Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

09.06.16

APAV alerta através da ficção


O Informador

apav rita pereira.jpg

Rita Pereira e Pedro Barroso, os dois atores que protagonizaram um dos principais pares da segunda temporada da novela de sucesso A Única Mulher foram convidados pela APAV para protagonizarem a nova campanha de sensibilização da associação. Com um casal com vários problemas de agressão mútua ao longo da trama, a dupla de atores vê assim o seu trabalho ser reconhecido junto de entidades que defendem as vítimas de violência doméstica no nosso país. 

Os atores aceitaram ser os rostos da nova campanha da APAV e a partir de agora será possível ver cenas em que os dois, em modo personagem, enfrentam o que é a realidade de muitas pessoas, infelizmente, por este Mundo fora. A violência no namoro, no casamento e no divórcio são três dos maiores destaques a ter em conta através de agressões físicas e psicológicas ao longo do tempo. As mulheres são as principais vítimas de agressões por parte dos seus companheiros, no entanto os homens têm visto os números a aumentar também do seu lado. Em vários casos as agressões que decorrem ao longo de dias, meses e mesmo anos acabam na morte. 

09.06.16

As Flores de Lótus


O Informador

as flores de lótus.jpg

Autor: José Rodrigues dos Santos

Data: Outubro de 2015

Editora: Gradiva

Número de páginas: 688 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião: As Flores de Lótus reconta a História numa história onde o Mundo em rebuliço no início do século XX entra em confronto e ninguém consegue ficar ausente das guerras internacionais e dos conflitos internos entre o poder e o povo ou até na luta de classes e ambições pessoais.

Neste romance, que dá o mote para uma triologia onde quatro personagens centrais são o trunfo, José Rodrigues dos Santos surpreende e coloca o leitor entre o passado político do país que pode ser comparado de certa forma ao que outros povos tiveram de enfrentar mais ou menos pela mesma altura. Europa e Ásia foram Continentes que viveram com o controlo, o medo e a perseguição sempre presente em determinada altura da História e isso é recontado através da união entre ficção e realidade com recurso a personagens históricas ao longo desta narrativa que não passa no final de contas de um retrato da sociedade de outrora com grandes perspetivas perante o presente, sendo por diversas vezes um romance histórico mas com crítica na atualidade que todos enfrentamos. 

Artur, Fukui, Lian-Hua e Nadezhda são os quatro jovens que nascem no início do século para iniciarem uma vida que poderia estar encaminhada, não tivessem eles que fazer opções, ver o futuro comprometido e ficarem sem a família que teoricamente os iria amparar nos primeiros anos de vida. Quatro vidas bem distintas, em locais distantes e a viverem problemas semelhantes entre si. O planeta roda e a sociedade age em conformidade e de forma semelhante ao que vai acontecendo na terra do lado. Existirão condições para um povo sair por cima quando todos querem o mesmo e triunfar entre os mais fracos que não se assumem também como tal, enfrentando e lutando pelas suas coisas e condições?! Uma verdadeira luta de estatutos onde a política tem sempre algo a dizer e a impor junto de trabalhadores que só querem o que é seu e para o qual dão tudo para conseguirem triunfar.

Num romance explicativo e com uma linguagem simples, José Rodrigues dos Santos volta ao lugar onde sempre deveria estar, na História. É recontando factos através da ficção que o autor mais conquista, sem ter de colocar personagens em busca de um mistério científico para se aproximar do leitor. É com obras como Anjo Branco, A Filha do Capitão e As Flores de Lótus que me deixo deliciar por uma boa narrativa onde vidas são contadas de forma leve e o passado da sociedade vai aparecendo de forma subtil, servindo ao mesmo tempo para lembrar vários momentos da nossa História.