Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

07
Jan18

(Não) posso dormir demais...

| O Informador

dormir.jpg

Há uns meses anunciava que andava a dormir pouco por falta de sono, o que me andava a colocar sucessivamente mal disposto ao longo das primeiras horas do dia por não descansar em condições. Agora cansado tenho sido convidado a deitar-me mais cedo e o resultado é outro, além de que ando a acordar de noite, o que não me agrada assim tanto. 

O despertador toca por volta das 07h00 mas a hora de abrir realmente os olhos e colocar os pés fora da cama ronda as 07h20. Em menos de trinta minutos despacho-me e o caminho até ao trabalho é curto já que às 08h00 estou sentado à secretária a iniciar o dia laboral. Sim, não vou totalmente bem disposto mas quem acorda a cem por cento quando sabe que tem oito horas de trabalho pela frente? Ao serão é que as coisas estão um pouco melhor. Consegui regular aos poucos o horário de deitar, já não esticando para além das 00h00, tirando alguns dias esporádicos, e mesmo sem me deitar para dormir, ando mais por casa, descansando e deixando-me ficar esticado no sofá ou na cama a desfrutar do não fazer nada enquanto se vê um pouco de televisão e se coloca a leitura em dia. 

30
Dez17

Cansaço descuidado

| O Informador

men.jpg

Aos poucos começo a notar que os dias de pausa no trabalho levam-me a tirar do armário roupas descontraídas, mais largas e que por vezes nem conjugam entre si. 

Andar melhor arranjado de semana, na maioria dos dias de sapatos, camisa e tentando fugir das calças de ganga leva-me a esquecer um pouco o aprumo nas pausas, vestindo aquelas camisolas largas com capuz e desenhos, trocando os sapatos pelos ténis mais antigos e usando o casaco mais baldas que encontrar. Começo a perceber cada vez mais quem tem este comportamento desde sempre, deixando o aprume no armário e virando um modelo desleixado que não tem cuidado com a forma como sai há rua. 

A descontração desejada após uns dias mais arranjado torna cada vez mais lugar em fins-de-semana de descanso e onde a preocupação é somente aproveitar cada hora sem criar grandes planos porque é necessário fazer uma pausa, desfrutar do momento, ficar esticado a ver uma série ou a colocar a leitura em dia, dentro ou fora de casa.

Em casa e com o tempo mais fresco o momento aconselha a ficar estendido na cama ou sofá, com um chá e umas bolachas por perto e deixar que as horas ditem de sua justiça, sem elaborar, mas deixando que o corpo se deixe levar pelo cansaço e desfrute das pequenas paragens e momentos para descansar. Noto que estou a ficar cada vez mais preso à ideia do «fazer pouco ou nenhum» quando não estou a trabalhar, querendo desligar um pouco do dia-a-dia semanal que acaba por ser rotineiro e por fazes pouco estimulante psicologicamente. 

24
Dez17

Imagens do Passado

| O Informador

recordar.jpg

Um serão destes acabei sentado perante a mesa da cozinha a recordar imagens do passado através de uma caixa de memórias cuja sua existência desconhecia.

Comecei a falar de algumas situações familiares de há uns anos atrás com a minha mãe e como se de uma mola se tratasse, acabou por se levantar e foi buscar a caixa que está arrumada no móvel há uns meses mas que nunca me tinha sentido tentado em procurar o que guardava. Agora fiquei a saber, memórias fotográficas minhas, dos pais, dos avós, dos primos, dos tios, dos vizinhos... Fotografias com décadas, com pessoas da família que não conheci sem ser por imagens e de outros que já cá não estão mas com os quais passei bons anos de felicidade. Perceber como as pessoas de hoje se preparavam para a fotografia em momentos especiais ou quando eram apanhados desprevenidos. Olhar para os meus avós quando tinham a minha idade e passeavam as filhas em locais que não conheço mas que de certo não ficam longe de onde moro. Tentar perceber onde foram tiradas certas fotografias, quem são as pessoas que aparecem e que não conhecemos, olhar para trás e ver o que uma pessoa mudou de feições e como momentos tão simples hoje servem de memórias que nos ajudam a recordar os vivos e os mortos. As roupas e os penteados de outros tempos, o momento em que me vejo mascarado quando ainda era um bebé com uns trajes tão ridículos até para a altura, olhar e ver os primos a fazerem as mesmas figuras e encontrar semelhanças de geração em geração. 

28
Nov17

Acordar devagar

| O Informador

despertador.jpg

De há umas semanas para cá que o despertador toca e o corpo parece colado à cama, não querendo dar sinais para se erguer. Agora quando o telemóvel começa a tocar pelas 07h00, a mão vai até ao Parar e os olhos voltam a fechar-se por uns ligeiros, mas que parecem lentos, minutos. Volto a pegar no telemóvel mais tarde e percebo que ainda posso ficar deitado, no quente da cama mais um pouco e assim acontece.

Após levantar, despachar e comer mas antes de me vestir para sair ainda consigo voltar a enfiar-me dentro dos cobertores, umas vezes deitado outras sentado, mas volto a aquecer um pouco para tomar coragem e mudar de roupa para finalmente sair de casa. O frio matinal que se faz sentir fora de portas e o facto de não apetecer nada acordar tão cedo andam-me a deixar mole e sem vontade de obedecer ao toque do despertador logo quando este faz o seu alarido na hora certa e que deveria ser para me levantar obedientemente com a finalidade de fazer tudo com calma e sem andar depois um pouco mais apressado.

23
Nov17

Picos gripais

| O Informador

constipação.jpg

Será que ainda vale a pena contar que nas últimas semanas, para mal dos meus pecados, a gripe e as alergias não me têm largado? 

Pois, comecei há semanas com o pingo no nariz e pelos últimos dias comecei a perceber que esta reação pingal acontece umas horas após chegar ao escritório onde trabalho e que um tempo após chegar a casa tudo volta a acalmar. Na verdade já percebi que com o ar condicionado a funcionar a meio gás mas com o recurso a aquecedores em algumas das salas e depois os corredores frios não ajudam nada. Além disso existe ainda o facto da temperatura ser diferente entre os três pisos que por vezes visito no mesmo dia, tendo de andar a vestir e despir casaco para entrar nas temperaturas quentes para uns minutos depois visitar a zona da Serra da Estrela e ter de levar quase a manta atrás. 

Ao final do dia e após o jantar as coisas melhoram, ficando por casa ou saindo um pouco e mesmo no passado fim-de-semana notei diferenças que na Segunda-feira logo voltaram a recuar para os pingos voltarem, o lenço andar sempre por perto e as frases feitas sobre continuar engripado fazerem-se ouvir. 

21
Nov17

Faturação a Mais

| O Informador

televisão.jpg

Há uns meses fiz um novo acordo com a MEO e fiquei com o pagamento mensal de 34,98€ sobre o serviço de televisão, telefone (que não uso) e internet. Uns meses depois, uns seis talvez, eis que sem aviso prévio, decidem aumentar este valor para 39,98€. 

Assim, sem mais nem menos, sem qualquer explicação, a fatura aumentou 5€ e acabei somente por dar por isso uns dias depois deste saldo ter sido debitado da conta. A fatura apareceu via email, imprimi mas não reparei no valor e guardei a fatura para lhe juntar o comprovativo do banco sobre o pagamento e foi ai que percebi que o valor acordado tinha levado um aumento que nem é explicado de forma correta através das descrições dadas. 

Acabei por ligar para a operadora, que me pediu para ligar para outro número que não o geral, liguei, não fui atendido e descontaram valor. Uns dias depois ligaram-me a perguntar se a chamada efetuada tinha sido importante para que visse a situação resolvida. Estariam no gozo? Expliquei o que se passou e a informação que obtive foi a de que iria ser contactado. Uma semana passou e nenhum contacto por parte de qualquer representante MEO. 

Resolvi agora esperar que me contactem ou que apareça a nova fatura para ver que valor aparece sobre o último mês, para tentar perceber se as coisas voltam ao normal ou se a situação é para se manter para que opte por nem ligar mas sim ir até uma loja da operadora para que me expliquem o que se terá passado.

Mais sobre mim

foto do autor

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Sofia

    Isto aqui não é nenhuma pequena vila, embora seja ...

  • O Informador

    Também acabo por viver nos subúrbios mas não tão p...

  • Sofia

    Eu estou nos subúrbios, mas onde moro tenho transp...

  • O Informador

    Já quis viver na cidade quando se inicia a fase ad...

  • Sofia

    Isso é bom! Eu não me imagino a viver noutro sítio...

Mensagens

Pesquisar

Redes Sociais | Segue-me

Instagram Facebook Twitter Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. Goodreads

Última Leituras

Aconteceu em Paris
liked it
O título demonstra desde logo que o leitor irá visitar Paris. Amy acompanhou a sua amiga Kat até aos seus últimos dias de vida, mas as duas tinham um objetivo, viajar até à cidade do amor em segredo. Kat não conseguiu resistir mas Amy le...
O Pecado da Gueixa
liked it
A cultura japonesa está em grande destaque em O Pecado da Gueixa, através da perceção das regras comportamentais de um ninja, Hiro, protetor de um padre português, Mateus, que juntos irão investigar a morte de um samurai, Akechi-san, num...
O Silêncio da Cidade Branca
it was amazing
Nem sempre uma capa consegue representar o que está no seu interior, mas com O Silêncio da Cidade Branca primeiramente fui conquistado pela imagem que me remeteu para uma sinopse que conquistou. Já com esta obra em espera na mesa-de-cabe...

goodreads.com
BlogsPortugal
Bloglovin Follow

 Subscreve O Informador