Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Não Te Esqueças de Mim | Mhairi Mcfarlane

Topseller

não te esqueças de mim livro.jpg

 

Título: Não Te Esqueças de Mim

Título Original: Don't You Forget About Me

Autor: Mhairi Mcfarlane

Editora: TopSeller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2021

Páginas: 384

ISBN: 978-989-564-271-7

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: O dia de Georgina já estava a ser bastante mau ao ser despedida de um dos restaurantes mais mal-afamados da cidade, mas tornou-se ainda pior no momento em que decidiu surpreender o namorado e acabou por encontrá-lo na cama com outra pessoa.

Quando surge a oportunidade de trabalhar num novo pub, Georgina não pensa duas vezes. Tudo parece estar a correr bastante bem, apesar daquele pequeno (grande!) problema: um dos donos é Lucas McCarthy, o seu namorado da escola secundária. E, como um mal nunca vem só, ele não se lembra dela!

Reencontrar Lucas traz-lhe à lembrança não só os momentos que partilharam como também um segredo sombrio que a acompanha há 12 anos. Georgina tem bem presente o que sucedeu na noite do baile de finalistas, mas terá ainda de compreender até que ponto esse acontecimento de que só ela tem memória afetou a sua vida.

 

Opinião: Um romance leve e agradável, de seu nome Não Te Esqueças de Mim, piscou-me o olho pela base da sua história e com o início da sua leitura percebi que não me tinha enganado na escolha.

Numa narrativa contemporânea, fresca e real, o leitor conhece Georgina, que aos trinta e poucos anos, e no dia em que perde o emprego, por revelar em demasia a verdade, procura e tenta surpreender o namorado para desabafar sobre o que lhe aconteceu, acabando por apanhar Robin na cama com a sua assistente. Sem emprego e terminando tudo com o namorado, Georgina começa a pensar a solo num novo futuro e o que parece estar prestes a ruir acaba por se transformar quando encontra um novo emprego, onde um dos sócios gerentes, Lucas, acaba por ser um antigo amor dos tempos de colégio. Com Robin a marcar presença na sua atual situação como um ex-namorado intrometido e vingativo e com Lucas a aproximar-se de forma lenta e meticulosa com os receios do que foi feito anteriormente perante os mal-entendidos entre dois jovens que se gostavam mas que não se souberam apoiar na altura. 

Bridgerton | T1 | Aristocracia sem preconceitos

Netflix

bridgerton cartaz.jpg

 

Bridgerton é o romance de época, inspirado na obra literária de Julia Quinn com o mesmo nome, que a Netflix estreou na passagem de 2020 para 2021, e que desde logo esta aventura pela aristocracia inglesa ganhou o seu êxito junto do público mundial que levou a que poucas semanas após a estreia a mesma já tenha visto a renovação para segunda temporada ser feita. 

Bridgerton tem neste seu início a apresentação à sociedade de Daphne Bridgerton. Através da aprovação da rainha e com a finalidade de arranjar um bom casamento, Daphne é apresentada e desde logo os solteiros com idade para cansarem avançam para ganharem um lugar junto da jovem para que consigam ser os escolhidos e futuros pretendentes. Sem grande interesse nos interessados, Daphne cruza-se com o solteiro mais cobiçado das redondezas e que trás segredos consigo, o Duque de Hastings, e desde logo fica interessada. Combinações entre os dois para se protegerem mutuamente sem qualquer interesse por parte do Duque por algo mais, o certo é que a paixão fala mais alto e o casal acaba mesmo por se envolver nas preparações do casamento. Ideias dispares para seguirem após o enlace, Daphne e o Duque nutrem um sentimento em comum, porém se para a duquesa existe a vontade de ser mãe, já o Duque tem uma promessa consigo para não seguir a linhagem familiar. Uma guerrilha de cama, segredos sobre como fazer para contrariar a vontade do Duque e quezílias entre ambos a darem origem a conflitos e verdadeiros dramas, mas como quase tudo na vida se resolve, o melhor é ver a temporada até ao fim. 

Com muita intriga e fofoca, com uma parte bem interessante sobre uma escritora anónima que publica os mexericos da aristocracia e que serve ao mesmo tempo como uma narradora que todos conhece para que possa comentar, explicar e especular sobre o futuro, esta série conta com bailes de apresentações e revelações onde o romance paira e as invejas fazem-se notar entre famílias que se procuram unir através de ligações matrimoniais. Num conjunto bem completo entre conhecidos que organizam festas sexuais com finalidades particulares e interesses pessoais, onde a troca de parceiros e a homossexualidade estão em destaque entre interesses sociais e favores que ficam em dívida, nesta série existe também o destaque para a corrupção, os interesses para não se perder o poder social e a imagem que se deixa passar perante os restantes, tal como a forma como a igualdade para com a cor da pele se fazer notar, visto existirem várias personagens de origens raciais diferentes, mas todos sendo apresentados de igual forma, não criando para a sociedade da época símbolos de desigualdade, o que é de louvar. 

Meteorologia matreira

meteorologia.jpg

 

Olhas para a aplicação de Meteorologia do teu telemóvel e percebes que nas próximas horas o tempo vai estar nublado mas sem vestígios de chuva, que ao aparecer só no dia seguinte. Vestes a tua roupa destinada ao teu andamento diário, onde tentam dar mais de dez mil passos, calças os ténis, auriculares colocados, máscara no bolso, chaves de casa guardadas e telemóvel no bolso e lá vais tu. Eis quando fazes uns dez minutos de caminhada a bom passo, encontraste num local isolado e sem onde te protegeres e das nuvens começam a surgir os primeiros pingos daqueles que mal molham. Tentas andar um pouco mais rápido enquanto pensas onde te poderás resguardar caso os pequenos pingos comecem a aumentar, e eis que não vês solução e a chuva cai sobre ti em modo «boom, toma lá com isto e cala-te».

Imobiliário resiste à Pandemia

imobiliária

 

Imobiliário em Lisboa resiste à Pandemia

Com a pandemia a fechar empresas de todas as dimensões e milhões em casa, muitas das previsões apontavam para um cataclismo económico transversal a todos os segmentos económicos.

Com efeito, o seu impacto não tardou em sentir-se na vida de todos em aspetos que vão desde as mais simples ações do quotidiano até aos grandes desafios da economia que diariamente se colocam.

No meio do caos mundial, algumas notas positivas neste campo em Portugal. Enquanto negócios fecham, transportes param e as vidas ficam em suspenso, o mercado imobiliário continua a dar sinais positivos.

 

A Era Dourada

O mais recente barómetro imobiliário revela uma incontornável resiliência no que toca aos preços de venda no imobiliário de Lisboa. Se os últimos anos revelaram números de crescimento sem igual, as primeiras medidas de confinamento vieram colocar essa tendência sob enorme pressão.

Invariavelmente, 2019 foi um ano ímpar em praticamente todos os aspetos ligados à economia, não apenas em Portugal, mas também a nível global. Como resultado, o ano em causa foi o mais próspero da história da humanidade.

Louca | Chloé Esposito

Bertrand Editora

louca.jpg

 

Título: Louca

Título Original: Mad

Autor: Chloé Esposito

Editora: Bertrand Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Fevereiro de 2018

Páginas: 384

ISBN: 978-972-25-3458-1

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Louca é um thriller passado em Londres e na Sicília, no espaço de uma violenta semana de verão, e que explora os temas do ciúme e do engano, do crime e da inveja. Uma gémea não só se apodera da vida perfeita da irmã, como se dispõe a continuar a vivê-la.

Alvie Knightly está muito em baixo: sem objetivos na vida e a beber demais. A sua vida é ainda pior se comparada com a de Beth, a sua irmã gémea e perfeita. Beth casou-se com um italiano lindo e rico, tem um bebé maravilhoso e sempre foi a preferida da mãe. Há muito tempo que a única coisa que as gémeas têm em comum é a aparência.

Quando Beth envia um bilhete de avião à irmã para que a visite em Itália, Alvie mostra alguma relutância. Mas quando é despedida do emprego que detesta e os companheiros de casa a põem na rua, começa a mudar de ideias e a pensar na luxuosa villa de Taormina. Beth pede à irmã que troque de identidade com ela durante umas horas, para poder escapar à atenção do marido. Alvie agarra com unhas e dentes a oportunidade de viver a vida da irmã, ainda que temporariamente. Porém, quando a noite acaba com Beth morta no fundo da piscina, Alvie dá-se conta de que aquela é a sua oportunidade de mudar de vida.

E, afinal, o que escondia Beth do marido? E porque é que a convidou para ir a Itália? Alvie vai descobrindo segredos e mentiras à medida que mergulha mais fundo na vida da irmã morta. E terá de fazer de tudo para conseguir suportar as suas próprias mentiras.

 

Opinião: Louca é daqueles thrillers com uma forte componente de romance e erotismo à mistura que começa de forma calma e que aos poucos ganha uma posição que acaba por criar interesse para que se queira seguir a história de Alvie de forma compulsiva. 

Esta jovem mulher é apresentada pelo início da narrativa como uma pessoa desamparada, solitária, sem emprego e com algum ressentimento perante as conquistas da sua irmã gémea, Beth. Pobre, sem rumo e a viver em solidão, ao contrário da irmã com um casamento aparentemente perfeito e sólido com Ambrogio, com um filho fruto da relação e com uma vida que aos olhos de Alvie vive dentro de uma bolha de perfeição. O leitor é convidado a conhecer por longas páginas esta mulher empertigada e desorientada com o que tem, sentido ser fruto das escolhas da própria mãe no passado, quando em pequenas sempre se sentia colocada em segundo plano face a Beth.

Após se ficar preso a todas as frustrações de Alvie, eis que do nada, após meses sem comunicação, Beth apela para que a irmã a visite em Itália. Sem emprego, despejada de casa e sem rumo, Alvie acaba por ceder aos insistentes convites da irmã e de imediato parte para conhecer todas as mordomias da família que Beth constituiu nos últimos tempos. O que terá a irmã perfeita preparado para querer Alvie perto de si de forma tão repentina e inesperada?

Momentos solitários

tudo vai passar.jpg

 

A chuva cai através do beirado da varanda para que o olhar se concentre em cada fio de água da chuva que escorre para seguir o seu caminho. Ao mesmo tempo, lá ao fundo, enquanto o dia se deixa alongar, o nublado invade o horizonte, deixando a serra de um momento para o outro, quase sem se fazer avisar, tapada e fora de vista. Cá dentro, de computador no colo, aquecedor por perto, pantufas calçadas, chá na mesa-de-cabeceira, televisão ligada, telemóvel a carregar e livro pronto para ser fotografado para futura publicação no Instagram e mesmo aqui pelo blog, vou centrando o pensamento entre o que escrever e a passagem das horas em tempo de confinamento, isto ao mesmo tempo que o telemóvel recebe nova mensagem, penso no que irei comer dentro de minutos e no entanto deixo-me ficar por aqui sentado de pernas esticadas, puxo a manta para reforçar a necessidade de me aquecer e me fico por mais um bom bocado. Tudo e nada disto aconteceu num pequeno espaço de tempo, aquele tempo que passa e sobre o qual o ser humano nem se dá conta. 

Chega de dejetos

cocó emoji

 

No dia em que Portugal foi a votos para eleger o Presidente da República para os próximos cinco anos, renovando Marcelo Rebelo de Sousa o seu mandato, eis que passei grande parte do dia a ler, em casa, respeitando o confinamento e só tendo saído logo pela manhã para exercer o meu poder e dever de voto. E foi a meio da tarde, na leitura do livro Não Te Esqueças de Mim, da autoria de Mhairi Mcfarlane, lançado entre nós pela editora Topseller, que encontrei a frase que passo a citar.

É tão bem-vindo como encontrar cocó de gato em nossa casa, quando não temos um gato.

Mhairi Mcfarlane, em Não Te Esqueças de Mim

Hoje é dia de Votar

eleição presidência da república.jpg

Hoje, 24 de Janeiro de 2021, contra todos os males que nos atormentam de momento, é dia de usarmos o nosso dever como cidadãos, fazendo a deslocação, a pé ou de transporte, necessária, já que existe liberdade para se exercer o poder de voto, e num instante bem rápido votar no candidato presidencial que melhor nos pode representar pelos próximos cinco anos como figura central do país.

O lote é extenso, a decisão geral parece estar mais que tomada e não acredito que existam grandes surpresas, e o lema é mesmo o de sair para votar em segurança e cumprindo as medidas necessárias de prevenção, como é pretendido no dia-a-dia há praticamente um ano. Usando máscara, desinfetando as mãos, mantendo as devidas distâncias de segurança e levando a caneta de casa, uma que escreva preferencialmente, tudo tenderá a correr bem.

Citações | 38 | Ganância

cotacao-do-euro.jpg

 

Se o amor ao dinheiro é a raiz de todo o sucesso financeiro, porque é que não tenho cheta?

Alvina Knightly, em Louca, de Chloé Esposito, editado pela Bertrand Editora

 

Quem não gosta de dinheiro? Eu gosto, bastante até, e não sinto problema algum em o admitir porque seria bem hipócrita caso dissesse o contrário. Respeito o dinheiro, sou bom a lidar com o meu sistema financeiro e acredito que com pouco ou muito seria a mesma pessoa, com outros luxos, bem certamente, mas que seguiria o caminho com os pés bem assentes no que me define e perante os meus ideais de vida, disso tenho a certeza. 

O voto do Presidente Marcelo

Marcelo Rebelo de Sousa

 

A lei define que todos os cidadãos têm o direito de voto e que é obrigatório estar recenseado no local de residência para o fazer. Como sabemos em Portugal sempre existem exceções e nas eleições as mesmas tendem a existir, caso contrário não estaríamos neste país banhado de Covid19 em pleno fim-de-semana em que todos devemos exercer o nosso dever como cidadãos nas urnas espalhadas pelo território para se eleger o próximo Presidente da República, cujo nome já todos bem sabemos qual é.

Mas sabes qual é a graça no centro disto tudo? Todos devem estar recenseados na área de residência, menos Marcelo Rebelo de Sousa, o atual e futuro Presidente de todos nós. Como é do conhecimento público, Marcelo vive em Cascais, mas está recenseado em Celorico de Basto, Braga, sendo que no próximo Domingo, 24 de Janeiro de 2021, será neste local que o Presidente irá exercer o seu dever de votar em si próprio.

Ah e tal, não devemos circular entre concelhos, ah e tal, é obrigatório votar onde se vive, ah e tal, o Presidente é uma exceção. E com isto eu digo, ah e tal, quem deve dar o exemplo acaba por mostrar exatamente o contrário e comete as irregularidades que aconselha os cidadãos a não praticarem... 

Pág. 1/4