Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

31
Out20

Confinamento mas sem isolamento

confinamento.jpg

 

Hoje estamos confinados, nesta manhã de Outono, em que acordei cedo, para seguir para mais um dia de trabalho, ao Sábado, mas o que tem de ser acaba por ter mais força que a vontade. Num fim-de-semana de confinamento, em que a saída do município é restrita a necessidades especiais ou por motivos laborais, não me custará, uma vez que com ou sem restrições o dia seria passado da mesma forma, como tal tenho de me sentir solidário com todos os que tencionavam aproveitar este dia de sol em segurança mas com um passeio em família como presságio para se sair de casa e dar uma volta pelas praias, iniciar as primeiras compras natalícias ou ir até aquele jardim onde se sentem bem, com o distanciamento necessário, para passarem mais um dia de descanso. 

Todos teremos por estes dias de nos tornarmos, de novo, mais caseiros, respeitando regras e precavendo o aumento, que continua a evoluir de semana para semana, deste malvado vírus que nos veio estragar a liberdade que tão bem tínhamos e que em poucas semanas nos foi retirada, com maiores ou menores restrições, consoante os locais e a evolução desta triste atualidade que todos enfrentamos e que muitos imbecis ignoram pelo país. É necessário ficar mais por casa e restringir o convívio ao máximo, para quem conseguir, mas ao mesmo tempo tentem desfrutar deste primeiro fim-de-semana de Novembro da melhor forma possível dentro das condições pretendias e se saírem fiquem próximos de casa, podendo desfrutar do bom tempo ao ar livre mas com todos os mil e um cuidados possíveis. Os números estão altos, não sigam os maus exemplos de muitos que fazem notícia por não seguirem as normas para o bem de todos. 

30
Out20

Vergonha alheia na Nazaré

nazaré covid 2020.jpg

 

Ontem, 28 de Outubro de 2020, a Nazaré voltou a ser o centro das atenções de muitos portugueses que decidiram de forma inconsciente visitar a vila para colocarem os olhos nas ondas gigantes da Praia do Norte. Estamos em pleno estado de emergência, com as regras de circulação a ficarem apertadas com os milhares de novos casos de Covid19 a surgirem por todo o país e estes seres miseráveis não têm mais nada para fazer da vida a não ser ir para a zona do farol da Nazaré para verem os surfistas pelas ondas gigantes?

Sem respeitarem o espaço aconselhado entre cada um, muitos sem máscara e todos sem qualquer noção, milhares de pessoas num pequeno espaço de território a mostrarem que são mentes ocas, sem qualquer responsabilidade social consigo e com os outros. Será que estes seres acordaram agora de um coma profundo iniciado em 2019 e sem qualquer problema de contágio por aproximação? Qual a responsabilidade mental que estas pessoas sentirão quando daqui a uns dias perceberem que além de serem mais um número com Covid19 ainda ajudaram a que pessoas de quem gostam ficassem também com o vírus por pura irresponsabilidade?

A falta de bom senso e a estupidez geral daqueles grupos que vibram pelo surf e pelas grandes ondas é assim tão grande para não existir um pouco de noção a ponto de ao perceberem o tamanho da confusão se afastarem e voltarem atrás? Como é que isto aconteceu de um dia para o outro, sem que as autoridades tivessem tempo de reação logo pelo início do dia e só depois do mal já estar feito? Onde vive a consciência de cada um?

Já estiveram fechados em casa durante semanas, os meios hospitalares correm o risco de ficarem pelas costuras, os novos casos aumentam de forma galopante, a economia ressente-se, o desemprego com isso aumenta e estes insetos de esgoto por uma bela imagem colocam em risco vidas de forma totalmente egoísta por não conseguirem perceber que estamos num problema universal que pode atacar qualquer um, já que imunidade não existe, muito menos sorte por ser exceção. 

29
Out20

A música do vizinho da cidade

guitarra.jpg

 

É sabido que vos escrevo de uma aldeia, geralmente quando não ando por outras paragens para uns dias de pausa e fora da rotina. Aldeia geralmente significa sossego e silêncio, mesmo que seja na zona de Lisboa, no entanto nem sempre isso acontece. 

Aqui pela aldeia existem casas que são habitadas como moradas de fim-de-semana, no entanto em tempos de pandemia, um vizinho lisboeta decidiu assentar a sua vida por uns meses por aqui, numa casa de família, devendo estar a trabalhar a partir de casa, e não é que a falta de noção para com o barulho existe? O rapaz, já com idade para ter um pouco de juízo e bom-senso, não deverá ter horários, existindo dias que as batidas musicais soam bem alto pela rua para lá das 02h00, como se não estivéssemos em horário noturno e em que o silêncio é exigido por respeito a todos para bem da comunidade e de um bom ambiente social. 

Certo que não me incomoda, já que quando é para dormir adormeço sem qualquer problema, com ou sem barulho, no entanto percebo quem já se ande a queixar pelo barulho da noite, já que no silêncio da aldeia, ouvir heavy metal até altas horas quando se quer descansar para se acordar cedo, acaba por se tornar complicado. 

28
Out20

Como acordaste ontem?

cama.jpg

 

Ontem acordei assim como meio torto, o que já não é uma grande novidade, já que tenho um modo de dormir meio estranho. Com isto o acordar da manhã passada fez-se sentir com uma ligeira dor no pescoço, daquelas que logo à partida me acompanham pelas primeiras horas do dia. Dormir em modo desequilibrado, mexendo-me bastante não ajuda nada as articulações a descansarem durante a noite, mas sou tecnicamente endiabrado, até a dormir, e depois dá nisto quando de manhã percebo que estou ligeiramente dorido por não conseguir ficar quieto ao longo da noite. 

27
Out20

A estreia de Bem Me Quer

Captura-de-ecrã-2020-08-12-às-11.52.10.png

 

Na TVI da era de Nuno Santos e Cristina Ferreira na direção do canal estreou uma nova novela que vive de pontos que parecem neste momento fundamentais para atrair o público, unindo assim simplicidade de meios rurais com urbanos numa história sentimental e ao mesmo tempo fresca, familiar e jovem, aliando ainda muito talento num só elenco. Assim vi a estreia desta nova novela da noite que parece ter o trio de protagonistas mais jovem de sempre numa aposta forte para o principal horário semanal da televisão nacional. O que faltou no primeiro episódio foi mesmo emoção e um ponto forte para se ficar preso para o que se segue.

Kelly Baley, Bárbara Branco e José Condessa formam a história central desta novela cujas gravações acontecem entre a Serra da Estrela e Aveiro, mostrando o cruzamento entre a pureza e a vingança entre dois mundos não tão distintos assim e que se complementam. Uma história familiar que envolve a procura da verdade sobre o passado que envolve abandono e o início de uma luta de quem sempre amou e cuidou para não perder uma neta tão desejada, Maria Rita, a personagem de Kelly Baley. David, interpretado por José Condessa, e Vera, de Bárbara Branco, formam o casal central, mas o amor que os une desde cedo pode estar comprometido quando Maria Rita se cruza acidentalmente nas suas vidas.

Vi neste primeiro episódio uma história que foi facilmente explicada, parecendo até que na estreia já estávamos a acompanhar a trama há vários dias pela simplicidade com que Maria Rita, Vera e David entraram no ecrã, como se já fizessem parte do dia-a-dia do público. Estas personagens parecem ter sido criadas em ambientes de verdade, ajudando desde logo a criar proximidade com cada um, do trio que tem muito para dar, ao avô e à conselheira da tasca da esquina, da mãe dondoca à tia com todas as teorias de segunda linha, do pai a precisar de recontar a sua história e do amigo com interesses amorosos. Cada personagem reina pela diferença e pela presença em qualquer um de nós, parecendo sendo fácil a identificação com várias das personagens pela pureza e mesmo pelos toques de rebeldia e alguma maldade que existe em todos nós. Percebe-se o recurso a várias personagens cómicas, existindo mesmo uma união entre o mal e a desorientação, isto ao mesmo tempo que a sensibilidade faz parte de outras personagens que se deixarão levar facilmente pelos sentimentos que vão sendo descobertos. Bem Me Quer parece ser a típica novela que há uns anos encaixa nos finais de tarde do canal, mas agora transportada para a noite com atores bonitos e com talento onde se juntam nomes bem conhecidos da representação nacional de outros tempos. 

Pág. 1/7