Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

30.01.18

Ganha | Deixa-me Odiar-te


O Informador

deixa-me odiar-te livro.jpg

As relações por vezes começam num cruzamento onde uma má impressão inicial aos poucos vai sendo colmatada pelo interesse no outro através de pontos que se vão destacando, mostrando que afinal o que poderá ter sido um sentimento inicial de ódio transforma-se com o tempo em amor e é assim que Jennifer e Ian se encontram ao longo do romance Deixa-me Odiar-te, que será relançado pelo Clube do Autor no próximo dia 7 de Fevereiro. 

Da autoria de Anna Premoli e vencedor do Prémio Bancarella, este moderno romance retrata uma história onde não faltam pormenores da atualidade entre os vários momentos de divertimento e ternura que vão sendo vividos entre o par protagonista deste envolvente enredo.

Para vos deixar ainda mais curiosos com este relançamento, eis que tenho um exemplar para vos oferecer. Como? Ora bem, neste mesmo texto só têm de deixar um comentário com o que quiserem. Podem basear-se no tema «amor/ódio», nos romances que mais vos marcaram, o que esperam ler pelas próximas novidades que estão a ser lançadas no campo literário, o que quiserem mesmo comentar, até podendo deixar um simples «Eu participo!». Não será o melhor comentário o premiado, visto que selecionarei o vencedor através do sistema automático random.org, que me dará um número aleatório que será atribuido pela ordem de participação. O que é necessário é que comentem este mesmo texto aqui no blog pela caixa de comentários, com a sessão de Facebook aberta para depois conseguir contactar o vencedor de forma mais fácil. A par do comentário, a partilha do link deste texto pelo vosso feed de Facebook é essencial para a participação pode ser aceite. 

O desafio irá decorrer até às 18h00 de dia 7 de Fevereiro, dia do lançamento da reedição da obra e por agora resta-me desejar-vos boa sorte! O livro será enviado por correio na semana seguinte ao término do passatempo, não me responsabilizando pelo extravio do exemplar!

30.01.18

Curtas e Diretas | 118 | Horário


O Informador

O meu horário de trabalho é das 08h00 às 12h30 e das 13h30 às 17h00, sendo bem raro sair pela hora exata ao final do dia. Quando isso não acontece quem fica parece não achar bem que se termine o dia no horário exato. Afinal de contas não ganho isenção de horário e existem dias que percebo que não preciso de ficar mais um pouco para adiantar trabalho. Existe mal em sair a horas de vez em quando?

30.01.18

Autoritarismo de António Costa


O Informador

antónio costa mário centeno.jpg

António Costa continua a liderar o Governo e quem o constitui tem de prestar contas ao Primeiro-Ministro, normal, o que não é assim tão normal são os pedidos de saída dos vários cargos a serem recusados e assumidos publicamente. Costa exige que os Ministros se mantenham e depois quando lá decide que já chega percebe através da comunicação social que a pressão para aguentarem no barco acabou por correr pior do que o previsto. 

Após Constança Urbano de Sousa, no ano passado, só conseguir uns meses depois deixar o Governo após o seu pedido de saída, porque o todo poderoso não a queria fora do seu posto, revelando posteriormente a senhora o seu pedido que caiu em vão porque foi feita pressão para continuar no cargo, agora foi Mário Centeno que já deixou a dica. Caso venha a ser arguido na investigação sobre os bilhetes para assistir ao jogo do Benfica opta por abandonar o seu lugar como Ministro das Finanças. Perante este desabafo, António Costa, do alto dos seus sapatos brilhantemente elegantes já se fez pronunciar e voltou a afirmar algo que já começa a ser usual nas suas expressões quando um elemento da sua equipa pretende abandonar a carruagem. Para Costa, Mário Centeno «se manterá em funções» porque «quem decide sou eu e mantenho toda a confiança» no Ministro. António Costa revela ainda que «o que está em causa não coloca em causa o bom nome, a seriedade e a credibilidade do professor» porque pelo que percebo a corrupção dentro da ideia do "uma mão que limpa a outra" é tudo uma coisa normal de acontecer no seio político que o governante frequenta e onde aprendeu a liderar os caminhos com certos tesouros a serem encontrados pelo caminho. 

António Costa a mostrar uma vez mais que quem manda é o senhor, o rei todo poderoso que chegou para liderar e ter todos aos seus pés. Alguém pode ousar querer deixar o seu lugar? Não, têm de aguentar até o senhor Primeiro-Ministro assim achar correto porque a partir do momento em que entram no atual Governo o destino é somente chegar ao final como a arca de noé sem grandes baixas para que se possa afirma que António chegou à sua Costa ereto e com toda a sua formatura bem fortalecida, mesmo que por trás existam tantas desconfianças e podres que só mais tarde serão descobertos nas profundezas onde os segredos por vezes são colocados.