferido.

Mais de um mês depois comecei a fazer chamadas para o número da linha de apoio e as explicações eram de que tudo estava em espera ainda. Deixava passar mais uns dias e o mesmo testemunho era dado do outro lado. Enviei email a tentar saber alguma coisa e uma semana depois obtive resposta a esse mesmo email onde me deram a indicação que não tinha direito a subsídio porque, vim depois a saber por chamada telefónica, tinha faltado a uma convocatória da primeira vez, o ano passado, em que estive desempregado. O mais giro disto tudo é que nunca recebi qualquer documento via correios ou email para me apresentar onde quer que fosse e o período em que indicam de ter faltado encontra-se uma semana após ter voltado ao ativo na empresa onde estive um ano. Ou seja, saí do desemprego no dia um e ao dia cinco supostamente faltei a uma reunião da segurança social que nem tive conhecimento, a não ser agora que tentei rebuscar o período a que tenho direito. 

09
Jul18

Encontros indesejados

O Informador

pessoa.jpg

Existem dias em que nem todos estamos para aturar certos cromos que nos aparecem pela frente. Estava num desses dias quando me apareceu pela frente uma antiga colega de trabalho daquelas que tanto fala para não dizer nada, que acaba por cansar só de saber que quando me vê ao longe já vem a pensar no tanto que tem para contar sobre a sua vida.

Foi uma situação deste género com que me deparei há uns dias. Tinha estacionado o carro para seguir a minha vida e eis que ainda no parque de estacionamento vejo de frente, ainda com alguma distância, a pessoa que desejava não ter encontrado naquele dia. Sei que de forma rápida o cérebro tentou que me escapasse para algum lado, mas o olhar foi fulcral e ao mesmo tempo que a vi também fui apanhado na ratoeira e tive de seguir em frente.

Naquele momento pensei que teria de ser simpático, dar um pouco, mas mesmo pouco, de conversa para não transmitir uma de mal educado e colocar a máscara de simpatia própria para o momento. Assim foi, lá segui o meu caminho, cumprimentamos-nos e fiquei uns bons vinte minutos a conversar, ou melhor, a ouvir um quase monólogo daqueles que têm direito a histórias do dia mas também a memórias do tempo de trabalho e de figuras que só ouvimos falar e nem sabemos quem são ao certo. 

30-a-50-nobel-literatura-mrec

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook