Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

31
Jul20

Ajuntamentos clandestinos

ajuntamentos.jpg

 

Um dia desta semana, quando sai mais tarde do trabalho, e a caminho de casa passei ao lado de um dos jardins no final da vila para seguir para a aldeia onde vivo e eis que me deparo com algum barulho num espaço recôndito mas que se fazia ouvir da estrada.

Olhei no momento da passagem, nenhum carro pelas redondezas, mas no centro de um espaço mais protegido mas com visão para a estrada, deveriam estar mais de vinte adolescentes em festa, num espaço tão pequeno como o antigo quarto de Cristina Ferreira no seu programa matinal na SIC. Imagina um espaço pequeno assim, mas amplo, circular e com um muro em volta, com mais de vinte pessoas dentro, como se tivessem numa pista de dança, com o som em alguma coluna, de copos de plástico na mão e sem o espaçamento necessário para com os cuidados de higiene e distância de segurança pretendidos nesta altura do campeonato mundial em que ainda nos encontramos. 

30
Jul20

Atrofio de comportamentos

pessoas.png

 

As pessoas podiam ter aprendido a respeitar o espaço de cada um com esta situação pandémica, mas não, neste momento e com a situação mais controlada e uma maior liberdade, muitos se acham no direito de desrespeitarem regras e obrigações para com os cuidados de higiene a serem seguidos para uma boa interação social para que todos possamos sentir uma maior segurança. 

Trabalho com o público e por vezes é mesmo necessário fazer má cara ou responder de forma mais dura a certas personagens que não querem seguir as normas formalizadas pelo estado governamental para com todos os cuidados a manter para com a higienização dos espaços e das pessoas para que todos possamos correr o menor risco possível. Será que as pessoas não entendem que não devem zelar somente pelo seu próprio bem mas também pelo dos outros com quem se cruzam na vida?

Não consigo entender esta falta de noção de tantas pessoas adultas e supostamente responsáveis para com a má vontade de seguirem as regras de bom senso geral numa nova fase a que todos nós tivemos de nos habituar de forma rápida e de modo a prevalecer por uns bons tempos.

Pedimos com respeito para seguirem as normas, voltamos a repetir de forma calma a perceber que nos estão a ignorar e no fim ainda nos respondem mal, tirando a máscara da cara, usando a desculpa do esquecimento, dizem que não têm de andar a passar álcool gel em cada estabelecimento em que entram porque não vão tocar em nada. A ideia então é a de se não vão tocar em nada, não vou comprar, logo não devem sequer entrar e ocuparem um lugar que pode ser de outra pessoa por existirem entradas limitadas neste momento nos espaços. As pessoas não se equilibram ou querem fazer dos outros parvos? A falta de bom senso deixa-me intranquilo para com o futuro da nossa sociedade!

29
Jul20

Dia do "Bom dia!"

8589446724_fb42efd885.jpg

Hoje o lema é simplesmente o de desejar os Bons Dias a todos os que passarem por este simples e rápido texto!

Ora Bom Dia, bom dia, bom dia! Bom dia a ti, bom dia ao outro e ainda a todos os que me visitarem ou circundarem por estas paragens! Hoje é o meu dia do Bom Dia, como tal desejo a todos votos de felicidades e que celebrem a vida à vossa maneira! Desfrutem do que têm de melhor à vossa volta, do tempo que se faz sentir e de companhias únicas e enriquecedoras.

28
Jul20

Noites quentes

cama-vazia.jpg

 

Noites quentes são estas que apareceram por uns dias para nos atormentar o sono? Geralmente nem sou muito encalorado com as horas noturnas mais quentes mas este ano tem sido horrível!

Antes de deitar tenho de abrir a janela para que o fresco da rua entre e faça circular um pouco o ar quente que a casa vai ganhando durante o dia. Geralmente suporto estas noites quentes mas este ano tem sido horrível, mesmo em noites em que o leve vento se faz sentir lá fora não consigo resistir a não abrir as portas da janela para deixar entrar essa brisa, preferindo ficar tapado mas sentindo no rosto o ar fresco.

27
Jul20

Final do Big Brother a caminho...

big brother cláudio ramos.jpg

 

Na semana em que Cláudio Ramos visitou e jantou com os concorrentes do Big Brother, a penúltima gala do Big Brother começou como era esperado e por um motivo inesperado. A morte do pai de Ana Catharina marcou o final desta semana no jogo. A concorrente ficou a saber da notícia através de duas amigas que foram a uma sala privada da mansão da Ericeira, longe das câmaras e com todas as condições de segurança, e rapidamente a concorrente decidiu permanecer em jogo por estar longe da família que reside no Brasil. No Sábado as emoções foram fortes na casa e o serão de Domingo tinha mesmo de começar por este incidente que aconteceu fora do jogo mas que acabou por afetar a concorrente e os seus companheiros mais próximos. 

Com a devida homenagem, Cláudio Ramos discursou, mostrou todo o apoio do canal, produtora e público à concorrente brasileira, tendo sido mostrado como tudo foi explicado a Ana Catharina. A presença do Diogo nos momentos após a notícia ser dada, mostrando ter sido incansável com a sua companheira de jogo e com quem tem mantido uma ligação diferente e os desabafos para com o Big Brother da própria Ana sobre a sua história de vida para com o pai. O momento da curva da vida desta semana coube também a Ana Catharina, revelando os seus altos e baixos, mesmo perante a família que não aceitou a sua vontade de liberdade, partindo e acreditando nos seus objetivos e lutando pelos mesmos. A força para com a luta da igualdade das mulheres, o veganismo, a natureza, a proteção dos animais como se fossem pessoas. Todo o percurso que defendeu na casa é exatamente o reflexo da sua vida, lutando pelo coração e sem hesitar na hora de defender as suas vontades e crenças. A concorrente recebeu ainda mensagem em vídeo da mãe, que diz ser diferente de si, mas mostrando esta mensagem a quem a concorrente foi retirar a sua boa vontade para com a partilha e a vida. No final, Cláudio Ramos chamou Noélia ao confessionário para dar aquela força de quem perdeu o pai umas semanas antes de entrar na grande aventura da entrada no reality show. Um dos momentos mais fortes que este programa viveu ao longo da sua edição foi tudo o que a produção conseguiu criar em torno da Ana Catharina, sem cair no exagero e mostrando a simplicidade e a beleza que a própria concorrente sempre transmitiu com a sua estadia na casa, até num dos momentos mais pesados da sua vida.

Na sala os concorrentes escolherem os que poderiam ver os seus familiares, amigos e namorados através de um plástico onde deu para abraçar e conversar por breves instantes. Sandrina ganhou a escolha, tendo encontrado, ao final de três meses a sua mãe, chorando assim que bateu com os olhos na progenitora, recebendo assim força para a semana final do jogo. Ana Catharina também foi eleita, encontrando em noite de emoções fortes a amiga Débora com a qual praticamente não falou, abrançando e chorando, e gesticulando com a força do poder corporal a que nos tem habituado ao longo da sua estadia na casa. Iury também teve o seu momento com a mãe, mostrando mais uma crise de infantilidade com que nos tem habituado ao longo do jogo. Pedindo desculpas à mãe por algo que tenha feito dentro da casa, Iury sempre a pensar na opinião dos outros sem viver a experiência como devia. Na casa sempre pressionada por Daniel Monteiro quando este estava e após o seu regresso à casa da Ericeira, cá fora, sabendo que a família não aceitava os seus comportamentos amorosos, por isso tendo travado a sua naturalidade e vontade para ser uma concorrente real e não um boneco com a mente sempre a pensar no que poderia ser ou não aceite pelos pais. Soraia viu também a sua mãe, mostrando que mãe e filha têm a mesma forma bondosa de estarem na vida, mostrando ao público naquele momento a generosidade que as duas têm para com os outros e o amor que as une pela proteção e dedicação familiar numa luta pela igualdade e objetivos concretos de vida. No final, mesmo sem terem sido escolhidos, também Noélia, Pedro Alves e Diogo receberam as suas visitas. Pedro Alves recebeu a sua amiga de sempre, Marisa, num encontro em tons de brincadeira. Noélia voltou a ver pessoalmente o seu Felipe e no encontro vimos Noélia a ser Noélia, super preocupada com as lojas, com as viagens até à Venda do Pinheiro do marido, preocupando-se com tudo e mostrando que dentro e fora da casa esta concorrente algarvia é puramente igual. Diogo recebeu o seu amigo e colega profissional Gonçalo que lhe mostrou estar tudo bem, dando a dica para que o concorrente siga o jogo tal como o fez até aqui.

Comentários partilhados pelos espetadores nas redes sociais sobre a última semana dos concorrentes a serem mostrados para a casa e com direito a divagações dos concorrentes sobre os mesmos. Noélia e Hélder no confessionário para comentarem as picardias entre ambos na última semana, desde que o ex-concorrente regressou à casa com a missão de ser ainda pior do que já era antes de ser expulso do programa pelo público. Hélder regressou e devia tentar limpar a sua má imagem junto dos espetadores, mas tem feito exatamente o contrário do que o pretendido, enterrando-se ainda mais com metade do que deixa sair da sua boca neste seu regresso aos ecrãs. Posteriormente, Hélder trocou com Pedro Alves e com Noélia foram debatidos também os últimos dias de ambos e as suas quezílias numa convivência que se queria saudável. É sabido que não gosto do Hélder e acho o Pedro insuportável, estando a Noélia no meu top três dos favoritos, mas também percebo que seja bem complicado lidar com uma Noélia durante meses com o seu feitio controlador. 

Nos salvamentos da noite, Ana Catharina foi a primeira a ficar eleita como finalista, juntando-se assim ao seu Diogo, a Sandrina e também a Soraia. Mais tarde o público salvou a Noélia, a concorrente que mais vezes foi a votação ao longo de toda a edição e que sempre foi sobrevivendo no jogo e mesmo no final do direto Pedro Alves foi positivimanete expulso por decisão do público, passando assim Iury a fechar o lote de finalistas na edição de regresso do Big Brother à televisão portuguesa. Fez-se justiça mesmo junto do grande dia em que as portas da casa se fecham para renovação por umas semanas e o grupo base dos kamikaze deixou de existir como concorrentes ao prémio final, sobrando uma Iury e Sandrina que andaram durante bastante tempo na incerteza sobre o lado a que pertenciam.