Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

sveva-casati-billboard

Grease | Yellow Star Company

23
Set18

grease cartaz.jpg

Passado na Califórnia, no final dos anos 50 e começo dos anos 60, tem como pano de fundo o comportamento dos jovens dessa época. Grease é a história de um casal de estudantes, Danny e Sandy, que trocam juras de amor no verão, mas separam-se, pois ela voltará para a Austrália. Entretanto, os planos mudam e Sandy acaba por se matricular na escola de Danny. A partir desse momento, tudo poderá acontecer e o amor irá imperar, mas não sem antes os jovens andarem desavindos.

O final feliz derrete corações e o humor insólito, próprio de jovens na flor da idade, faz deste argumento um clássico que tem atravessado gerações e que continua em cena em inúmeras salas de teatro, nos USA.

Já estreou pelo Salão Preto e Prata do Casino Estoril o musical que tem suscitado a curiosidade do público ao longo dos últimos meses. Grease, o espetáculo inspirado no filme com o mesmo nome e que em 1978 colocou John Travolta e Olivia Newton-Johnson a dançarem através da grande tela. Um sucesso cinematográfico dos finais dos anos 70 que se transformou há uns anos num outro sucesso pelos palcos mundiais. Agora Grease, o musical, chegou a Portugal através da Yellow Star Company e promete igualar o sucesso de outros países. 

Diogo Morgado e Mariana Marques Guedes comandam um elenco de jovens atores num espetáculo de duas horas onde a magia acontece. Ana Queirós, Beatriz Barosa, Carlota de Bastos Carreira, Catarina Siqueira, Diogo Faria, Diogo Velez, Emanuel Almeida, João A. Guimarães, Joana Oliveira, Jorge Rosa, Luísa Salgueiro, Maria Sampaio, Ricardo Trêpa e Samuel de Albuquerque incorporam assim o leque de atores dirigidos por Paulo Sousa Costa, neste musical que vive muito da memória e recordações do filme. 

Com textos intercalados com momentos musicais que não foram traduzidos para manterem, e bem, a originalidade das letras tal qual como são conhecidas, esta versão nacional de Grease tem nos momentos musicais e de dança o destaque. Através de coreografias bem ensaiadas, que para mim são o grande forte deste espetáculo, na interpretação dos temas conhecidos conduzidos principalmente pelas melhores vozes em palco que ganham destaque em determinados momentos quando agarram certos temas para mostrarem que nem todos conseguem atingir determinadas notas. O que notei nesta fase inicial em que vi Grease, pela segunda sessão, foi o melhor desempenho a nível de canto do núcleo feminino que em grupo ou a solo tem vozes com um maior potencial, embora no geral o grupo esteja coeso, bem ensaiado, com boas interpretações e exibições. Existem claramente personagens, como sempre, que vão ganhando protagonismo sem qualquer intenção, mas em todos os espetáculos isso acontece e quando o elenco é maior que o geralmente normal, e com personagens que são levadas do principio ao fim, é perfeitamente aceitável que cada um eleja os seus preferidos, tanto pelo que a personagem dá como mesmo pela prestação de cada um em palco e isso aconteceu-me e consigo reter quatro prestações dentro deste elenco que se de início estão bem, quando tiverem mais umas sessões em cima ganham o destaque e os aplausos gerais do público.

Através de um cenário mexido onde se faz uso do palco na sua totalidade e também da sala com personagens a surgirem de vários pontos sem estarem restritas ao palco, facilmente se consegue fazer a transição entre cenários sem existirem os tempos mortos que ainda existem por alguns espetáculos do género. O palco que roda, a varanda com pequenos apontamentos, o fundo a transformar-se em sala de cinema, o surgimento do famoso carro...

Novos lançamentos da Apple e Samsung causam expectativa no mercado

22
Set18

iphone vs samsung.jpg

Com o lançamento do novo iPhone XS Max em Setembro os fãs começaram a ficar ansiosos para poderem trocar os seus telemóveis antigos pelas novidades mais recentes. Felizmente que agora existem opções para que possamos entregar o usado através de um site seguro que o arranja e o deixa em condições para ser revendido por um preço muito acessível. Além de despacharmos o telemóvel antigo podemos ainda adquirir um dos aparelhos em segunda mão para uso próprio nestes sites especializados, por que não?

O novo smartphone iPhone XS tem ficha técnica avançada, que conta com o novo processador A12 Bionic, tendo o seu lançamento batido de frente com o Galaxy S9 Plus, smartphone premium da Samsung de 2018, com o poderoso Snapdragon 845 entre as especificações. O iPhone XS Max tem tela maior, de 6,5 polegadas, contra 6,2 polegadas do Galaxy S9 Plus. O botão de reconhecimento facial é um dos atrativos do aparelho, que libera rapidamente o acesso aos aplicativos, arrancando o armazenamento em 64 gb.

Enquanto o smartphone da Apple se concentra em cores mais sóbrias, dourado, cinza espacial e prateado, o telefone da Samsung traz mais opções, sendo elas preto, ultravioleta, cinza e azul. No comparativo a seguir, conheça as diferenças e as fichas técnicas dos celulares.

Festa do Cinema com bilhetes a 2,50€

21
Set18

festa do cinema.png

Começou em 2015 e regressou em 20162017 para continuar e bater o sucesso dos anos anteriores. Agora em 2018 e uns meses mais tarde do que o habitual, a Festa do Cinema está de volta às salas nacionais. Ver cinema a 22, 23 e 24 de Outubro vai custar apenas 2,50€.

Em 2017 os dias de Festa do Cinema levaram até às salas de todo o país mais de 217 mil espetadores. Agora e numa transferência de Maio para Outubro, espera-se que o número seja novamente ultrapassado, contando para isso também com a ajuda dos filmes Johnny English Volta a Atacar, Venom, Assim Nasce Uma Estrela, O Primeiro Homem na Lua, Beautiful Boy e Pedro e Inês que estarão por esses dias em destaque. 

Mais uma vez a Festa do Cinema estará presente em todas as salas de cinema e sessões, existindo a exceção de que os filmes exibidos nos formatos IMAX e 4DX serão taxados ao seu preço normal e não terão assim qualquer desconto.

Egas e Becas assumem homossexualidade

20
Set18

egas e becas.jpg

Passamos décadas na incógnita e eu ia jurar que na fase em que via a Rua Sésamo que olhava para a relação do Egas e do Becas e achava que eram irmãos. Depois percebi que não era bem assim, existindo uma amizade entre as duas personagens, mas uma amizade que ganha outros contornos conforme as crianças vão crescendo e tomando contacto com outros conhecimentos sobre relações humanas. Agora, o criador da famosa série, Mark Saltzaman, falou sobre a especulação que sempre existiu entre a relação das personagens e admitiu que criou o Egas e o Becas com uma relação amorosa, formando um casal homossexual. 

Foi em entrevista à Queerty que o guionista e criador da série falou sobre a relação das duas personagens, comparando-a com a que manteve com o seu falecido companheiro, o editor Arnold Glassman, que também colaborou na série Rua Sésamo. «Mais do que uma pessoa, referia-se a mim e ao Arnold como o Egas e o Becas», revelou Mark que se identifica com o Egas e coloca em Becas o seu antigo companheiro. 

«Sempre senti que quando estava a escrever o Egas e o Becas eles eram homossexuais. Não tinha qualquer outra forma de os contextualizar. Não acredito que saberia escreve-los de outra forma que não como um casal amoroso», acabou por contar o criador das personagens de Rua Sésamo. 

Credores | Teatro da Trindade

19
Set18

credores.jpg

Credores, escrito por August Strindberg em 1888, ano em que escreveu também Menina Júlia, centra-se na frágil relação de um casal, ameaçada pela chegada de um estranho.

Adolfo é um jovem pintor muito devoto à sua mulher, Tekla. Depois de se tornar amigo do professor Gustavo, o tal estranho, Adolfo vê-se enredado numa teia que o faz duvidar do carácter da sua própria mulher.

A peça expõe conflitos e questões que, mesmo após 130 anos, continuam atuais. Despe-nos daquilo que é o mais importante da nossa existência - o nosso posicionamento numa relação a dois, o modo como habitamos esse amor e estabelecemos esse equilíbrio em constante dinâmica. Apesar do tempo passado, a narrativa dialoga bem com a época contemporânea, característica que comprova o lado visionário do dramaturgo sueco.

 

Texto August Strindberg

Tradução João Paulo Esteves da Silva

Encenação Paulo Pinto

Com Ivo Canelas, Paulo Pinto e Sofia Marques,

Cenografia / Figurinos Ana Limpinho 

Desenho de Luz Daniel Worm

Assistente de Encenação Nelson Cabral

Produção Executiva Patrícia Costa

Coprodução Teatro da Trindade INATEL e C.R.I.M. Produções

Apoios Fundação GDA, C.M. Lisboa e Polo Cultural Gaivotas

Escrito há mais de 130 anos, o texto Credores, da autoria do sueco August Strindberg e traduzido por João Paulo Esteves da Silva, é agora levado a palco no Teatro da Trindade através das interpretação de Ivo Canelas, Sofia Marques e Paulo Pinto, que também é o encenador do espetáculo.

Com base em três personagens que nutrem vários sentimentos ambíguos consigo próprios, este enredo desenvolve-se em torno de um casal que vive muito do ciúme e da falta de vontade. Adolfo é um pintor que tem na sua mulher Tekla a sua grande devoção. Tudo já não está bem entre o casal quando surge um ex-marido, Gustavo, que aparece para abanar com uma relação já de si frágil e que parece tão desequilibrada como estes três seres que vivem para cobrarem aos outros os seus males, julgando e colocando as forças negativas sobre quem lhe é mais próximo, magoando e desvalorizando.

Isto Vai Doer | Adam Kay

18
Set18

isto vai doer.jpg

Título: Isto Vai Doer, Diário Secreto de um Médico

Autor: Adam Kay

Editora: Cultura Editora

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Agosto de 2018

Páginas: 240

ISBN: 978-989-8886-25-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Isto Vai Doer é um relato emocionante, cómico, e assustador de quem esteve na linha da frente no Serviço Nacional de Saúde britânico, numa profissão na qual as horas semanais de trabalho podem chegar a noventa e sete, em que diariamente é necessário tomar decisões de vida ou morte e a vida pessoal é relegada para segundo plano, não existindo tempo para os amigos e para relações duradouras.

Esta é a história pessoal de Adam Kay, que utilizou o seu extraordinário sentido de humor para contar a sua experiência enquanto médico interno no Serviço Nacional de Saúde britânico. Em 2010, após seis anos de formação e outros seis como médico, abdicou da profissão por sentir que as condições impostas pelo sistema eram extremas e irracionais, nomeadamente remuneração mal ajustada em relação ao nível de responsabilidade exigido, que tiveram um forte impacto na sua vida profissional e pessoal.

 

Opinião: Isto Vai Doer, Diário de um Médico não se encontra de todo dentro das opções literárias que escolho numa primeira ronda, no entanto a surpresa inicial quando dei a primeira vista de olhos por algumas páginas deixou-me desde logo perceber que iria ficar com outra ideia sobre um livro que retrata o dia-a-dia, de forma cómica mas também com algum peso, de um médico interno que integra o serviço nacional de saúde britânico. 

De médico a guionista de séries, Adam Kay estudou medicina e ficou anos entre turnos pelas urgências e consultas, perdendo momentos de vida, ocasiões familiares importantes, matrimónios e funerais das pessoas que lhe eram mais próximas, até que decidiu colocar um ponto final na exaustão que a profissão lhe causava. Após deixar o seu lugar clínico, Adam entra no mundo da ficção e é já livre de todo o modelo de saúde que pensa em colocar o seu diário de bordo disponível para todos. Alterando datas e nomes, surge assim Isto Vai Doer, como uma autêntica bomba atómica de bom humor, queixumes, azia, pressão, insegurança, alegria e preocupação sobre o que continua a ser feito numa das áreas mais importantes da sociedade britânica que demonstra muito o que se passa pelo Mundo. 

Através de uma escrita completamente despreocupada e sem preconceitos sobre o que pode e não pode ser revelado, Adam Kay revela praticamente o melhor e o pior do que foi vivenciando. Festejando as vitórias diárias dos bem sucedidos casos que entram pelas urgências e terminam entre risos e abraços aos complicados problemas sobre o que pouco já se consegue fazer nos momentos de angústia que por vezes ainda conseguem piorar. Entre o caos e o cansaço, o desassossego e as horas de sono perdidas, este profissional fez da angústia a força e dos medos a luta. 

Explicando dados, fórmulas e impressões referência entre especialistas, o autor deste diário descomplexado revela ao leitor tudo, dos momentos de simples consultas aos pormenores cirúrgicos, mas sempre sem perder o fôlego, mesmo quando se deixa abater ao longo das noites mais puxadas e após horas de serviço intermináveis. Existirá valor para pagar a quem salva vidas sem conseguir descansar, perdendo a sua própria vida para a dar aos outros? 

Isto Vai Doer é daquelas leituras rápidas onde a cada dia que passa deste diário somos levados a rir, a abrir a boca de espanto, pensando em como certas situações acontecem sem que muitas vezes o paciente se aperceba do risco que corre. A balança entre o ser pessoal e o profissional é colocada à prova nesta obra que vejo como um retrato bem elaborado de qualquer serviço de saúde onde todos protestam mas que poucos conseguem ter voz. O amor pelo que é feito perante vidas que têm de ser salvas acaba por deixar que muitos prossigam e deixem as suas vidas de lado em troca de sorrisos de «Obrigado». 

Convites Duplos | Let The Sunshine In | 21/22/23-09-2018

17
Set18

A festa dos anos 60 está de volta!

Há quem lhes chame "baby boomers". Essa geração dos anos 60, os anos que mudaram e moldaram o mundo. Foi na música que os anos 60 encontraram a sua maior expressão. Cantava-se de tudo, sobre tudo e às vezes contra tudo...

Venha divertir-se, cantar e recordar connosco. Let The Sunshine In - Um espectáculo de Henrique Feist.

Let The Sunshine In, um espetáculo de Henrique Feist, que regressou para animar este Verão e voltar a conquistar o público após uma primeira temporada de sucesso no Auditório do Casino Estoril em 2017 está a caminhar para as suas últimas sessões. O musical, que recorda os grandes sucessos dos anos 60, que tem estado ao longo dos últimos meses em palco irá despedir-se este mês do público e tens agora uma das derradeiras oportunidades para assistir a este espetáculo.

Com sessões às Sextas-feiras, Sábados e Domingos, pelas 21h45, no Casino Estoril, o público pode ver e recordar os grandes momentos musicais dos anos 60 através do canto e dança onde Henrique Feist, Mariana Pacheco, Valter Mira, Diogo Leite e Daniel Galvão brilham em palco ao lado da banda que os acompanha ao vivo da responsabilidade de Nuno Feist.