Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

20.05.16

O que foi isto?!


O Informador

calor.jpg

Após semanas instáveis em que o tempo quente parecia tardar em aparecer, o que foi esta surpresa de Primavera que se fez sentir hoje acima dos 30º?! Ah pois é, o sol hoje despertou com força e a vontade enquanto estava a trabalhar era mesmo só uma... Meter-me ao sol ou caminhar até à beira-mar para aproveitar o que poderá ser passageiro! Que venham novas surpresas solarengas pelos próximos dias porque ainda este mês vou de férias e aprecio bastante o bom tempo!

20.05.16

O que acabou de chegar!


O Informador

o pavilhão púrpura.jpg

Sabem o que acabou de chegar? O segundo volume de uma triologia de um dos meus autores portugueses favoritos! 

José Rodrigues dos Santos dispensa apresentações e quando escreve sem colocar no romance as aventuras do seu tão querido Tomás Noronha só tem a ganhar! No Natal ofereceram-se As Flores de Lótus e agora, como também tinha um Cartão Oferta para descontar, encomendei o novo calhamaço, O Pavilhão de Púrpura, que acabou de ser lançado. Os mais atentos à minha vida literária sabem que ainda não li o primeiro volume, mas o segundo já cá mora e como as primeiras férias do ano estão a aproximar-se parece-me que teremos leitura contínua por uns dias!

20.05.16

Capa é sinónimo de qualidade?!


O Informador

livros.jpg

Há uns anos olhava para um livro e se a sua capa não me agradasse não lhe pegava sequer para ver do que se poderia tratar. Nos dias que correm as coisas já não acontecem dessa forma, porém, tenho a confessar que ainda sou um pouco esquisito para com as capas das obras que adquiro. 

Uma capa dura, com uma cor de fundo e letras em destaque num amarelo ouro não me dizia minimamente nada e o livro por muito bom que fosse ficava logo posto de lado, nem existindo hipótese para ler a sua sinopse. Uma capa lisa sem grande destaque poderia ser olhada mas no ato da compra sempre pensava que aquele livro por dentro deveria ser tão feio como por fora. Um livro com capa rija não fazia o estilo que queria ter por casa, optando sempre por edições de capa mole. E as obras que eram publicadas somente em livros de bolso ou de medidas fora do padrão que acho normal? Sempre ficavam na prateleira!

Hoje as coisas já não acontecem bem assim e já não me deixo influenciar tanto pela capa, dando sempre espaço para que o conteúdo consiga surpreender tanto que deixe a escuridão do rosto para trás.