Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

11
Dez17

Mesa de Natal

No Natal existem produtos que não faltam nas mesas portuguesas! Do tradicional bacalhau com batatas e coves cozidas, ao peru no forno para refeição central, surgem logo depois os doces, onde o bolo rei ainda é o senhor da mesa da consoada, mas por quanto tempo?

Os doces são cada vez mais a grande tentação da época, dos antigos sonhos às novas receitas de bolo rei onde o chocolate brilha, o doce de maça toma lugar e o recheio com doce de ovos é a verdadeira tentação. Neste momento existem tantas receitas de bolo rei como a imaginação de cada um permite, sendo a tradição da fava e do brinde uma antiguidade já não praticada por motivos de precaução e aos poucos também o fofo bolo com frutas secas e recheadas de açúcar tem vindo a perder o seu estatuto. Agora a mesa de Natal tem doces para todos os gostos e nem o bacalhau já se apresenta cozinho, sendo apresentado em muitos casos através das mais diversas receitas onde o marismo ganha também cada vez mais destaque para se tornar o anfitrião da ceia. 

30
Out17

Telepizza lança Vulcano Sweet

 

A Telepizza não pára de inovar e inventar! Agora para não se ficar atrás das marcas congeladas que estão pelo mercado nacional com algumas novidades achocolatadas, eis que surge uma nova sobremesa feita com a massa fresca Telepizza. 

Vulcano Sweet é a mais recente novidade do grupo de restauração! Aliando a massa habitual com creme de cacau e avelãs onde pedaços de KitKat têm lugar no centro de um «vulcão», esta nova sobremesa promete fazer as delícias dos mais gulosos amantes de chocolate que podem aliar assim o sabor da Nestlé a uma pizza. 

19
Set17

Stress? Eis os alimentos que o combatem!

salmão.jpg

As pessoas que sofrem de algum stress acima do normal podem descansar porque surgem notícias com dados comprovados com alguns alimentos que podem ajudar os stressados desta vida!

No dia-a-dia todos estamos sujeitos a situações de stress, quer seja em casa, no trabalho, no trânsito ou até nas compras, mas existem alimentos que podem ajudar a tranquilizar o mais stressado de todos nós. O site Health divulgou a lista com os cinco alimentos que mais apoiam a redução do stress que se pode manifestar de várias formas emocionais, pelo cansaço e dores corporais. 

As verduras que ao produzirem dopamina, um químico cerebral responsável pelo prazer e que acabam por acalmar os níveis de tensão. O chocolate negro tão bem conhecido por ser um ótimo anti-stress através dos antioxidantes do cacau que ajudam a provocar um efeito relaxante sobre os vasos sanguíneos, ajudando a uma melhor circulação. O salmão por ser um peixe rico em ómega3 com as suas propriedades anti-inflamatórias. O peito de peru por ser rico em triptófano, o aminoácido que ajuda a regular a fome e os sentimentos de bem-estar e felicidade. E o iogurte que apoia a regulação de um possível mal-estar que o stress pode colocar através de dores intestinais. 

07
Ago17

Refeições de moleza

As recordações de infância são sempre uma mistura de bons e maus momentos da altura que se refletem em boas ideias sobre o que nos foi acontecendo. Na verdade percebo aos trinta que tive uma infância feliz, com pais que me amam, com uma família que sempre me deu mimo e com uma curiosidade e rebeldia de criança que em casa era uma coisa e na rua perante a sociedade era outra. 

Hoje apetece-me comentar o facto de ser um autêntico caracol no que toca a refeições. Lembro-me tão bem dos tempos de escola primária em que ao longo de uma hora ia até casa para almoçar, o que sempre foi bom por viver na terrinha, e conseguia demorar todos aqueles sessenta minutos a comer. Não, não era porque o prato estava cheio demais, era sim porque até mais ou menos aos dez anos era um molenga de primeira para comer. Demorava eternidades a tomar uma refeição, tentavam que comesse sozinho mas para o fim da hora já me tinham de ajudar para que não voltasse para as aulas de estômago vazio. Conseguia sentar-me à mesa e ficar a olhar para o prato, escolhendo o que colocar no garfo e nada levar até à boca para me despachar. Claro que aquela hora raramente acabava bem porque a vontade de comer era pouca, depois começavam a ralhar, ajudavam e por vezes acabava mesmo por apanhar uma lambisca para tentarem que comesse alguma coisa de jeito. E quando era peixe então tudo se tornava bem pior, uma autêntica tortura. 

Hoje envergonho-me dessa má fase que dei aos meus pais que se viam aflitos para que conseguissem fazer-me comer alguma coisa mas lembro-me daquelas inúmeras situações em que sentado numa mesa branca redonda ficava de olhos postos no prato e de boca fechada.