Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Preciso de feedback

06
Jul19

compras online.jpg

 

Caros amigos, conhecidos, desconhecidos, visitantes, leitores e parasitas do blog, preciso da vossa ajuda para me ajudarem a perceber se uma loja online é puramente de confiança ou não. Necessito de comprar um portátil novo e/ou (ainda estou a pensar) um tablet com teclado, e encontrei nas newsletter que recebo semanalmente a página GalpBonus, associada ao universo Goodlife, só que acho os preços tão bons que até desconfio.

Visitanto a página não encontro nada que me faça desconfiar sobre a veracidade desta loja online de oportunidades, mas olho para determinados preços com mais de 80% de desconto e fico meio tresloucado por tal existir mesmo. Alguém já comprou algum artigo através desta página? Preciso de saber o vosso feedback para que nos próximos dias me resolva sobre se avanço com uma compra neste portal ou não. Na verdade preciso de um portátil renovado mas o que tenho ainda aguenta mais uns tempos e o tablet não tenho mesmo e noto que faz alguma falta para andar sempre comigo para me auxiliar também com as questões do blog. Os produtos são enviados? Existem reclamações? As compras chegam em mau estado? Preciso de ajuda sobre esta questão!

Cartões de Crédito, Débito e Pré-Pagos: O que são e as principais diferenças?

03
Jul19

cartão multibanco.jpg

 

Quantas vezes usas o cartão para pagares as tuas compras, os serviços ou, apenas, fazer o levantamento de dinheiro da conta? Esta é uma prática comum e o uso de cartões de débito tem subido, existindo cada vez mais portugueses a fazer pagamentos através dos TPAs.

Os serviços descritos acima, regra geral, são feitos com os cartões de débito, mas existem mais dois tipos de cartões que podem fazer parte do nosso quotidiano: os cartões de crédito e os cartões pré-pagos.

Conhece a diferença entre os três cartões mais usados em Portugal e sabe mais informações sobre cada um destes.

 

Cartões de Débito

Os cartões de débito são os mais comuns e, regra geral, os primeiros feitos por qualquer português. Estes cartões permitem efetuar o levantamento, pagamento de serviços ou produtos, consultar o saldo de conta, entre outros, tudo relacionado à conta na qual se é titular.

As operações feitas com este cartão implicam uma subtração do saldo da conta de forma imediata, ou seja, se a conta não tiver saldo disponível, as operações não podem ser realizadas. Algumas das operações podem ter custos associados. Este cartão, recentemente, melhorou a sua tecnologia, adicionado a tecnologia Contactless que permite o pagamento de compras até 20€, usando apenas a proximidade do cartão ao TPA. Para que seja possível o seu uso, o TPA deve ter implementado este sistema tecnológico.

Nos cartões de débito existe, ainda, o cartão de débito diferido que é muito útil para pagamento de contas enquanto o saldo da conta não está disponível. Resumindo rapidamente, nestes cartões o pagamento pode ser realizado e o débito será feito posteriormente, numa data que será acordada entre o consumidor e o banco.

Existem, ainda, os cartões mistos que permitem, por exemplo, a opção de débito e de crédito com um mesmo cartão. Nestes cartões, aquando o pagamento, devemos escolher qual a opção que pretendemos – débito ou crédito.

 

Cartões de Crédito

Ao contrário dos cartões de débito, os cartões de crédito permitem fazer pagamentos através de um plafond previamente contratado, ou seja, um crédito. Sendo assim, não necessitas de ter dinheiro na conta bancária, o valor usado será pago posteriormente.

Dependendo do valor contratado, o reembolso à instituição pode ser feito numa determinada data na totalidade ou a prestações. Todas estas informações serão acordadas antes de usar o valor. Lembra-te que o não pagamento dentro do prazo acordado pode levar à implementação de juros.

Convites Duplos | GOD | 12/13.07.2019

02
Jul19

god.jpg

 

GOD, o espetáculo de sucesso protagonizado por Joaquim Monchique volta a Lisboa para uma nova temporada de Verão no Teatro Villaret. Com sessões marcadas a partir de dia 12 de Julho às Sextas-feiras e Sábados pelas 21h30, e aos Domingos, pelas 18h00, GOD promete voltar a encher a sala de espetáculos até 20 de Setembro. 

A comédia divinal está assim de volta aos palcos, dando ao público nova oportunidade para assistir a este extraordinário espetáculo onde o humor é levado a um bom nível que já conquistou mais de cinquenta mil espetadores em Portugal desde 2016 através das várias temporadas que já foram levadas a cena. 

Deus regressa assim à Terra através de Joaquim Monchique a quem se juntam os anjos Miguel e Gabriel, interpretados por Diogo Mesquita e Rui Andrade, numa tentativa de alterarem o rumo da humanidade para tornarem a vida terrena mais aprazível.

Para assinalar o arranque da temporada de Verão no Teatro Villaret com GOD, tenho convites duplos para sortear para as sessões de dia 12 e 13 de Julho, Sexta-feira e Sábado, respetivamente, pelas 21h30. Se preferires assistir à sessão de dia 14, Domingo, pelas 18h00, também podes tentar a sorte via Instagram. Este passatempo irá estar disponível até às 10h00 de dia 11 de Julho, Quinta-feira, e nesse dia serão revelados os nomes dos vencedores nesta mesma publicação, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos bilhetes acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem.

Despertador corporal

01
Jul19

despertador telemóvel.jpg

 

Os horários, despertadores e nascer do sol parecem por vezes pesados para quem quer dormir só mais um pouco. No entanto por vezes existem situações inexplicáveis como a que me tem acontecido recentemente com alguma regularidade. Falo do facto de acordar uns minutos, poucos até, antes que o despertador do telemóvel comece a soar em alto e bom som para que me levante e comece a despachar. 

Esta situação acontece há alguns dias, estando em dia de trabalho ou folga sem horários. Naquela hora, ou no aproximar daquele horário, começo a acordar e quando calho em olhar para o ecrã do telemóvel percebo que o ter acordado naquele momento só significa que estou somente uns minutos à frente do ensurdecedor toque que por vezes consegue irritar a valer. O corpo parece já estar formatado para cumprir aquele horário de sono, sabendo quando tem de começar a despertar para começar mais um dia. Mesmo que adormeça em horas distintas, o acordar não foge muito do prazo, o que nem sempre é agradável, principalmente em dias de pausa em que se pode aproveitar um pouco mais a cama mas a mente faz das suas e leva a que se acorde. 

Por outro lado e também numa situação que aconteceu há uns dias, este acordar vespertino sem ajuda acabou por me salvar o dia para não chegar atrasado. É que após uma noite em que me deitei bem tarde e sabia que teria de acordar cedo, o telemóvel acabou por ficar sem bateria e consequentemente não tocou na hora prevista. Como estava mesmo pregado de sono por me ter deitado com horas de atraso precisava mesmo do despertador que não funcionou neste caso, no entanto acabei mesmo por acordar ainda a tempo, despachei-me e não cheguei atrasado graças ao horário corporal que vive dentro de mim.

Momento de gratidão na estrada

30
Jun19

gratidão.jpg

Agradeço a concentração que mantive há uns dias quando poderia ter sofrido um acidente por um condutor apressado resolver não parar num stop. Seguia na minha vida e só tive mesmo tempo de desviar o carro para a estrada de onde acabava de sair o veículo com o seu condutor indisciplinado. Se não fosse atento e tivesse seguido caminho como normalmente e como seria intenção também naquele dia, lá os tinha levado pela frente. Ficava sem carro, quase de certeza que todos saímos magoados e podia mesmo não estar aqui para vos contar esta história. Ao poder de concentração, pensamento rápido e capacidade de ação, só tenho a agradecer!

Vergonha alarmante

29
Jun19

vergonha.jpg

 

Há uns dias os colegas decidiram colocar alarmes na mochila que costumo levar para o emprego. Sai no horário, percebi que tinha os alarmes mas esqueci-me de os tirar. No dia seguinte estive de folga, fui ao centro comercial para desanuviar a mente em passeio e eis que os alarmes começaram a soar mal entrei na primeira loja. Ah pois é!

Os alarmes tocaram, logo me lembrei o que se passava, fiquei todo vermelho, o segurança aproximou-se, mostrei o alarme que rapidamente tirei do bolso da mochila e segui caminho. Claro que a situação ficava resolvida facilmente, primeiro porque estava a entrar e depois porque bastava tirar o alarme que nem era igual nem semelhante ao que é colocado nos produtos da loja em questão para perceberem que não tinha nada deles comigo. 

Frio atendimento

27
Jun19

mau atendimento.jpg

 

É incrível como em pleno século XXI e com a taxa de desemprego ainda um pouco elevada, existam pessoas a trabalhar com o público sem o mínimo de sensatez sobre um bom atendimento. Se não sabem lidar com os outros quando estão ao serviço, então o melhor é mesmo procurarem um emprego onde estejam sozinhos e sem qualquer contacto com os outros e deixarem assim o seu lugar vago para quem o sabe realizar em condições.

Ir a um estabelecimento, quer seja café, restaurante, loja, caravana ou padaria e perceber que atrás do balcão está uma pessoa com cara fechada, a falar com mau tom, num volume elevado a revelar ainda mais a sua má disposição, é somente meio caminho para ficar com vontade de virar costas e seguir viagem sem fazer qualquer pedido ou questão.

Será que as pessoas que gostam de trabalhar na área comercial não têm consciência do que estão a fazer perante a cordialidade e simpatia que têm de demonstrar aos clientes? Podem estar no pior dia de merda do mês, fartos das oito horas obrigatórias, indispostos por algo que comeram ou insatisfeitos pelo mau pagamento, mas uma coisa é estar mal, outra é descarregar no cliente que não tem qualquer culpa do seu estado de espírito.

Peço, por favor, que sejam educados e que se ponham no lugar dos outros. Trabalho com o cliente e sei o que é estar dos dois lados. Se sou mal recebido não volto e sempre é isso que tenho em conta quando estou em modo empregado a receber clientes que precisam de ajuda e que por vezes necessitam somente de uns minutos extra de conversa que não me custa a dar e que deixam em vários casos quem precisa de falar satisfeito para voltar onde se sentiu bem recebido.