Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hdeusesemitos-billboard

Barulho da Vizinhança

vizinhança.jpg

No ato do crescimento, quando o mesmo acontece dentro de um seio familiar normal e com regras sociais bem definidas, vais percebendo que existem horários para tudo e que as regras de bom civismo são para serem respeitadas. No entanto e como bem sabemos nem todos seguimos o mesmo bom senso perante o respeito para com os outros e quando o incómodo acontece o pensamento que logo surge é sobre a falta de cuidado de uns para com os outros.

Viver em prédios ou vivendas germinadas é sempre mais do mesmo. Volta não volta lá vem barulho a mais por quem se esquece que os outros existem e pretendem obter descanso quando são horas para tal. Vivo num apartamento com vizinhos de ambos os lados e por vezes acaba por ser algo incómodo o barulho que uns e outros fazem por não terem a capacidade de perceber que nem todos vivemos acordados até altas horas da noite.

Salta a máscara

sem máscara.jpg

Vozes governamentais fazem-se ouvir sobre a possibilidade de nos próximos meses a retirada da máscara venha a ser possíveis em locais públicos. Neste momento tenho a confessar que estou tão agarrado ao pequeno pedaço de pano quando ando na rua, no supermercado, centros comerciais e afins que dificilmente irei logo retirar a máscara da cara quando o mesmo for permitido. Quando estou sozinho em certos locais públicos retiro a máscara, claro, mas cruzar-me com os outros, poder estar lado a lado com o Covid19 sem a utilização da máscara parece ser no meu consciente algo ainda bem longínquo e que não será conseguido aquando do levantamento desta restrição for feito. Eu sem máscara no final de Setembro? Confesso que não acredito que vá acontecer assim de forma tão rápida!

Sacos literários

O dia 01 de Julho de 2021 assinalou o processo do pagamento obrigatório dos sacos através da lei lançada pelo Governo com a finalidade de proteger o ambiente e ajudar com o lucro nos vários projetos futuros para com o sistema ambiental. Neste momento os sacos que saem de qualquer loja têm de ser pagos, sejam eles de plástico, que não devem estar sequer disponíveis, ou de papel/cartão, já que nos supermercados esse processo já estava definido há algum tempo.

Como tal, uma vez que por aqui os livros estão em grande destaque junto dos amantes literários, deixo a simples sugestão para teres sempre do teu lado um saco de pano que mostre o teu amor aos livros e que te ajude assim a transportares as compras, sejam elas as que forem, sem teres de gastar sucessivamente uns cêntimos na aquisição de sacos.

Tenho os meus sacos de pano, vários com a literatura em destaque e outros com variados temas e se antes já me fazia acompanhar no carro com alguns sacos laváveis e assim recicláveis, agora então ainda acaba por fazer maior sentido. Compra os teus sacos literários através da Bertrand e aproveita também para dar uma espreitadela às últimas novidades e aos descontos da loja online do grupo. 

Praia sem vento, sff!

praia

Acordas num dia de folga bem cedo, olhas para as temperaturas que se vão fazer por algumas praias do país e percebes que até irá estar um bom dia para se poder aproveitar e seguir até ao areal. E assim o fiz!

Temperaturas pareciam estar bem dispostas, estava com tempo, despachei-me, coloquei tudo no saco, passei pelo supermercado para acrescentar algumas coisas para o decurso do dia e segui direito ao litoral do país. Pelo caminho decidi para onde ir, cheguei, estacionei, tirei a tralha e antes de assentar material e estender a toalha percebi que o vento se fazia sentir de forma desagradável mas resolvi ter pensamento positivo de que tudo iria acalmar.

 

 

Malvada da melga

mosquito.jpg

Já deitado e o som de uma melga fazia-se sentir fora do quarto por perto da luz do corredor. A tentativa de homicídio aconteceu sem sucesso, tendo o insuportável inseto desaparecido da vista e ficando em silêncio por um bom bocado. Voltei para a cama, deitado de televisão, tablet e luz da mesa de cabeceira ligados e consegui estar sem visitas por um bom espaço de tempo, até que ela voltou. Começou a fazer-se ouvir, cada vez mais perto e do nada pousou no meu braço, sacudi mas logo depois, deixando tudo ligado como forma de atração, consegui que se deixasse pousar bem perto do ecrã deste tablet pelo qual vos escrevo esta partilha. E lá se deixou finar sem livre vontade, algo lhe tinha de acontecer, e já que não abandonou o espaço de livre vontade teve de ser tratada com outros métodos. Melga puta, melga malvada, agora morta e sacrificada!

Frontalidade é nas redes sociais

apontar dedo.jpg

Muito as pessoas gostam de mostrar a sua frontalidade através das redes sociais através de partilhas e comentários que vão sendo feitos por perfis e páginas para darem a sua alfinetada a uns e outros. Será que alguns cidadãos que se esmeram para se mostrarem sociáveis e que por vezes criam personagens para mostrarem nas redes o que não são, não se conseguem esforçar minimamente para manterem um maior controlo nas suas criticas, comentários desagradáveis e dicas negativas para com os outros e mesmo perante os serviços que lhes são prestados?

As pessoas queixam-se de muito e por vezes podem ter a razão do seu lado, mas vejo tanta boa gente a partilhar vídeos, textos e frases tão diretas sobre situações pelas quais passam que me deixam a pensar onde ficou a frontalidade em vários casos para a deixarem na hora e não para depois de forma online. Já não se consegue falar sem deixar de lado as partilhas para gerar aquelas longas conversas escritas do diz que disse em que todos se metem e poucos estão envolvidos?

 

O Agente Americano | Vince Flynn

Lua de Papel

o agente americano capa.jpg

Título: O Agente Americano

Título Original: Kill Shot

Autor: Vince Flynn

Tradutor: Raquel Dutra Lopes

Editora: Lua de Papel

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Maio de 2021

Páginas: 432

ISBN: 978-989-23-5111-7

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: A missão de Mitch Rapp é aparentemente simples: instalar‑se em Paris, montar uma operação de vigilância ao Ministro da Energia da Líbia e eliminar o alvo. Discretamente. Ele aceita a missão, já não é a primeira vez que executa um terrorista ao serviço da CIA. Mas talvez seja a última. Porque no hotel de luxo parisiense algo corre terrivelmente mal. A consequência é um banho de sangue, e pelo menos três civis mortos. E notícias destas, nem os serviços de segurança franceses conseguem manter fora dos jornais. De repente, o Agente Americano da CIA é um homem a abater, envolvido num grave incidente internacional. Os serviços secretos tiram-lhe o tapete; a polícia francesa persegue-o, os terroristas também. Mitch Rapp, com uma bala cravada no ombro, vê‑se completamente sozinho. E não há nada mais perigoso do que um Mitch ferido. E encurralado.

 

Opinião: O Agente Americano faz parte da série Mitch Rapp dentro do estilo político militar e de início conseguiu ganhar o meu interesse como leitor. O pior veio depois, consoante os capítulos iam avançando e fui percebendo que nesta história o espião central consegue estar no centro da ação da espionagem, sendo ele próprio o alvo a abater. Com múltiplos acontecimentos a surgirem ao mesmo tempo em zonas territoriais distantes, numa confusão entre nomes e equipas numa história contada de formas diferentes e bem complexa, senti que o irreal acontece dentro de uma confusão literária que não me cativou minimamente.

Ironia com sentido

ironia.jpg

Se sempre deixasse sair por palavras o que me vai na mente estava literalmente lixado, talvez até mais que isso! Por vezes apetece-me armar em maluquinho e disparar para todos os lados e fronteiras como se não tivesse consciência de que iria magoar muito boa gente que acaba por se achar a última bolacha do pacote sem perceber que nesse lugar estou eu! Ironia uso sempre que posso, pois então, pena tenho é de nem sempre conseguir aprofundar certos temas com essa mesma ironia com tudo o que tenho para difundir a certos palhaços que por esta sociedade circulam.

Alenquer em Risco Muito Elevado

estamos on.png

Uns meses após o Município de Alenquer ter saído da situação Covid19 em Risco Muito Elevado voltamos a tal patamar, o que mostra que as coisas não andam mesmo nada bem em todo o país, principalmente na região de Lisboa onde semana após semana é maior o número de Municípios a ficarem com maior controlo devido ao crescimento do número de casos de infeção. Andamos em situação de Risco Muito Elevado durante algum tempo, depois com os números a baixarem também por aqui vimos os números cederem e agora, após várias ameaças, Alenquer volta a ver os números subirem de forma quase galopante nas últimas semanas e lá voltamos a estar em situação municipal pior. 

Deixo os conselhos e regras deixados no portal dedicado ao Covid19, o EstamosOn, e pelo qual me tenho guiado nos últimos meses perante o levantamento de regras e os regressos ao castigo. Assim sendo os concelhos em risco muito elevado, onde se situa Alenquer, com uma taxa de incidência superior a 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 480 se forem concelhos de baixa densidade), as regras são...

  • Limitação da circulação na via pública a partir das 23h00.
  • Restaurantes podem funcionar até às 22h30. Às sextas-feiras a partir das 19h00 e aos sábados, domingos e feriados durante todo o dia, o acesso a restaurantes para serviço de refeições no interior está permitido apenas aos portadores de certificado digital ou teste negativo. A limitação do número do número de pessoas por mesa mantém-se: máximo de 4 pessoas por mesa no interior e de 6 pessoas por mesa na esplanada;
  • Exigência de teste negativo ou certificado digital para o acesso a estabelecimentos turísticos e de alojamento local;
  • Teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam;
  • Espetáculos culturais até às 22h30;
  • Casamentos e batizados com 25 % da lotação;
  • Comércio a retalho alimentar até às 21h00 durante a semana e até às 19h00 ao fim de semana e feriados;
  • Comércio a retalho não alimentar e prestação de serviços até às 21h00 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados;
  • Permissão de prática de modalidades desportivas de médio risco, sem público;
  • Permissão de prática de atividade física ao ar livre até seis pessoas e ginásios sem aulas de grupo;
  • Eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela DGS;
  • Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

Já no caso dos concelhos de risco elevado, cuja taxa de incidência é superior a 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade), aplicam-se regras específicas de controlo da pandemia. Nestes casos as regras são as que se seguem...

Conhece-te!

Auto conhecimento

Atenta que nem todos idealizam, pensam, criam e concretizam da forma como aceitas ser o mais correto. Percebe que em sociedade existem as diferenças que têm de ser respeitadas junto de quem se cruza no caminho. Aceitar e entender é fundamental para se conseguirem definir espaços pessoais para que num todo geral a vivência seja conseguida da melhor forma, sem existirem complexos e preconceitos, egoísmo e indefinições para com o percurso que tem de seguir uma linha exata e universal sem que se tenha de vir a provar o valor perante os restantes. Encontra-te e só assim consegues olhar o próximo e perceber se já terá feito o seu auto encontro para também ele te aceitar num movimento mútuo sem julgamentos e críticas, com amor e compreensão. Conhece-te antes de quereres reparar no próximo!

 

 

Pág. 1/4