Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

28.02.18

Curtas e Diretas | 126 | Falsidades


O Informador

Pessoas que não simpatizam com outras com quem têm de lidar e que de um momento para o outro, notoriamente por interesse, começam a ter relações de cumplicidade com quem está no extremo oposto das suas preferências nas relações humanas é no mínimo mostrar que há que ter cuidado com essas mesmas falsidades demonstradas. Hoje são falsos amigos de uns mas amanhã podem-te fazer o mesmo. 

28.02.18

Convites Duplos | Boeing Boeing | 08.03.2018


O Informador

boeing boeing.jpg

Bernardo é arquitecto e está noivo de três mulheres: Janete, Julietta e Judite, três hospedeiras de bordo de diferentes países com quem vive sem que saibam a existência uma das outras. Até que, um dia, os seus amores vão chegar à sua casa ao mesmo tempo…

Uma das peças mais bem sucedidas dos últimos anos está de regresso a Lisboa, após uma digressão pelo país. Falo de Boeing Boeing, a divertida comédia produzida pela Yellow Star Company que estará em cena no Teatro Armando Cortez de 8 a 18 de Março. Os atores António Camelier, Ricardo Castro, Carla Vasconcelos, Marta Melro, Liliana Santos e Sofia Grillo compõem o elenco deste divertido voo onde se fala de amor, vivido de diferentes formas e em várias línguas. 

Para vos presentear, tenho dois convites duplos para sortear, destinados à sessão de dia 8 de Março, Quinta-feira, pelas 21h30. Este passatempo irá estar disponível até às 18h00 de dia 06 de Março, Terça-feira, e nesse mesmo dia será publicado o nome dos vencedores aqui pelo blog, sendo o sorteio feito através do sistema automático random.org. Os premiados serão contactados via email com as recomendações para o levantamento dos convites duplos acontecer nas melhores condições. Para a participação ser válida tens de seguir os passos que se seguem...

28.02.18

Curtas e Diretas | 125 | Piçarra, já era!


O Informador

Há uns dias havia dito que o Piçarra antes de o ser já era, referindo-me claramente ao top das preferências do público que vota no Festival da Canção por ser neste momento um dos ídolos musicais de faixas etárias predominantes na votação neste tipo de programas. Agora volto a dizer que o Piçarra já era mesmo, visto estar no bom caminho para representar Portugal na Eurovisão e com ou sem plágio da música da IURD, acabou por desistir da competição. Piçarra era antes de o ser o preferido e acaba por dizer “já era” perante o lugar que tanto desejava por uma falha cometida perante a elaboração do tema que levou a palco.

27.02.18

Vencedores dos Convites Duplos | Porque é Que os Cães Cheiram o Rabo uns dos Outros | 01.03.2018


O Informador

porque é que os cães cheiram o rabo uns dos outr

É desta forma que Marcantónio Del Carlo, e André do Áudio nos dão a conhecer contos muito divertidos que fazem parte do nosso imaginário coletivo. Assim ficamos a saber como nasceu o primeiro poeta, porque é que os cães cheiram o rabo uns aos outros, como se “arranja” a lua em três dias, porque é que os porcos não voam e têm o focinho achatado. Estas são histórias que não se sabe bem quem as inventou, mas sabemos que é com elas que sonhamos desde a criação do mundo. Neste espetáculo a cumplicidade com o público é inevitável, existindo momentos em que alguns espectadores acabam por fazer parte dos contos subindo a um palco que será partilhado com alegria por todos.

Porque é Que os Cães Cheiram o Rabo uns dos Outros chega ao Teatro Armando Cortez com o apoio da Yellow Star Company para que de 1 a 4 de Março o público se divirta com este divertido espetáculo onde Marcantónio Del Carlo entretêm quem assiste a cada sessão. É com a ajuda de André do Áudio que o ator percorre o universo de vários contos criados ao longo da história sobre os «porquês» de determinadas situações acontecerem de uma forma e não de outra, senda esta uma produção de riso fácil através de um bom texto bem interpretado. Nesta produção todos os que entrarem na sala poderão correr o risco de entrar na história e foram muitos os que tentaram ter tal sorte, participando no passatempo que esteve disponível pelos últimos dias onde dois convites duplos estiveram ao vosso dispor.

27.02.18

Apresentação de Doida Não e Não!


O Informador

doida não e não.jpg

A paixão pelos livros reside e por vezes existe um chamamento que nos leva a querer saber um pouco mais sobre a história que nos faz companhia ao longo de dias. Foi isso que aconteceu com Doida Não e Não!, obra que foi relançada para uma quinta edição, com nova capa e novos apontamentos, nove anos após os primeiros exemplares terem sido publicados pela Bertrand Editora que acreditou no trabalho de Manuela Gonzaga sobre a vida de Maria Adelaide Coelho da Cunha, a herdeira do império do Diário de Notícias. 

Comecei a ler e recebi o convite para marcar presença numa das sessões de apresentação da obra, onde além da autora e do representante editorial estariam também presentes Carlos Poiares, vice-reitor da Universidade Lusófona, Júlia Pinheiro, Diretora Executiva de Conteúdos da SIC e Apresentadora, Luís Filipe Sarmento, Escritor, e Monique Rutler, Cineasta. Reti o local onde a dita apresentação iria acontecer e vi que o horário estava compatível com os meus afazeres profissionais. E assim ficou marcado na agenda mental que no passado dia 23 de Fevereiro, pelas 18h00, iria estar no Auditório Armando Gebuza da Universidade Lusófona, para assistir à apresentação de um livro que me está a dizer tanto e sobre o qual quero saber um pouco mais. 

Fui, cheguei mesmo na hora marcada, o início da sessão atrasou-se, como é costume nestes eventos, e acabei por presenciar hora e meia de uma apresentação fantástica, onde amigos, conhecidos e contadores de histórias se juntaram à mesa para presentearem os convidados com factos sobre o grande exemplo que Maria Adelaide Coelho da Cunha deu na sua época a muitas mulheres que viviam enclausuradas por relações doentias, procurando a verdadeira relação amorosa onde os sentimentos falam mais alto, mesmo que para isso tenha tido que abandonar tudo e sofrido com a opressão social que a levou até a locais onde nunca devia estar presente porque esta Maria, entre tantas outras, de doida pouco tinha, o que sabia é que queria amar a pessoa certa e não viver num casamento milionário mas de fachada. 

26.02.18

Piçarra, antes de vencer já o era


O Informador

No dia em que foram conhecidos os nomes candidatos a representarem Portugal no Eurovisão deste ano, a realizar-se no nosso país graças à vitória de Salvador Sobral o ano passado, logo percebi que pelo público um nome iria ter a preferência geral, o que não imaginei foi que também os jurados iriam estar com a mesma ideia. 

Diogo Piçarra, foi na segunda semi-final do Festival da Canção o preferido, tanto do público como dos jurados, tendo arrecadado doze pontos, a pontuação máxima, em ambas as votações. Sobre a escolha de quem está em casa a votar nunca tive dúvidas de que seria Piçarra o eleito graças à sua legião de fãs e com a unificação também dos jurados parece que a final está mais que feita.

Diogo Piçarra é o vencedor antecipado, para mim desde o primeiro dia, do Festival da Canção, edição 2018, e irá assim representar o país, tentando ser o sucessor de Salvador no lugar cimeiro da competição europeia. Aguardamos pela gala final da competição nacional, mas não existirão grandes dúvidas quando o público tem poder e o jovem cantor tem um grande número de fãs que «fazem tudo» por si, até gastar quantidades absurdas de dinheiro só para o verem feliz. 

26.02.18

Secret Story 7 | A Estreia


O Informador

secret story 7 manuel luís goucha.jpg

Estreada que está a sétima edição do Secret Story, apetece-me dar a minha primeira visão sobre o que vi ao longo da primeira gala conduzida por Manuel Luís Goucha. 

Com uma casa com duas portas que ditam os primeiros passos dos concorrentes entre o céu e o inferno, o interior da habitação não tem muito de diferente das temporadas anteriores. Mudanças de decoração e com mais espaços secretos, mas pouco se nota, a não ser o jardim que está em modo Alice, no País das Maravilhas, o que achei fantástico. 

Quanto aos concorrentes transcrevo rapidamente os perfis apresentados em cada apresentação. Joana F., 25 anos, Mealhada, Bruno, 28 anos, Amadora, Margarida, 35 anos, Barreiro, com o segredo «publiquei dois livros sobre a minha vida sexual» já conhecido, Luan, 26, Brasil e Tiago, 25 anos, Lisboa com o segredo «somos casados», Isabela, 19 anos, Almada, Marlene, 32 anos, Alemanha, Cátia, 29 anos, Açores, Joana C., 21 anos, Coruche, Rui, 23 anos, Vila Real Santo António, Pedro, 27 anos, Valongo, João, 25 anos, Valongo, irmãos e a jogarem somente como um concorrente, Sofia, 27 anos, Lisboa, Carina, 27 anos, Matosinhos, Nuno, 23 anos, Porto, César, 26 anos, Alte, e Gabriela, 23 anos, Loulé.

No que toca a segredos ainda não desvendados sobre a quem pertencem existem para todos os gostos. De «o meu pai tentou matar-me quatro vezes», «a minha irmã foi levada por um bispo da IURD», «sou filha/o da prima da minha madrasta», «fui raptado por engano em Espanha», «salvei milhares de pessoas em África», «já pousei nu para uma revista», «tentei matar o meu pai», «estive cego durante um mês», «vivi sete meses num país em guerra», «trabalho no circo», «vivi aterrorizada/o por um/a ex-namorada/o», «entrei na casa antes de todos os concorrentes», «o meu irmão salvou-me a vida» a «sou a chave do túnel dos segredos».

Primeiramente e nesta primeira e rápida análise sobre os concorrentes fiquei com a sensação que teremos uma Margarida que dará excelentes confessionários, o que poderá ser um ponto a seu favor junto do público das galas de Domingo. Quanto ao casal Luan e Tiago acredito que se souberem fazer as coisas poderão tornar-se um bom símbolo gay dentro da casa, no entanto com o jogo desconfio que as coisas possam não correr assim tão bem entre os dois. Vi uma Marlene e também uma Carina bastante prontas para armar confusão por qualquer mínima situação. Nuno, o conhecido de ex-concorrentes de anteriores edições do programa que surge assim com a lição estudada e com a mania que sabe como jogar corretamente neste desafio. O casal César e Gabriela deram-me a ideia que poderão dar bastante que falar, mas pela negativa. Quanto aos restantes não destaco assim nada de especial pela primeira impressão, mas o jogo ainda agora começou. 

25.02.18

Chocolate pode acabar


O Informador

chocolate.jpg

Os especialistas nas mais diversas áreas costumam dar mais boas do que más notícias, mas desta vez li um artigo onde revelam que as alterações climáticas poderão fazer com que seja quase impossível cultivar uma planta de cacau em 2050. Esta conclusão chega através de um estudo da National Oceanic and Atmospheric Administration, a agência norte-americana responsável pelo estudo da atmosfera e dos oceanos.

Com as temperaturas a aumentarem ao longos dos anos e as épocas de chuva a não conseguirem compensar a perda de humidade, os principais países produtores de cacau - Costa do Marfim, Gana e Indonésia - terão um aumento estimado de dois graus até 2050 e podem ficar assim sem as condições necessárias, de temperaturas uniformes e humidade elevada. A conclusão mostra que 89,5% das principais regiões de cultivo de cacau deixarão de ser apropriadas para esse efeito ao longo das próximas décadas. 

A partir de agora e para que os loucos fãs de chocolate, como eu, não comecem já a delirar com o que poderá acontecer daqui a trinta anos ficam as boas notícias. Estratégias de mudança começam a ser testadas e existem mesmo grandes fabricantes mundiais da indústria achocolatada que já iniciaram estudos sobre novos métodos de cultivo da planta do cacau. 

24.02.18

Campanha para a prevenção de incêndios


O Informador

Folheto.jpg

Num comunicado que está a ser enviado a todos nós, cidadãos com residência em Portugal e com os dados corretos no sistema estatal, o Ministério da Admininstração Interna e o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural alertam para a importância da limpeza dos terrenos e árvores na prevenção de incêndios. 

Como vale mais citar do que refazer o texto, segue a comunicação que está a ser enviada por vários meios:

Comunicação do Ministério da Administração Interna e do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.

Antes que seja tarde, antes que o atinja a si, limpe o mato 50 metros à volta da sua casa e 100 metros nos terrenos à volta da aldeia.

Até 15 de março é obrigatório e vital.

É obrigatório:

  • Limpar o mato e cortar árvores:
  • 50 Metros à volta das casas, armazéns, oficinas, fábricas ou estaleiros;
  • 100 Metros nos terrenos à volta das aldeias, parques de campismo, parques industriais, plataformas de logística e aterros sanitários;
  • Limpar as copas das árvores 4 metros acima do solo e mantê-las afastadas pelo menos 4 metros umas das outras
  • Cortar todas as árvores e arbustos a menos de 5 metros das casas e impedir que os ramos cresçam sobre o telhado;

Se não o fizer até 15 de março, pode ser sujeito a processo de contraordenação. As coimas podem variar entre 140 a 5 mil euros, no caso de pessoa singular, e de 1500 a 60 mil euros, no caso de pessoas coletivas.

E este ano são a dobrar.

Até 31 de maio, as Câmaras Municipais podem substituir-se aos proprietários na limpeza do mato. Os proprietários são obrigados a permitir o acesso aos seus terrenos e a ressarcir a Câmara do valor gasto na limpeza.

É Importante:

  • Mantenha-se informado do risco de incêndio na sua área de residência
  • Verifique se o sistema de rega e mangueiras funcionam
  • Limpe telhados e coloque rede de retenção de fagulhas na chaminé
  • Mantenha afastados da casa e edificações:
  • Sobrantes da exploração agrícola ou florestal
  • Pilhas de lenha
  • Botijas de gás ou outras substâncias explosivas

É vital:

A vida da sua família e a segurança dos seus bens dependem do seu gesto.

Para mais informações ligue 808 200 520

Portugal sem fogos está nas mãos de todos.

Esta informação, não dispensa a consulta do DL n.º 124/2006, de 28 de Junho, na sua redação atual.

Com os melhores cumprimentos

Manuel Gonçalves Cecilio

Subdiretor Geral

Área do Planeamento, Organização e Comunicação

23.02.18

Eu Sou | Catequista


O Informador

catequese.jpg

«Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador! Jesus disse a Simão: "Não tenha medo; de agora em diante você será pescador de homens".(Lucas 5:8)».

Poderei afirmar que esta frase define ser catequista, a missão que Deus tem para mim. Nem sempre é fácil ser catequista. Exige um grande trabalho de preparação, de entusiasmo, e de vivência da palavra de Cristo, em Cristo e com Cristo.

Sempre, vivi e cresci, na vida Cristã, tenho 5 dos 7 sacramentos possíveis. A ligação à Igreja cresce devido a estrita relação com a minha avó Materna. As avós, são importantes na nossa formação enquanto pessoas, mas também na transmissão de valores, num entanto dos 5 netos, foi o único mais dedicado à vida cristã.

Ser catequista é, saber ouvir e escutar a voz de Deus, é termos compreensão para toda a comunidade, é participar ativamente na vida de Igreja, é saber da responsabilidade que temos aos estar a iniciar crianças na vida cristã é percebermos que a paroquia exige de nós o dobro do que exige aos outros. É termos a consciência moral, que ao mínimo erro, vamos ouvir “que exemplo é que tu estás a dar”, “é essas atitudes que tu estás a ensinar aos teus meninos da catequese”, “o que é que foste fazer à missa”. A sociedade exige de nós um comportamento ético, responsável e exemplar, que muitas vezes não tem, mas exige a quem está na Igreja. Somos os braços do pároco, e a voz da comunidade.

Uma paróquia sem catequese e sem catequistas é uma paróquia que está envelhecida e a morrer.

Hoje, ser catequista numa paróquia mais pequena, é desafiante devido ao afastamento dos pais da religião, é termos que ter a capacidade de atrair os filhos para a catequese. Palavras como a catequese é uma seca ou não têm interesse desapareceram do vocabulário das nossas crianças devido às diversas atividades que fazemos, uma catequese mais participada, materiais mais didáticos, filmes, idas ao teatro, encenações bíblicas, acampamentos, pedi papper, são hoje atividades que se desenvolvem na nossa catequese. A relação com os pais é outro desafio, porque existe um desinteresse destes pela religião, os pais não querem ir à missa, não querem acompanhar os filhos na catequese e muitas vezes servem-se da catequese para os filhos estarem entretidos e fora de casa durante duas horas.

Pág. 1/5