Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

univseritarios-billboard

Boeing Boeing [Yellow Star Company]

Publicado por O Informador, 25.09.17

boeing boeing.jpg

Um sucesso quando corre bem regressa e assim voltou a acontecer com Boeing Boeing, que está novamente nos palcos nacionais, mais concretamente no Teatro Armando Cortez, com uma nova temporada com elenco totalmente renovado. 

Após meses de salas esgotadas por outras temporadas em anos anteriores, Boeing Boeing voltou a aterrar em Lisboa para de 14 de Setembro a 29 de Outubro alegrar o público que se deixar levar na viagem intempestiva que é a vida de Bernardo, o conquistador de hospedeiras de bordo que se tornam, de forma enganadora, suas noivas, isto sem saberem que o homem perfeito aos seus olhos mantém o mesmo tipo de relação com outras mulheres que sonham ser levadas ao altar.

Uma divertida comédia onde António Camelier, Ricardo Castro, Carla Vasconcelos, Liliana Santos, Marta Melro e Sofia Grillo vivem personagens que se confrontam num espaço onde todos os caminhos parecem levar à mentira entre portas onde primeiramente se tenta abafar as várias vidas de uma só pessoa. O amor controlado ao minuto por um homem que dá muito valor ao físico das suas musas, uma empregada «sem idade» para abafar todos os casos de infidelidade do seu patrão, um amigo apanhado na curva e três mulheres esbeltas e com o sonho de casarem, ou não, com o homem da sua vida, o famoso Bernardo.

Boeing Boeing é daquelas comédias que vivem bastante dos atores que interpretam cada personagem. Já é a segunda vez que assisto a esta produção e embora tenha preferido o texto atual que foi alterado, existem personagens que com a alteração do ator melhoraram mas também existiram as que perderam um pouco a essência da primeira vez. Dizem que não existe amor como o primeiro, mas neste caso existem partes que compensam outras e acabei por gostar de igual forma das duas sessões a que assisti com três anos de diferença.

Limitações

Publicado por O Informador, 24.09.17

Quando te dizem que alguém é um pouco limitado de raciocínio não levas logo isso como uma verdade sobre determinada pessoa mas com o tempo e conhecimento vais percebendo que afinal existem seres humanos que não conseguem olhar para a realidade tal e qual como a deviam interpretar e embora desempenhem determinadas funções acabam por ficar parados no tempo e não acompanham o que vai surgindo. 

Por estes dias têm acontecido situações tão estranhas que até penso que estou inserido num filme de comédia em que sou o que faz caretas e ralha quando vê determinados emails a chegarem. Uma que me pede para confirmar uma coisa quando ela própria dá a resposta com uma imagem que anexa ao email. Outros que pedem para fazer o que já está feito e estão informados sobre a situação. Ainda existem os que conseguem teimar sobre determinado tema quando a resposta está à frente ou mesmo nas suas mãos.

Vencedores dos convites duplos para Let The Sunshine In [23.09.2017]

Publicado por O Informador, 22.09.17

Vamos recordar os loucos anos 60? Boa disposição, canto e dança são os elementos essenciais que unem Henrique Feist, Vanessa Silva, Daniel Galvão, Valter Mira e Diogo Leite no palco do Auditório do Casino Estoril para apresentarem ao público o espetáculo Let The Sunshine In às Sextas-feiras e Sábados pelas 21h45. 

Como vi, gostei e tive a oportunidade de vos oferecer convites duplos para a sessão de Sábado, 23 de Setembro, eis o momento de revelar o nome dos cinco vencedores dos convites duplos que irão ser contactados para saberem o processo para o levantamento dos bilhetes poder acontecer nas melhores condições. Maria Inácio, Cristina Nascimento, Carlos Rodrigues, Anabela Rodrigues e Vanda Teixeira formam o quinteto vencedor e irão assim poder passar o serão de Sábado a assistir a este musical recheado de boas recordações abrilhantadas por vozes fantásticas dos palcos nacionais.

Fraco nas leituras

Publicado por O Informador, 22.09.17

livro.jpg

O tempo que se faz sentir pela rua é propício a ficar por casa após o dia de trabalho, aproveitando para desfrutar de uma boa série e de leituras enquanto se está enrolado nos cobertores. No entanto e sem que consiga explicar, a não ser com o cansaço com que ando, sinto que o tempo que tenho dado aos livros é pouco, muito pouco mesmo para o que estou habituado.

Passo mais horas em casa, empato muito tempo no computador, várias vezes sem necessidade, e quando me sento pela cama e sinto que estou pronto para pegar num livro acabo por apanhar um qualquer programa na televisão e deixo-me ficar entretido entre o pequeno ecrã e o telemóvel. Os livros vão-se acumulando pela mesa de cabeceira, poucas são as páginas que vou lendo por dia e na verdade começo, quando olho para a pilha literária em espera, a ficar aborrecido, naquele estado de incumprimento, por não conseguir atualmente dedicar o tempo que quero e que há umas semanas conseguia às letras. 

Adidas, para que te quero?!

Publicado por O Informador, 21.09.17

Os novos modelos da Adidas não só estão dentro do que tem sido apresentado pela marca ao longo dos últimos anos como continuam a deixar-me a desejar uma visita a uma loja e ficar de saco cheio, ou melhor, carrinho cheio com um par de cada modelo masculino dentro do género que me tem sido familiar, os modelos Casual.

Adoro a contínua aposta neste segmento da Adidas e embora existam modelos que de ano para ano não vejam grandes alterações, existem sempre as novidades com cores e pequenos apontamentos que fazem a diferença.

O Natal ainda não está próximo, mas estou aqui a deixar a dica para que uns Adidas Casual em tons de preto ou azul escuro venham cá ter porque preciso mesmo de ter uns novos ténis no final do ano.

Elenco de Novela na Primária

Publicado por O Informador, 20.09.17

Agora que o regresso às aulas acontece por todo o país as lembranças surgem e apetece-me divagar um pouco convosco sobre as horas, dias e semanas que passava com os meus companheiros escolares da primária a elaborar listas sobre os elencos das novelas da altura. 

Ir para a escola nos primeiros dias do ano escolar sempre tinha o seu encanto, não porque iria rever os amigos porque ao viver numa aldeia mesmo nas férias sempre conseguíamos estar juntos ao longo dos períodos de pausa, mas porque existia algo a aprender onde os intervalos se tornavam mágicos e as aulas com os seus tempos mortos transformam-se em verdadeiro entretenimento.

Existiam alturas, anos escolares mesmo, em que ao longo de horas vazias dentro da sala de aula passávamos longos momentos a copiar e a fazer listas sobre elencos de novelas, as brasileiras na altura. Fazíamos a lista sobre todos os atores que integravam um elenco, por ordem alfabética, e depois íamos copiando até mais não. Na altura a ficção nacional estava muito longe do que é feito atualmente pelos diversos canais e nós vibrávamos com as histórias importadas do Brasil, sabíamos os nomes de cada personagem e os nomes dos seus respetivos atores. As professoras essas não se importavam de ver as ditas e famosas listas e deixava-nos estar com as nossas curiosidades porque ao mesmo tempo aperfeiçoávamos a escrita através da cópia. Na altura parecia estranho podermos fazer aqueles trabalhos em plena sala de aula, mas hoje percebe-se que tal era possível porque ao mesmo tempo que fazíamos algo que gostávamos aprendíamos também e emendávamos os erros de cada um através de cópias atrás de cópias. Os momentos sobre o elenco de cada novela demoravam horas, mesmo dias e semanas e na altura éramos tão felizes a fazer coisas que nos dias que correm parecem que não fazem qualquer sentido.